Instruções para credenciamento da imprensa

A Target Assessoria de Comunicação, que coordena a comunicação da 15ª Parada do Orgulho LGBT-Rio, credencia veículos de imprensa para a cobertura jornalística do evento.

Podem solicitar credenciais agências de notícias, emissoras de TV e rádio, jornais e portais de internet de conteúdo essencialmente jornalístico.

Jornalistas e fotógrafos autônomos interessados em documentar o evento devem apresentar uma justificativa por escrito para a solicitação de credenciamento, que será analisada pela assessoria de comunicação da Parada do Orgulho LGBT-Rio 2010.

As credenciais serão exigidas para aqueles que desejam ter acesso aos trios, carros oficiais e coletiva de imprensa. A quantidade de credenciais é limitada até duas unidades por veículo de comunicação, exceto emissoras de TV que poderão solicitar até quatro credenciais. Solicitações extraordinárias serão analisadas.

A cobertura do evento “no chão” é livre para qualquer profissional.

Os veículos que desejam se credenciar, devem enviar e-mail para leticia@target.inf.br com as informações descritas abaixo até o dia 11 de novembro de 2010, até as 18h. Em caso de dúvidas, queiram nos contactar pelos telefones (21) 2284 2475, 2234 9621. As confirmações de credenciamento serão dadas até o dia 11 de novembro e as credenciais deverão ser retiradas na sede do Grupo Arco-Iris nos dias 12 (das 15h às 18h) e 13 de novembro (das 14h às 18h).

Ficha para credenciamento para imprensa

Veículo

Endereço

Telefone

Fax

E-mail de contato

Nome do profissional

Função

Nome do profissional

Função

Nome do profissional

Função

Nome do profissional

Função

Seja um(a) voluntári@ Arco-Íris!

Conhecer gente nova, adquirir experiência, participar de ambientes descontraídos e festivos e promover um evento para chamar de seu. Essas são algumas vantagens de ser voluntário/a da Parada do Orgulho LGBT-Rio. O Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT convida a todos e todas a fazer parte desta grande família!

As inscrições para ser voluntário da 15ª Parada do Orgulho LGBT-Rio, no dia 14 de novembro, ficam abertas até o dia 5 de novembro. A programação oficial deste ano conta ainda com uma série de eventos nos mais variados espaços de cultura de nossa cidade. Para se cadastrar, o candidato deve comparecer à sede do Grupo Arco-Íris (Rua do Senado, 230 – Cobertura – Centro) em horário comercial e preencher a ficha de cadastramento.

“A Parada é um evento comunitário e os voluntários são fundamentais para que essa festa da cidadania possa acontecer. A transformação social só se dará quando mais e mais pessoas se mobilizarem para acabar com o preconceito. A homofobia só terá fim se todos lutarmos para isso”, explica Julio Moreira, presidente do Grupo Arco-Íris.

Para se cadastrar, o voluntário deve:

I – ser maior de 18 anos, ou acima de 16 anos com a autorização dos responsáveis assinada e reconhecida a firma;

II – ter disponibilidade de tempo para o serviço voluntário, de acordo com as necessidades da organização do evento, contribuindo de duas a três vezes por semana, de acordo com a sua disponibilidade, não ultrapassando uma carga horária de oito horas semanais.

III – estar gozando de plenas condições de saúde.

IV – ter disponibilidade para participar dos encontros de capacitação sobre voluntariado nos eventos e na Parada.

Para se inscrever como candidato(a ) a voluntário(a) é preciso:

I – preencher ficha de cadastro de candidato(a) a voluntário(a)  e termo de adesão ao serviço voluntário;

II – entregar 01 foto 3 x 4 colorida para afixação na ficha de cadastro;

III – apresentar cópia de carteira de identidade, CPF e comprovante de residência.

Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT – Rua do Senado, 230 – Cobertura – Centro

21 2222-7286 | 2215-0844

Para tudo! Está em cena o Projeto Autorretrato Laura Di Vison

Pelo segundo ano consecutivo, o Grupo Arco-Íris inclui em seu mês de celebração da Parada do Orgulho LGBT do Rio o projeto Autorretrato – Laura DI Vison. Neste ano, o evento acontece em quatro edições.
 
O primeiro espetáculo – “Ao Sair Deixe Suas Lágrimas” – será no dia 27/10 na Sala Baden Powell às 20h, com as drags Rose Bombom, Suzy Brazil, Paula Braga, entre outras. O segundo – “Dama da Noite” – acontece no dia 3/11 na Casa de Cultura Laura Alvim às 20h e conta com Lorna Washington, Luana Muniz, Desiree entre outras. A entrada será de R$ 1,99. No dia 4/11, Luana Muniz e convidadas levam “Esquina” à Casa de Cultura Laura Alvim, às 20h, que recebe, no dia 5/11, às 20h, “Ao Sair Deixe Suas Lágrimas”.
 
Laura, Laura, Laura!Musa do underground carioca nas décadas de 70, 80 e 90, Laura Di Vison foi um ícone LGBT. Espontânea, crua e irônica, esta estrela charmosérrima provocou e levou a êxtase plateias lotadas! Alegre e apaixonada por prazer e plumas, deixou de queixo caído de renomados sociólogos a personalidades internacionais. Faleceu em 2007.
 
 
 
Venha se deliciar neste projeto assistindo aos espetáculos em homenagem a Laura Di Vison! Todo mundo lá!
 
Serviço:Projeto Autorretrato – Laura Di Vision
 
Quarta – 27/10 – 20h
Espetáculo: Ao Sair Deixe suas Lágrimas

Texto e direção: Rose Bombom e Suzy Brasil
Elenco: Rose Bombom, Suzy Brasil, Paula Braga, Veluma,Karina Karão, Zanny, Jonathan Gomes,Gláucio Castelino, Marcelo Taurino, Joyce e Marcelo Faria.
 
Sala Baden Powell – Av. Nossa Senhora de Copacabana, 360 – Copacabana
Informações: 2548-0421
Classificação Etária: 18 anos
R$ 1,99
__________________________________________
Quarta – 03/11 – 20h
Espetáculo: Dama da Noite – Filipeta
 
Concepção: Almir França
Direção Artística: Rogério Garcia
 
Elenco: Lorna Washington, Luana Muniz, Desirée, Nepopô, Luiza Moon e Kimily Hanner.
 
Casa de Cultura Laura Alvim – Av. Vieira Souto, 176 – Ipanema
Informações: 2332-2015
Classificação Etária: 18 anos
R$ 1,99
__________________________________________
Quinta – 04/11 – 20h
Espetáculo: Esquina
 
Concepção: Almir França
Direção Artística: Rogério Garcia
 
Elenco: Luana Muniz e convidadas
 
Casa de Cultura Laura Alvim – Av. Vieira Souto, 176 – Ipanema
Informações: 2332-2015
Classificação Etária: 18 anos
R$ 1,99
__________________________________________
Sexta – 05/11 – 20h
Espetáculo: Ao Sair Deixe suas Lágrimas

Texto e direção: Rose Bombom e Suzy Brasil
Elenco: Rose Bombom, Suzy Brasil, Paula Braga, Veluma,Karina Karão, Zanny, Jonathan Gomes,Gláucio Castelino, Marcelo Taurino, Joyce e Marcelo Faria.
 
Casa de Cultura Laura Alvim – Av. Vieira Souto, 176 – Ipanema
Informações: 2332-2015
Classificação Etária: 18 anos
R$ 1,99

ATO LGBT PELO ESTADO LAICO E CRIMINALIZAÇÃO DA HOMOFOBIA

A manifestação acontece na próxima quarta-feira (20/10) às 16h em frente à Câmara dos Vereadores, na Cinelândia.
A cada dois dias, um homossexual é assassinado em virtude de sua orientação sexual ou identidade de gênero. Até quando o Estado será indiferente a esta realidade? O Fórum Estadual LGBT, entidade formada por 25 Organizações, está organizando um grande ato na Cinelândia para dar visibilidade a esta triste e sangrenta situação, de modo a sensibilizar a população de que vidas estão sendo tiradas pela simples ignorância, preconceito e discriminação.
O objetivo da manifestação – que terá muitos de seus ativistas pintados de tinta vermelha para simbolizar as inúmeras mortes – é chamar a atenção da sociedade de que a questão do Estado laico, democrático e de direito de fato se coloque como uma premissa para se discutir um projeto de nação, respeitando todas as religiões e garantindo uma desvinculação delas com o Estado e vice-versa.
As travestis são as principais vítimas desta violência, só nos últimos dois meses foram oito travestis assassinadas no estado do Rio de Janeiro. O expressivo número dos casos, assim como as cruéis e diversificadas formas dos assassinatos, é o penúltimo estágio do grande fluxo de violência a que estão sujeitas travestis e transexuais brasileiras.
Além disso, o ato reivindica um Estado que reconheça os direitos de todos e todas, respeitando as diferenças como elemento que enriquece a humanidade. Todos e todas por um país sem homofobia! Aprovação do PLC 122/06 já!

Serviço
ATO LGBT PELO ESTADO LAICO E CRIMINALIZAÇÃO DA HOMOFOBIA
Dia: 20/10/2010 (4ª feira)
Horário: 16h
Local: Cinelândia (em frente à Câmara de Vereadores do Rio)

NOTA OFICIAL

O Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT vem publicamente desmentir rumores publicados nos veículos de comunicação, de forma oportunista como munição politiqueira, por pessoas que não vivenciam o dia-a-dia de nossa Instituição.
O Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT ratifica a decisão autônoma de sua diretoria e corpo técnico da mudança da data da 15ª Parada do Orgulho LGBT para o dia 14 de novembro, divulgado amplamente desde final de agosto, tendo em vista as seguintes questões:
– A mudança do quadro de diretores da Instituição, que acarretou a substituição das documentações nos processos liberativos dos recursos financeiros para a execução do evento;
– Gerar mais tempo hábil para a sua produção e execução;
– O evento ser realizado num feriado prolongado;
– A decisão, a partir deste ano, da realização do evento em todo segundo domingo de novembro. Entendemos que muitas pessoas planejam sua vinda para a Parada e uma data fixa auxilia nesse planejamento;
O Grupo Arco-Íris, que promove a cidadania LGBT e combate a homofobia há mais de 16 anos no Rio de Janeiro, deixa claro que foi uma decisão, tão somente administrativa e que é um grupo suprapartidário e autônomo. Além disso, em hipótese nenhuma sofreu quaisquer tipos de pressões de cunho eleitoral para o adiamento da Parada. E esclarece ainda que, os membros do Grupo que assumem um cargo público, automaticamente ficam desligados de suas funções na Instituição, sem possuir quaisquer poderes decisórios no campo administrativo.

Desta forma, contamos com a presença de todos e todas no terceiro maior evento do Rio de Janeiro, a 15ª Parada do Orgulho LGBT do Rio de Janeiro, no dia 14 de novembro, às 13 horas, na Av. Atlântica, Posto 6.

Julio Moreira
Presidente do Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT

Show de drags abre com chave de ouro a programação da 15ª Parada do Orgulho LGBT-Rio

Teatro Carlos Gomes é palco de uma série de números de grandes artistas da cena LGBT

Com casa lotada e a presença da Secretária Municipal de Cultura, Ana Luisa Lima, o Grupo Arco-Íris deu início a extensa programação que fará parte da 15ª Parada do Orgulho LGBT-Rio. O show contou com renomadas drag queens da noite carioca e levou a plateia ao delírio com interpretações, performances e humor. O Superintendente de Direitos Individuais Coletivos e Difusos da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, Cláudio Nascimento também esteve presente ao evento.

“Muito me orgulha ver o Grupo Arco-Íris, depois de 16 anos de ativismo e há 15 realizando o terceiro maior evento desta Cidade Maravilhosa: a Parada LGBT, com tanto dinamismo e fluidez. A Parada acaba de debutar e segue para sua maioridade, mais madura e fortalecida no sentido de comunidade. É importante que a gente se perceba além de nós mesmos e que façamos uma grande rede de combate à homofobia no estado do RJ e no Brasil”, orgulha-se o Superintendente Cláudio Nascimento logo no início do espetáculo.

O presidente do Grupo Arco-Íris, Julio Moreira, lembrou ao público de que a cada 2 dias, um homossexual é assassinado em virtude de sua orientação sexual; além da negação de 78 direitos aos homossexuais que os casais héteros possuem. “Temos sempre que ter em mente que a Parada não é uma micareta e sim uma forma de se fazer política alegre e colorida, sem perder o tom de reivindicação de direitos civis. Com a chegada do 2º turno, temos que ter consciência de nosso voto”, ressalta.

Papo de camarim
Com 30 anos de carreira e com um currículo internacional de dar inveja, é a primeira vez que a travesti Luana Muniz pisa no palco do Teatro Carlos Gomes e se diz não reconhecida pelo que faz. “Por ser uma profissional do sexo, sempre fui boicotada pelas demais”. Perguntada de como enxergava a participação de uma única travesti no meio de drag queens, ela não titubeia: ”Aqui sou uma artista; não tenho sexo ou sexualidade”.

Interpretar a obra-prima “O bêbado e a equilibrista”, de João Bosco e Aldir Blanc na voz de Elis Regina não é para qualquer uma. E é Paula Braga que interpreta numa linda performance de Charles Chaplin que tem seu cume numa transformação em Clara Nunes, em cena. “É importante mostrarmos que fazemos algo além do oba-oba. As pessoas não conhecem o que a gente faz; nosso trabalho; nossa arte. É uma grande oportunidade!”, finaliza a drag enquanto se maquia no camarim.
 
Prevenção
Mais de 500 kits de prevenção de HIV/Aids e outras DSTs foram distribuídos na entrada do Teatro Carlos Gomes. Os kits continham 4 camisinhas; 1 gel lubrificante à base d’água; 1 livreto com explicações sobre as hepatites B e C; 1 porta-camisinha com instruções de uso; e 1 flyer orientando sobre o teste de HIV. “No ano passado distribuímos 750 mil preservativos em toda a programação da Parada. Este ano, já conseguimos 350 mil, porém nossa meta é distribuir 1 milhão de camisinhas e bater o recorde de maior ação de prevenção de HIV/Aids”, entusiasma-se o médico infectologista e coordenador da ação de prevenção da Parada, Dr. Jorge Eurico.

Lésbicas e mulheres bissexuais também tiveram sua vez. A coordenadora do projeto “Laços e Acasos: Mulheres, Desejos e Saúde”, do Grupo Arco-Íris, Marcelle Esteves revela que 500 “sainhas” – protetor para sexo oral entre mulheres –, com instruções de uso, foram distribuídas para os presentes. “O material é feito de látex e é 0,05 mm mais fino do que a camisinha masculina. Pode ser utilizado por qualquer público, porém foi fabricado para atender esta necessidade de lésbicas e mulheres bissexuais, uma vez que não existe, ou melhor, não existia material específico para este público”, explica a também assistente social.

A 15ª Parada do Orgulho LGBT é patrocinada pelo Governo do Estado do RJ, através da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos e Petrobrás. Também conta com o apoio da Secretaria Estadual de Cultura e de Saúde e Defesa Civil; além das Secretarias Municipais de Turismos (Riotur), Cultura e Saúde e Defesa Civil.

Carta aberta da ABGLT às candidaturas de Dilma Roussef e José Serra


Prezada Dilma e Prezado Serra,

A Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais – ABGLT, é uma entidade que congrega 237 organizações da sociedade civil em todos Estados do Brasil. Tem como missão a promoção da cidadania e defesa dos direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, contribuindo para a construção de uma democracia sem quaisquer formas de discriminação, afirmando a livre orientação sexual e identidades de gênero.

Assim sendo, nos dirigimos a ambas as candidaturas à Presidência da República para pedir respeito: respeito à democracia, respeito à cidadania de todos e de todas, respeito à diversidade sexual, respeito à pluralidade cultural e religiosa.

Respeito aos direitos humanos e, principalmente, respeito à laicidade do Estado, à separação entre religião e esfera pública, e à garantia da divisão dos Poderes, de tal modo que o Executivo não interfira no Legislativo ou Judiciário, e vice-versa, conforme estabelece o artigo 2º da Constituição Federal:  “São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário.

Nos últimos dias, temos assistido, perplexos, à instrumentalização de sentimentos religiosos e concepções moralistas na disputa eleitoral.

Não é aceitável que o preconceito, o machismo e a homofobia sejam estimulados por discursos de alguns grupos fundamentalistas e ganhem espaço privilegiado em plena campanha presidencial.

O Estado brasileiro é laico. O avanço da democracia brasileira é que tem nos permitido pautar, nos últimos anos, os direitos civis dos homossexuais e combater a homofobia. Também tem nos permitido realizar a promoção da autonomia das mulheres e combater o machismo, entre os demais avanços alcançados.  O progresso não pode parar.

Por isso, causa extrema preocupação constatar a tentativa de utilização da fé de milhões de brasileiros e brasileiras para influir no resultado das eleições presidenciais que vivenciamos. Nos últimos dias, ficou clara a inescrupulosa disposição de determinados grupos conservadores da sociedade a disseminar o ódio na política em nome de supostos valores religiosos. Não podemos aceitar esta tentativa de utilização do medo como orientador de nossos processos políticos. Não podemos aceitar que nosso processo eleitoral seja confundido com uma escolha de posicionamentos religiosos de candidatos e eleitores. Não podemos aceitar que estimulem o ódio entre nosso povo.

O que o movimento LGBT e o movimento de mulheres defendem é apenas e tão somente o respeito à democracia, aos direitos civis, à autonomia individual. Queremos ter o direito à igualdade proclamada pela Constituição Federal, queremos ter nossos direitos civis, queremos o reconhecimento dos nossos direitos humanos. Nossa pauta passa, portanto, entre outras questões, pelo imediato reconhecimento da união estável entre pessoas do mesmo sexo e pela criminalização da discriminação e da violência homofóbica.

Cara Dilma e Caro Serra,

Por favor, voltem a conduzir o debate para o campo das ideias e do confronto programático, sem ataques pessoais, sem alimentar intrigas e boatos.

Nós da ABGLT sabemos que o núcleo das diferenças entre vocês (e entre PT e PSDB) não está na defesa dos direitos da população LGBT ou na visão de que o aborto é um problema de saúde pública.

Candidato Serra: o senhor, como ministro da saúde, implantou uma política progressista de combate à epidemia do HIV/Aids e normatizou o aborto legal no SUS. Aquele governo federal que o senhor integrou também elaborou os Programas Nacionais de Direitos Humanos I e II, que já contemplavam questões dos direitos humanos das pessoas LGBT. Como prefeito e governador, o senhor criou as Coordenadorias da Diversidade Sexual, esteve na Parada LGBT de São Paulo e apoiou diversas iniciativas em favor da população LGBT.

Candidata Dilma: a senhora ajudou a coordenar o governo que mais fez pela população LGBT, que criou o programa Brasil sem Homofobia, e o Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de LGBT, com diversas ações. A senhora assinou, junto com o presidente Lula, o decreto de Convocação da I Conferência LGBT do mundo. A senhora já disse, inúmeras vezes, que o aborto é uma questão de saúde pública e não uma questão de polícia.

Portanto, candidatos, não maculem suas biografias e trajetórias. Não neguem seu passado de luta contra o obscurantismo.

A ABGLT acredita na democracia, e num país onde caibam todos seus 190 milhões de habitantes e não apenas a parcela que quer impor suas ideias baseadas numa única visão de mundo. Vivemos num país da diversidade e da pluralidade.

É hora de retomar o debate de propostas para políticas de governo e de Estado, que possam contribuir para o avanço da nação brasileira, incluindo a segurança pública, a educação, a saúde, a cultura, o emprego, a distribuição de renda, a economia, o acesso a políticas públicas para todos e todas!

Eleições 2010, segundo turno, em 15 de outubro de 2010.

ABGLT – Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais