Nota Pública do Grupo Arco-Iris sobre o segundo turno das eleições presidenciais – A esperança e o amor vão vencer o ódio!

Pelo direito de existir e em favor da democracia, somos Haddad e Manuela! A esperança e o amor vão vencer o ódio!

O Grupo Arco-Íris alerta toda a comunidade LGBTI+ para o grave momento político atual no Brasil, de ameaça à democracia, às liberdades individuais e aos direitos já conquistados. Por isso, convoca cada brasileira e brasileiro LGBTI+, pessoas amigas, familiares e democratas a votarem no segundo turno das eleições presidenciais em Fernando Haddad e Manuela D´Ávila, única saída para manter o Brasil no prumo da democracia e pela melhoria da qualidade de vida dessa e das futuras gerações. Nosso voto é pelo diálogo. Pelo amor e a liberdade. É pelo direito a igualdade. Pelo direito de existir!

O Grupo Arco-Iris de Cidadania LGBTI+, entidade sem fins lucrativos, suprapartidária, há 25 anos atuando na defesa, garantia e promoção dos direitos humanos de LGBTI+, organizador da 23ª Parada do Orgulho LGBTI-Rio, que levou mais de 1 milhão e duzentas mil pessoas a Copacabana, no dia 30 de setembro de 2018, com o tema “Vote em ideias e não em pessoas. Vote em quem tem compromisso com a Causa LGBTI+”, vem a público manifestar posicionamento diante do quadro do segundo turno das eleições para a presidência da República do Brasil, como segue:

Considerando que temos como um dos objetivos principais o diálogo com todas as frentes em busca da defesa dos Direitos Humanos e que a nossa base primordial é a defesa incondicional desses Direitos, acima de qualquer bandeira partidária, política e/ou ideológica, afirmamos categoricamente que não podemos compactuar com ideias e atitudes que dialogam com o fascismo, o discurso de ódio, a negação da pluralidade humana, a rejeição das diferenças, de louvor a ditadura – uma página tenebrosa na história brasileira, e nem com propostas de governo que ataquem direitos já conquistados para os mais desfavorecidos da população brasileira e nem com a violação das liberdades individuais, duramente garantidas pelas lutas do povo brasileiro, por meio de movimentos sociais e pessoas ativistas em várias áreas. Ativismo esse que denuncia, propõe e luta por melhorias na qualidade de vida dos vários segmentos populacionais. Portanto, não podemos compactuar também com ideologias autoritárias que negam a importância da militância civil e do ativismo por direitos, ferramentas necessárias para o fortalecimento e consolidação dos pilares da democracia.

 

Considerando que não podemos compactuar com ideias publicamente declaradas em conferências, redes sociais, entrevistas contrárias aos direitos civis da Comunidade LGBTI+, que contribuem para a incitação do ódio e a violência contra nós, inclusive contra crianças e adolescentes, disseminando a intolerância e o sofrimento, contribuindo para o suicídio e a exclusão social.

 

Igualmente, não podemos compactuar com o racismo, representado por ideias de inferiorização da raça negra, responsável pelo genocídio da juventude negra brasileira e pelos prejuízos históricos que demarcam uma extrema exclusão econômica da população negra, nem tampouco aceitar o machismo – enraizado em nossa sociedade, que inferioriza as mulheres, que viola física e psicologicamente milhares de pessoas do gênero feminino, adultas e crianças, que tem suas vidas roubadas, em razão da cultura do estupro. Também não podemos compactuar com declarações que desrespeitam a população indígena, seus direitos e suas terras, enquanto há grandes latifúndios improdutivos. E repudiamos qualquer tentativa de violação do Estatuto do Desarmamento. Ao invés de se ter arma na mão, propomos mais livros.

Entendemos que o Brasil vive uma grave crise institucional, política, econômica e de governança, mas esta só será superada com muito diálogo e respeito a pluralidade e as necessidades de todo o povo brasileiro, especialmente com um olhar cuidadoso para as pessoas que mais precisam. Não podemos ignorar o momento em que vivemos, onde os direitos sociais, econômicos, culturais e civis vêm sendo atingidos, lesando de forma contundente a vida de milhares de pessoas.

 

Nosso apoio é pela vida de todos os seres humanos, pelo afeto, pela liberdade de cada pessoa, respeitando-se a pluralidade e as diferenças. Nosso voto é em nome das mães e filhas, negras ou brancas, pais, de sua amiga ou amigo, de irmã e irmão, de filha ou filho, dos seus parentes LGBTI+ e pelas pessoas que transitam todos os dias nas ruas e que podem levar um tiro pelo armamento civil descontrolado e estimulado.

 

Por isso, O Grupo Arco-Iris resolve:

Diante do quadro de candidaturas no segundo turno das eleições presidenciais no Brasil, onde há dois projetos de sociedade claramente opostos e em disputa, um representado pelo inominável, que é o da barbárie, do fascismo, do obscurantismo, da violação de direitos, da negação da diversidade humana, do discurso de ódio e de louvor a ditadura, do ataque as políticas sociais e econômicas dirigidas aos mais pobres e do outro lado, há o projeto representado pela candidatura de Haddad e Manuela,  que defende o fortalecimento da democracia e da participação social, o respeito aos direitos humanos e às liberdades individuais, bem como, a igualdade de direitos e luta pela da inclusão socioeconômica das pessoas mais pobres e em situação de vulnerabilidade social.

A escolha agora é entre a barbárie e o processo civilizatório!

Portanto, não há dúvida que o caminho para seguir construindo a democracia, a igualdade de direitos, a cidadania e os direitos humanos passa pelo apoio incondicional e público a candidatura à presidência de Haddad e Manuela. Assim, O Grupo Arco-Íris alerta toda a comunidade LGBTI+ para o grave momento político atual no Brasil, de ameaça à democracia, às liberdades individuais e aos direitos já conquistados. Por isso, convoca cada brasileira e brasileiro LGBTI+, pessoas amigas, familiares e democratas a votarem no segundo turno das eleições presidenciais em Fernando Haddad e Manuela D´Ávila, única saída para manter o Brasil no prumo da democracia e pela melhoria da qualidade de vida dessa e das futuras gerações. Nosso voto é pelo diálogo. Pelo amor e a liberdade. É pelo direito a igualdade. Pelo direito de existir!

Rio de Janeiro, 09 de outubro de 2018

 

Grupo Arco-Iris de Cidadania LGBTI+

Encontro entre pré-candidaturas LGBTI e aliadas pactuou agenda pró-direitos LGBTI+ para Eleições 2018 em evento no Centro do Rio

Encontro entre pré-candidaturas LGBTI e aliadas pactuou agenda pró-direitos LGBTI+ para Eleições 2018 em evento no Centro do Rio

Encontro de Pré-Candidaturas LGBTI e de Pessoas Aliadas do Rio de Janeiro, realizado no dia 22 de junho de 2018, reuniu lideranças da comunidade e seus aliados para a discussão da cidadania para lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e pessoas intersexo. Ao todos, 13 pessoas pré-candidatas a deputadas/os estaduais, seis a federais; três ao governo do estado e um ao senado, de sete partidos diversos, estiveram juntos falando sobre os desafios e planos para o Rio de Janeiro e para a cidadania LGBTI em 2019.

Todas as pré-candidaturas assinaram o compromisso com a Plataforma Nacional LGBTI, que é uma estratégia para as candidaturas à Presidência da República, ao Congresso Nacional, a Governador/a e às Assembleias Legislativas firmarem seu compromisso com questões que são prioritárias para a realização dos direitos humanos e a consolidação da cidadania plena da população brasileira de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e intersexuais.

Giowana Cambrone, advogada transexual, iniciou o evento reforçando a importância da presença de políticos LGBTI e aliados. “Precisamos que essa população seja representada e que todos os candidatos se comprometam com as pautas que tanto falam durante as suas campanhas”. O diretor da Associação Brasileira de Famílias Homotransafetivas – ABRAFH, Saulo Amorim, ressaltou a importância deste compromisso e do respeito com todas as famílias.

O evento prestou homenagem à vereadora Marielle Franco. “Hoje são 103 dias sem Marielle. E ela representava as mulheres lésbicas, negras e faveladas. Não podemos permitir que o estado não tenha a nossa cor, nossos corpos e nossas crenças. É fundamental que esses encontros aconteçam. Não é mais uma luta entre direita e esquerda. É a favor da democracia. Vamos transformar luto em verbo!”, disse Mônica Benício, ativista de direitos humanos e companheira de Marielle.

Após a homenagem, os pré-candidatos presentes assinaram o compromisso através da Plataforma Nacional LGBTI Eleições 2018. “Nós queremos o comprometimento das candidaturas que têm a pauta LGBTI. Sabemos que é um tema difícil para alguns partidos e queremos tirar os políticos do ‘armário’ para que eles se comprometam a levar as nossas pautas como cidadãos e cidadãs dentro do marco da Constituição Federal. Não queremos privilégios, não queremos cargos, nós queremos cidadania”, disse Toni Reis, presidente da Aliança Nacional LGBTI.

Ele ainda revelou que a ideia é procurar os candidatos para que se comprometam. “Quem assinar, recomendaremos o voto. As pessoas têm que se comprometer com a defesa de um estado laico, cidadania para todos, políticas públicas para a área da educação, respeitando a liberdade religiosa, respeitando sempre todas as famílias, não só a família tradicional”, esclareceu Toni.

Marcelle Esteves, vice-presidente do Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT falou sobre o machismo e racismo na política, enfatizando que os partidos não representam as mulheres negras e a população LGBTI. Para ela, para a política mudar, é necessário que o pensamento também mude. “Precisamos de renovação, de um fazer político diferente. Precisamos de novas práticas e não somente mudança nos rostos que estão no poder porque as antigas práticas continuam”.

As novas regras eleitorais para este ano foram apresentadas pela advogada Samara Castro, especialista em direito eleitoral e partidário e ativista do Movimento Mulher Advogada. As pessoas pré-candidatas também puderam discutir como estruturar suas campanhas com o jornalista e professor Julian Rodrigues. Gui Mohallem apresentou os resultados das Pesquisas Vote LGBT. Ao todo, foram entrevistadas 310 pessoas em São Paulo participantes da Caminhada das Mulheres Lésbicas e Bissexuais (dia 8/6) e da Parada do Orgulho LGBT (dia 9/6). O resultado  mostrou que as três pautas prioritárias para a população LGBTI são: ensino de respeito à LGBTI nas escolas, criminalização da LGBTIfobia e cotas de emprego para pessoas trans (mais informações em www.votelgbt.org).

“A gente sabe que a mudança de cultura e a promoção dos direitos LGBTI passam pelo poder político nas dimensões do Estado. Por isso é fundamental ampliar a nossa representação na política. Que nestas eleições a gente tenha mais candidaturas de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e pessoas intersexo, e também de pessoas aliadas à nossa causa para a defesa de uma forte agenda contra a violência e a discriminação; pela cidadania LGBTI e os Direitos Humanos e que faça assertivo enfrentamento ao fundamentalismo religioso”, ressalta Cláudio Nascimento, diretor de políticas públicas e cidadania da Aliança Nacional LGBTI+ e Coordenador Executivo do Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT.

Nascimento completa afirmando que “Eu acredito de que tenhamos o início de um novo momento, mesmo que num ambiente adverso, poderemos ampliar nas eleições de 2018 a representação de nossa agenda nos legislativos federal e estadual, com a reeleição de representações atuais e a eleição de novas candidaturas LGBTI e Aliadas”.

O encontro fez parte da Semana do Orgulho LGBTI+ Rio 2018. foi uma realização da Rede GayLatino, Aliança Nacional LGBTI+, Grupo Arco-Íris, com apoio logístico do Hotel Vila Galé, da Target Assessoria de Comunicação, da Four X, da Paixão em Viajar – Agência de Viagens – e da GATARIA Photography, além da parceria institucional com a Câmara de Turismo e Comércio do Rio de Janeiro.

Relação das pré-candidaturas do Rio que assinaram compromisso com a Plataforma Nacional LGBTI

Para o Governo do Estado do Rio de Janeiro

  • Márcia Tiburi – PT
  • Rubem César Fernandes – PPS
  • Tarcísio Mota – PSOL

Para o Senado

  • Ivanir dos Santos – PPS

Para a Câmara Federal

  • David Miranda – PSOL
  • Eliseu Neto – PPS
  • Indianare Siqueira – PSOL
  • Jandira Feghali – PcdoB
  • Laura Carneiro – DEM
  • Verônica Lima – PT

Para a Assembleia Legislativa do Estado

  • Barbara Aires – PSOL
  • Carlos Minc – PSB
  • Carlos Tufvesson – PV
  • Comte Bittencourt – PPS
  • Dani Balbi – PcdoB
  • Danielle Nunes – PSOL
  • Jaqueline Gomes de Jesus – PT
  • Letícia Chagas – Podemos
  • Marco Aurélio Trocado Paes – PSOL
  • Michel Lúcio – PT
  • Monica Francisco – PSOL
  • Enfermeira Rejane – PcdoB
  • Waldeck Carneiro – PT

Entre as prioridades da Plataforma para o Legislativo está a aprovação do marco legal que proteja as pessoas LGBTI+ e puna criminalmente as discriminações, discursos de ódio e violências (físicas, verbais, simbólicas e institucionais) com base na orientação sexual e/ou identidade de gênero. Já no caso do Executivo, a ênfase está em políticas públicas afirmativas para a população LGBTI+ por meio do chamado “tripé” da cidadania, qual seja: Planos Governamentais LGBTI+; Coordenações LGBTI+ na estrutura dos governos para a execução dos Planos; e Conselhos LGBTI+ com participação paritária da sociedade civil para consulta, deliberação e monitoramento da execução das políticas públicas específicas.

 

Há uma Plataforma para adesão por cada tipo de candidatura.

 

Pré-candidatos/as que querem aderir à Plataforma podem acessar e preencher online o respectivo Termo de Compromisso:

Formulário Termo de Compromisso Deputado(a) Federal: https://goo.gl/forms/1nJR8OeBvu5K49LE2

Formulário Termo de Compromisso Deputado(a) Estadual: https://goo.gl/forms/RKdj5sOEGqijfPC22

Formulário Termo de Compromisso Senador(a): https://goo.gl/forms/z4O2AIMTvgksnbkK2

Formulário Termo de Compromisso Governador(a): https://goo.gl/forms/JVgrKCIjHEzfxH4E3

Formulário Termo de Compromisso Presidente(a): https://goo.gl/forms/EQrXX6k8mNoAeoL93

 

Os Termos de Compromisso também estão disponíveis no formato Word:

Deputado(a) Estadual: https://drive.google.com/open?id=1CMmFu8vkTCvquXyn2rbqt-Xk4pv8UGR2

Deputado(a) Federal: https://drive.google.com/open?id=1Xt5PBoGRxdT0nb-cR1DPPEulU6ddghlQ

Senador(a): https://drive.google.com/open?id=1JmRb41oC1QTB-tSHGc2iVEnN5lBE9_01

Governador(a): https://drive.google.com/open?id=154YrHa8Rmlbkq5LuSkLsjVz1PazRtmk6

Presidente: https://drive.google.com/open?id=1GF_8TcDfq2-JU

 

Para cadastrar pré-candidatura LGBTI ou aliada na Plataforma, acesse: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdpeRqp5TYKExtIZFa5l–03bbaxI8GmVdKDQkKvL1WUyxQRg/viewform?c=0&w=1a

 

Texto: Target Comunicação e Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT.

Fotografias: GATARIA Photography

 

1 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography

6 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 5Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography-119 5 - Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 4 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 3 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 2 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography

13 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 12 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 11 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 10 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography- 9 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography-63 8 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography-61 7 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography6 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 5Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography-119 5 - Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 4 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 3 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 2 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography

20 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 19 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography (1) 18 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 17 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 16 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 15 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 14 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography

66 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography (1) 64 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 68 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography (3) 67 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 23 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 22 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography z seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-6 x seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-81

27 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 26 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 25 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 24 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 23 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 22 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 21 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 20 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 19 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography (1) 18 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 17 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 16 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 15 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 14 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 13 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 12 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 11 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 10 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography- 9 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography-63 8 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography-61 7 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 6 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 5Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography-119 5 - Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 4 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 3 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 2 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 57 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography-6 65 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 52 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 51 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 50 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 49 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 48 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 56 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 41 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 40 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 39 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 38 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 37 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 36 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 33 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 32 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 2 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 1 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography

13 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 12 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 11 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 10 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography- 9 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography-63 8 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography-61 7 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 6 Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography 5Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography-119 5 - Encontro Pré Candidatos LGBTI_gatariaphotography

Manual de Comunicação LGBTI+ é lançado no Rio

 De acesso público e gratuito, manual traz novos conceitos e definições em relação à temática LGBTI

Com o objetivo de diminuir o preconceito, a discriminação e contribuir para uma comunicação mais inclusiva, foi lançado, na última terça-feira (26 de junho de 2018), o Manual de Comunicação LGBTI+. O manual visa apresentar aos veículos de comunicação, jornalistas e estudantes de jornalismo uma terminologia mais atualizada e correta sobre a população lésbica, gay, bissexual, travesti, transexual e intersexual.  Mais de 150 pessoas estiveram no lançamento, que aconteceu no Hotel Vila Galé, na Lapa / Rio de Janeiro, e contou com a presença de lideranças e ativistas LGBTI.  O evento também teve a apresentação do seminário “Mídia, diversidades e cidadania LGBTI no Rio”, para discutir os avanços e desafios da comunidade LGBTI e a representatividade deste público na mídia.

“No seminário, pudemos dialogar com profissionais da área de comunicação e ativistas LGBTI sobre o que já avançamos, além de abordar quais são os próximos desafios e como podemos superá-los, tanto na mídia tradicional, como na mídia alternativa, Vamos Realizar outro seminário na área de comunicação, porém com as Mídias LGBTI específicas. Esperamos que o Manual de Comunicação LGBTI seja uma importante ferramenta de orientação aos profissionais de comunicação”, afirma Cláudio Nascimento, diretor de políticas públicas e cidadania da Aliança Nacional LGBTI+ e Coordenador no Brasil da Rede GayLatino.

O manual traz novos conceitos e expressões da comunidade LGBTI, como utilização de terminologias de gênero, definições dos conceitos intersexualidade, orientação sexual. “O manual vem para ajudar na comunicação entre a nossa comunidade, a imprensa e a sociedade em geral. É muito importante para diminuir o preconceito e a discriminação nas palavras e para saber fazer uma comunicação cidadã”, explica Toni Reis, presidente da Aliança Nacional LGBTI e pós-doutor em educação, e organizador da publicação.

Bárbara Aires, assessora parlamentar e mulher transexual, aponta a dificuldade de profissionais de comunicação quando se trata do gênero. “Nas páginas policiais, as travestis são sempre colocadas no masculino e sempre é pontuado o seu nome de registro”, comenta. Ela explica que é importante readequar o discurso quando se pauta a temática LGBTI na mídia.

Para Marcelle Esteves, vice-presidente do Grupo Arco-Íris, a mídia desempenha um papel fundamental, no que se refere à visibilidade LGBTI. “A grande preocupação é a maneira que eles [a mídia] abordam a questão. Ter um cuidado para não cair na representação estereotipada dos gays, das lésbicas, travestis e transexuais, principalmente, por uma mídia que entra em milhares de casas do nosso país”, completa.

Fernanda da Escóssia, jornalista, professora da Ibmec-Rio e palestrante do seminário observa que a diversidade ficou fora da prática jornalística e aponta a necessidade de inclusão da diversidade como um valor no jornalismo. “Queremos que o jornalismo represente o conjunto da sociedade, não mais um jornalismo feito apenas por homens brancos. Agora, como professora e com meus alunos, tenho tentado levar esta preocupação com a pauta da diversidade”, conta Fernanda.

“A Rede GayLatino tem como preocupação central contribuir para construir climas e ambientes sociais favoráveis a um convívio de respeito a diversidade sexual em toda a América Latina. Também compreende que a discriminação é construída a partir da cultura da estigmatização das pessoas LGBTI. Assim, produzir o Manual de Comunicação LGBTI é parte de uma estratégia de enfrentamento do estigma com informações corretas e orientação de como abordar a temática da livre orientação sexual e identidade de gênero, especialmente na reprodução de narrativas mais inclusivas e que reconheça a cidadania da população LGBTI”, destacou Simon Cazal, secretário geral da Rede GayLatino.

O manual é uma obra inspirada em outros materiais de países da América-Latina, Estados Unidos e Brasil. O Manual de Comunicação LGBTI+ é uma realização da rede GayLatino e Aliança Nacional LGBTI, em parceria com outras instituições. O conteúdo do material conta com contribuições de especialistas na temática e é resultado de uma consulta pública. O acesso ao material é público e está disponível no site da Aliança Nacional. O lançamento do manual marca a semana do dia 28, data que celebra o Dia Mundial do Orgulho LGBTI.

As mesas de discussão foram compostas por Bárbara Aires (mulher trans e assessora parlamentar), Diego Cotta (jornalista), Camila Marins (jornalista e ativista lésbica), Marcelle Esteves (assistente social e vice-presidente do Grupo Arco-Íris), Wilson Pinheiro (editor-chefe do portal Comunicação Colorida), Fernanda da Escóssia (professora de jornalismo da Ibmec-Rio), Gilberto Scofield (jornalista e assessor-chefe de Comunicação da ANCINE), Marcia Villela (relações públicas e diretora da Target Assessoria de Comunicação), Cláudio Nascimento (graduado em filosofia e Diretor de Políticas Públicas da Aliança Nacional LGBTI e Coordenador Executivo do Grupo Arco-Íris), Sérgio Suiama (procurador da república no Rio de Janeiro), Toni Reis (presidente da Aliança Nacional LGBTI) e Simon Cazal (secretário-geral da Rede GayLatino e Diretor do Grupo Somos-Paraguai),  Felipe Martins (jornalista e editor da Revista Rio Gay Life e colaborador do Site Revista Fórum) e Renan Wilbert (jornalista. Administrador da Página Igreja de Santa Cher na Terra).

O evento foi uma realização da Rede GayLatino, Aliança Nacional LGBTI+, Grupo Arco-Íris, com apoio logístico do Hotel Vila Galé, da Target Assessoria de Comunicação, da Four X, da Paixão em Viajar – Agência de Viagens – e da GATARIA Photography, além da parceria institucional com a Câmara de Turismo e Comércio do Rio de Janeiro.

 

Texto: Target Comunicação e Grupo Arco-Iris de Cidadania LGBT.

Fotografias: GATARIA Photography

A seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-22 seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-16 seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-25 seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-28 seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-41 seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-46 seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-48 seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-52 seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-61 seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-68 seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-74 seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-75 seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-84 seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-86 seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-88 seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-92 seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-96 seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-101 seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-103 seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-112 x seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-81 z seminário mídias diversidades e cidadania LGBTI_gatariaphotography-6

 

PRIMEIRO EVENTO ARCO-ÍRIS DE PORTAS ABERTAS

O Grupo Arco-Íris realiza neste sábado (07.07) o primeiro evento ARCO-ÍRIS DE PORTAS ABERTAS.
Na sede do Grupo Arco-íris
Rua Tenente Possolo, 43, Sobrado, Centro/RJ(esquina com a Rua Mem de Sá)
Tel.: (21)22150844
Inicio às 16h
Novos criadores pensando novas formas do fazer moda.
um olhar sobre a arte e a vida
venha pintar o 7 8 9 10 ……
Eduardo Correia
Medusa
Moa
Almir França
Pedro Lopes
Oficina de criação
Atelier Escola
Bebidinhas, comidinhas,
e tantas coisassss
Gai cultural - portas abertas

NOTA DE REPÚDIO DO GRUPO ARCO-ÍRIS EM RELAÇÃO À MATÉRIA DA REVISTA ÉPOCA SOBRE A PREP

NOTA DE REPÚDIO DO GRUPO ARCO-ÍRIS EM RELAÇÃO À MATÉRIA DA REVISTA ÉPOCA SOBRE A PREP

 

O Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT é uma organização não-governamental, atuante há 25 anos na cidade do Rio de Janeiro. Neste tempo vem pautando sua agenda voltada para lésbicas, gays, bissexuais, travestis, mulheres transexuais, homens trans e pessoas intersexo, com o enfoque na cidadania, promoção dos direitos humanos e de uma cultura de paz, combate à violência, justiça social, prevenção e atenção em IST, HIV/Aids e Hepatites Virais entre outras questões que busquem a melhoria da qualidade de vida dessa população.

 

O Grupo Arco-Íris vem expressar o seu repúdio ao artigo “O Novo Azulzinho” escrito pelo jornalista Danilo Thomaz para a revista Época nº1031, da Editora Globo, lançada em 02 de abril de 2018.

 

Com a chamada “A PrEP está mudando o comportamento sexual de grupos de risco, sobretudo dos gays. Eles estão abandonando a camisinha, contribuindo para o aumento de doenças sexualmente transmissíveis”, a reportagem reforça estigmas para a comunidade LGBT – ainda que seja direcionada especificamente para gays, boa parte da sociedade ainda compreende os segmentos da sigla como uma coisa só – acentuando uma pecha de promíscuos e de vetores, como se estes fossem os grandes responsáveis por propagar infecções sexualmente transmissíveis.

 

Esclarecemos que o termo “Grupo de Risco” não mais se utiliza por sua conotação pejorativa e segregadora. Todos os seres humanos, justamente por sua condição fisiológica natural estão em condições de risco e de sofrer impactos em sua saúde por agentes patogênicos. O que ocorre é o fato de alguns indivíduos, por questões sociais, físicas e/ou comportamentais encontram-se mais vulneráveis a sofrerem impactos em sua saúde. Também, ressaltamos que os comportamentos sexuais estão relacionados com várias questões subjetivas e que não cabe a nenhum de nós fazer juízo de valor sobre com quem ou quantos parceiros determinado indivíduo se relaciona. Se levarmos em conta a avaliação da Organização Mundial de Saúde, uma pessoa que se relaciona com mais de três parceiros num período de 12 meses é considerada promíscua. Desta forma, o Brasil pode ser considerado o “país da promiscuidade”, já que de acordo com pesquisa feita pelo Ministério da Saúde em 2008, 11,5 milhões de brasileiros, de ambos os sexos e orientações sexuais, entre 15 e 54 anos, admitiram ter tido mais de cinco parceiros no ano.

 

A afirmação de que gays estão abandonando a camisinha não pode ser tomada como uma regra, pois carece de estudos mais específicos, inclusive para entender onde e como isso acontece – já que nosso olhar muitas vezes se limita aos grandes centros metropolitanos, e se esquece de que vivemos num país continental – e em qual contexto isso poderia acontecer. Não podemos deixar de levar em conta que o conflito prevenção versus prazer sempre foi e será uma questão relevante para qualquer ação de saúde pública.

 

A matéria desvirtua ainda e pouco esclarece o que seria a prevenção combinada, estratégia que consiste na liberdade do indivíduo em escolher qual a melhor forma de se prevenir numa relação sexual, combinando o preservativo com outras metodologias de proteção aos agentes patogênicos (PEP, PrEP, microbicidas, testagem de hiv, sífilis e hepatites virais, imunização por vacinas, serosorting, etc) ou práticas sexuais menos suscetíveis às infecções por estes (redução de risco, sexo sem penetração, etc.).

 

Consideramos a matéria um desserviço, com erros grosseiros de conceitos, confundindo a mente do leitor e reforçando preconceitos sobre o que seria a PEP (Profilaxia Pós Exposição ao vírus HIV) e a PrEP (Profilaxia Pré Exposição ao vírus HIV). Ainda abusa do termo “contaminação”, que semanticamente possui um conceito de alteração nociva da pureza ou das condições normais de uma coisa. O mais aceito sob a ótica dos direitos humanos seria infecção.

 

Questionamos se no texto os trechos sensacionalistas e alarmistas não fazem coro com uma pauta moralista contextualizada no cenário dos retrocessos e caretices capitaneadas pelos setores conservadores e religiosos obscurantistas.

 

Entendemos a PrEP e a prevenção combinada como estratégias muito bem-vindas a fim de contribuir para a diminuição da epidemia de HIV/Aids no Brasil e no mundo, principalmente entre os mais jovens e vulneráveis. Por fim, esperamos apenas duas coisas do jornalismo sério: Ética e Imparcialidade!

 

Rio de Janeiro, 03 de abril de 2018

 

 

 

Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT

 

 

 

 

Roda de conversa: “Movimentos Sociais e o programa Rio Sem Homofobia”

O Grupo Arco-íris traz em sua pauta no dia 06 de abril às 19h, em sua sede, a Roda de conversa: “Movimentos Sociais e o programa Rio Sem Homofobia: uma trajetória de luta por políticas públicas e o reconhecimento da Cidadania LGBT no Rio de Janeiro”.
 
Este trabalho é resultado de 10 anos de pesquisas do ativista, psicólogo, pesquisador do GE-SER e mestre em Políticas Públicas em Direitos Humanos, Alexandre Nabor França.
 
Como debatedores:
 
Alessandra Ramos – Tradutora de Libras, Presidente do Instituto TransFormar e assessora parlamentar.
 
Claudio Nascimento – ativista, idealizador do Programa RSH, filósofo e coordenador executivo do Grupo Arco-Íris.
 
Sergio Luiz Baptista – Prof. Dr. da Faculdade de Educação e do Núcleo de Estudos de Políticas Públicas em Direitos Humanos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (NEPP DH UFRJ) e coordenador-pesquisador do GE-SER (Grupo de Pesquisa em Gêneros, Sexualidades e Raça em Educação e em Diretos Humanos) NEPP DH UFRJ.
 
O objetivo é refletir sobre o histórico da contribuição dos movimentos sociais na elaboração do Programa Rio Sem Homofobia para implementação das politicas públicas LGBT. Além disso, fomenta a discussão de como estas políticas públicas se estruturaram para o reconhecimento da cidadania LGBT no Estado do Rio de Janeiro.
 
Local: Grupo Arco-Íris – Rua Tenente Possolo, 43 sobrado – Centro – Rio de Janeiro (perto da Praça da Cruz Vermelha)
+ Infos: 21-2215-0844.
 
#diversidadesexual #lgbt #grupoarcoiris #Mariellepresente

NOTA INFORMATIVA DO GRUPO ARCO-ÍRIS SOBRE A REALIZAÇÃO DA 22ª PARADA DO ORGULHO LGBT – RIO 2017 E PROVIDÊNCIAS

NOTA INFORMATIVA DO GRUPO ARCO-ÍRIS SOBRE A REALIZAÇÃO DA 22ª PARADA DO ORGULHO LGBT – RIO 2017 E PROVIDÊNCIAS

O Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT do Rio de Janeiro, entidade comunitária responsável pela organização da Parada do Orgulho LGBT do Rio desde 1995, vem a público informar que:

 

  • A 22ª Parada do Orgulho LGBT-Rio 2017 tem data marcada para ocorrer no dia 15 de outubro, em Copacabana. Foram tomadas as providências legais na Prefeitura para a realização da manifestação.

 

  • Quanto ao financiamento para a realização da edição de 2017, a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro – apesar de até agora não ter informado publicamente, em nossa última conversa no mês de junho com a RioTur, Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual e representante do gabinete do Prefeito – nos informou que não patrocinará a Parada, com recursos próprios, conforme nos anos anteriores.

 

  • A Organização já se manifestou contra a posição discriminatória da Prefeitura, já que a mesma deu um tratamento diferenciado para outras atividades ou ações culturais. Diminuiu drasticamente recursos para outras áreas, mas não os cortou totalmente, como fez com a 22ª Parada do Orgulho LGBT do Rio. O único aceno feito pela Prefeitura foi a oferta de caderno de encargos, onde a mesma ofereceria como contrapartida às empresas patrocinadoras espaços publicitários no mobiliário urbano; deixando a Parada a sua própria sorte, sem assumir qualquer compromisso em caso de insucesso desta modalidade de captação de recursos.

 

  • A Instituição vem buscando desde o início do ano, na iniciativa privada, apoio em recursos financeiros (via projetos de incentivo fiscal ou patrocínio direto) para custear a estrutura necessária visando a segurança, logística e exigências legais para a operacionalização da manifestação, o que até agora não se consolidou.

 

  • A estrutura refere-se à instalação de postos médicos; alocação de UTI móveis; instalação de tendas para oferta de serviços e para o Conselho Tutelar e PCCI – Posto de Controle Central Integrado (reunindo os órgãos de controle urbano e a organização); montagem de diversas torres de observação para a PM; aluguel de geradores para as tendas; banheiros químicos por toda a extensão do percurso; rebatimento de semáforos e placas de trânsito; confecção de banners e faixas de sinalização de tráfego por todo o bairro de Copacabana; contratação de brigadistas; seguranças e apoios logísticos para suporte nos trios e em toda a extensão da manifestação; contratação de trios devidamente certificados pelo CREA e com licença do Corpo de Bombeiros; entre outras despesas para a operacionalização da passeata. A estrutura necessária demanda um grandioso aporte financeiro.

 

  • Conseguiu enquadrar o Projeto da Parada de 2017 na Lei Estadual de Incentivo à Cultura através de renúncia fiscal de ICMS no valor de R$800mil, mas cabe aqui esclarecer que esta carta é apenas uma autorização para a captação de recursos com renúncia fiscal em empresas privadas e não uma garantia imediata de recursos. Assim, estamos aguardando retorno positivo das empresas até então contatadas, e abertos a receber outros apoios.

 

  • Também, conforme divulgado na imprensa, o Grupo teve o seu projeto aprovado para a captação de recursos para a Parada de 2018, através da Lei Municipal de Incentivo à Cultura (Renúncia fiscal de ISS) no valor de R$890mil. Ressaltamos que esta autorização não tem relação com a Parada deste ano, e tampouco é garantia de recursos para 2018.

Assumimos o compromisso de informar a comunidade LGBT e parceiros as novidades ou desdobramentos em relação a realização da manifestação.

Estamos muito preocupad@s no momento, mas esperanços@s para que as nossas conversas caminhem para a concretização de possíveis patrocínios e que possamos realizar a manifestação com toda a estrutura exigida. Agradecemos o empenho de diversos aliad@s que têm contribuído com a busca de parceir@s para a realização desta grandiosa manifestação.

A Parada do Orgulho LGBT Rio é a segunda maior marcha do Brasil e o terceiro maior evento da Cidade do Rio de Janeiro. Uma vitrine importante para demarcar um projeto de Cidade para todas as pessoas, numa perspectiva democrática, diversa e inclusiva.

Somos milhões e estamos em todas as partes!

 

Rio de Janeiro, 04 de agosto de 2017.

Parada PBGrupo Arco-Iris de Cidadania LGBT

 

NOTA OFICIAL – Grupo Arco-Íris rechaça acusação falsa e repudia discriminação institucional no Governo Crivella

 

Grupo Arco-Íris rechaça acusação falsa e repudia discriminação institucional no Governo Crivella

O Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT, entidade sem fins lucrativos, fundada em 21 de maio de 1993, no Rio de Janeiro, instituição de utilidade pública estadual e municipal vem por meio desta nota se posicionar, em virtude de

1-Nota na Coluna do Paulo Capelli, no Jornal O Dia, no dia 18 de maio de 2017, com o seguinte conteúdo

“Acusação LGBT

A Coordenadoria Especial de Diversidade Sexual, da prefeitura, acusa Carlos Tufvesson, que comandava a Ceds na gestão de Paes (PMDB), de “abocanhar 10% dos R$ 650 mil da cota de patrocínio para a Parada Gay de Copacabana”. Diz que abrirá uma sindicância interna para apurar o caso.

Resposta

Procurado, Tufvesson afirma que jamais se “beneficiou com uso de bens públicos”. E que acionará judicialmente o coordenador da Ceds, Nélio Georgini, para que comprove a denúncia ou sofra as “ações penais cabíveis”. A íntegra da resposta de Tufvesson está no site da coluna”. (Coluna Paulo Capelli, Jornal O Dia, 18.05.2017)

O Grupo Arco-Íris é enfático em afirmar que jamais repassou quaisquer valores ou vantagens para quaisquer funcionários da Prefeitura, tampouco para terceiros não envolvidos diretamente na prestação de serviços contratados. O valor referido na nota não condiz com a verdade, já que o montante de 2016 foi de R$340mil, com publicação no Diário Oficial do Município do Rio, em 22.11.2016. A organização está à disposição das autoridades e da justiça para quaisquer esclarecimentos. O Grupo Arco-Íris rechaça veementemente essa acusação falsa com o intuito de atacar biografias e o movimento LGBT carioca.

2- Representação ao Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ 2017.00487284) de autoria do atual coordenador da Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual Sr. Nélio Giorgini, com objeto Guia “Come To Live The Rio Sensation”, contra o ex-coordenador do órgão Sr. Carlos Tufvesson, alegando em relação ao material, apresentado em língua inglesa, que o “formato e conteúdo não condizem com a atuação de um órgão da administração pública, trazendo imagens inadequadas e informações a respeito de estabelecimentos comerciais que desenvolvem atividades de entretenimento para adultos, incitando essa prática” (trecho de comunicação ao MPRJ).

A representação sofreu o indeferimento pelo promotor de justiça Sr. Salvador Bemerguy que apontou “que o material enviado contém apenas três imagens de casais em um contexto LGBT, sendo seguido, de toda a sorte, de indicações de estabelecimentos “gay friendly”, como hotéis, casas noturnas e restaurantes. Além disso, como um guia turístico comum, o folheto em análise descreve as atrações naturais e culturais da cidade do Rio de Janeiro, como as praias e o carnaval”; quanto a alegação sobre “estabelecimentos comerciais que desenvolvem entretenimento para adultos”, o promotor não vislumbrou “[…] no material encaminhado qualquer indício de estímulo a prática de atividades ilícitas […]”. Assim, a promotoria indeferiu liminarmente a representação, considerando “a ausência de justa causa para a deflagração de inquérito civil público ou instauração de procedimento preparatório, especialmente porque não constam do presente expediente indícios mínimos de lesão a direitos de caráter transindividuais ou que sugiram a prática de ato de improbidade administrativa”.

Desta maneira, o Grupo Arco-Íris repudia veementemente a representação da gestão atual da CEDS junto ao MPRJ, que caracteriza uma postura de censura e moralismo contra publicação LGBT, e consequentemente de discriminação a população LGBT. A gestão atual condenou, como inadequadas, as imagens de casais de gays e lésbicas se beijando e em gestos de afeto. Isto nos sinaliza, com preocupação, a forma como a política pública para a promoção da cidadania LGBT vem sendo conduzida pelo atual coordenador, se colocando como instrumento de suporte ao conservadorismo, colocando em xeque a própria missão da CEDS de defender os direitos de LGBT, incluindo aí a expressão plena do afeto.

Na cidade do Rio de Janeiro, com o Governo Crivella, as ações e políticas públicas LGBT que vinham sendo implementadas na gestão anterior sofrem um grande revés, tanto no enfraquecimento institucional da Coordenação Especial da Diversidade Sexual, que foi desvinculada do Gabinete do Prefeito para a Casa Civil, quanto nos seus programas, que sofreram grande redução e descontinuidade, bem como, a decisão da Prefeitura de não patrocinar a Parada do Orgulho LGBT-Rio 2017, evento que se transformou numa  grande ação contra o preconceito e pela construção de um Rio plural, sem Lgbtfobia, racismo, machismo, desigualdades sociais e que já foi reconhecido pela RioTur como o terceiro maior da cidade.

O Grupo Arco-Íris repudia qualquer tentativa da gestão atual de ataques a direitos conquistados e de não reconhecimento das políticas públicas implementadas anteriormente. Inverdades e falácias implantadas com intuito de confundir a opinião pública e de construir uma cortina de fumaça para impedir um olhar crítico sobre gestão atual e para a cooptação de setores do movimento social LGBT. O Arco-Íris repudia quaisquer atitudes de censura ao afeto LGBT pois não é papel da Prefeitura, nem do Governo Crivella, regular a nossa expressão. O Grupo cobra da Prefeitura e da CEDS uma política transparente, de diálogo e que respeite o que se construiu ao longo dos anos de políticas públicas para LGBT na cidade e a manutenção do patrocínio a Parada do Orgulho LGBT de 2017, como vem acontecendo tradicionalmente.

Exigimos que o Governo Crivella governe para todas as pessoas sem preconceito e discriminação, respeitando o Rio de Janeiro, para que se firme uma cidade plural, inclusiva e laica.

Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBTGuia Gay

O Dia do Orgulho LGBT é para celebrar e reconhecer que há ainda muito por fazer!

O Dia do Orgulho LGBT é para celebrar e reconhecer que há ainda muito por fazer!
 
 O Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT, entidade sem fins lucrativos, fundada em 21 de maio de 1993, no Rio de Janeiro, instituição de utilidade pública estadual e municipal, em razão de hoje, 28 de junho, data que celebra o Dia Mundial do Orgulho LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, mulheres transexuais, homens trans) em todo o mundo, vem saudar toda a comunidade LGBT que tem ao longo das últimas décadas resistido e afirmado o seu direito de existir e de amar quem quiser.
 
A celebração é em virtude da Revolta de Stonewall, em Nova Iorque, quando, cansados das rotineiras batidas policiais, LGBT reagiram por três noites com seu desfecho no dia 28 de junho de 1969. A revolta começou no bar Stonewall Inn e alastrou-se para todo o bairro Greenwich Village. As palavras IGUALDADE, DIGNIDADE, ATITUDE E ORGULHO foram as mais entoadas naquele momento, marco do novo movimento em defesa do direito de existir e expressar o afeto e a sexualidade. Em 1970, os nova-iorquinos tiveram a sua primeira Parada LGBT para celebrar a data, seguida por várias cidades em todo o mundo.
 
No Brasil, em 1995, aconteceu a primeira Parada do Orgulho LGBT, chamada na época de Marcha Pela Cidadania de Gays, Lésbicas e Travestis, realizada em Copacabana. Hoje mais de 250 cidades no país realizam Paradas, cobrando direitos, denunciando a discriminação e a tentativa de setores políticos e de religiosos fundamentalistas de impedirem o avanço da cidadania LGBT, como acontece atualmente no legislativo federal.
Cotidianamente a mídia e ativistas por todo o Brasil denunciam situações de discriminação em razão da orientação sexual e identidade de gênero, que vai de constrangimento, agressão verbal, agressão física, até assassinatos com requintes de crueldade. Infelizmente, o Rio de Janeiro é parte dessa realidade. Todos os dias em algum lugar de nossa capital e do nosso estado uma pessoa é vitimizada pela discriminação por orientação sexual e ou identidade de gênero, seja na escola, no trabalho, na família, nas ruas, entre outros. Pessoas trans proporcionalmente são as mais perseguidas. Os dados apontam que pessoas LGBT negras e pobres são alvos constantes da Lgbtfobia.
 
Estado e religião não podem se misturar. É fundamental que o poder público, em suas diversas esferas e instâncias, não permita a interferência de segmentos religiosos na sua atuação para assim assegurar a cidadania de todas as pessoas. O Estado deve ser laico!
 
Ao longo dos últimos 20 anos, a população LGBT obteve algumas conquistas. No plano nacional, ampliou a visibilidade de sua agenda na sociedade e na mídia. O movimento LGBT se diversificou, apontando outras formas de atuação e organização. A produção acadêmica na temática vem tomando corpo, com vários estudos e pesquisas que contribuem para o debate da necessidade de se enfrentar a discriminação e promover direitos. Conquistamos no Supremo Tribunal Federal o direito a união estável e ao casamento civil. Há um maior reconhecimento das demandas da população LGBT nas políticas públicas federais, com a criação de conselhos, grupos de trabalho, coordenadoria, mas, no entanto, o Governo Federal não vem produzindo ações efetivas e abrangentes para enfrentar a discriminação e afirmar direitos da população LGBT, ainda tratada como cidadãs e cidadãos de segunda classe.
 
Ainda hoje, a resposta governamental é frágil e incipiente. É urgente a criação de um sistema nacional para o enfrentamento da Lgbtfobia, integrando os governos Federal, Estaduais e Municipais, as polícias federal e nos estados, a civil e militar, o Poder Judiciário, os MP federal e estaduais, as defensorias públicas, as universidades, as ONGS, entre outros. A responsabilidade de dirigir esse processo deve ser do Governo Federal. Para além de recomendações e intenções, é urgente a implementação de políticas públicas efetivas nas diversas áreas governamentais, como educação, saúde, cultura, cidadania, trabalho, assistência social, comunicação social, justiça, direitos humanos.
 
No âmbito do estado do Rio de Janeiro, cobramos ao governo estadual que devolva para a sociedade os serviços de atendimento a LGBT, construídos nos últimos nove anos. Hoje, os quatros Centros Regionais de Cidadania LGBT e o Disque Cidadania LGBT (0800 0234567) do Programa Rio Sem Homofobia, que de 2010 a 2016 fez quase 95 mil atendimentos, estão praticamente fechados por falta de pagamento das equipes técnicas e de compromissos e estratégias por parte do governo para reestabelecer os serviços, deixando a população LGBT sem atenção às suas demandas. A política LGBT no estado passa por um processo de desmonte e não aceitaremos este retrocesso. O Rio de Janeiro já foi reconhecido como o estado com a maior política pública LGBT do Brasil. Exigimos que o governo Pezão reestabeleça urgente o Programa Rio Sem Homofobia!
 
Na cidade do Rio de Janeiro, as ações e políticas LGBT que vinham sendo implementadas na gestão anterior sofrem um grande revés, tanto no enfraquecimento institucional da Coordenação Especial da Diversidade Sexual, que foi desvinculada do Gabinete do Prefeito para a Casa Civil, quanto nos seus programas, como o Projeto Damas e ações de prevenção no Carnaval, entre outros, que sofreram grande redução e descontinuidade. O Governo Crivella, desde março, vinha negando uma posição clara quanto ao apoio tradicional da Prefeitura a realização da Parada do Orgulho LGBT do Rio de Janeiro, o que agora, se afirma através da CEDS e da Riotur, que não vai apoiar o evento, que é o terceiro maior da cidade do Rio de Janeiro. Nas eleições municipais de 2016, Crivella quando questionado sobre como atuaria em relação às políticas LGBT existentes e, especificamente com a Parada do Orgulho LGBT de Copacabana, prometeu que manteria o patrocínio da Parada, e hoje age ao contrário, colocando em risco a realização de um importante evento de reivindicação de direitos e promoção da diversidade sexual, uma grande ação contra o preconceito e pela construção de um Rio plural, sem Lgbtfobia, racismo, machismo, desigualdades sociais. Exigimos que o Governo Crivella governe para todas as pessoas sem preconceito.
 
Neste dia, reafirmarmos o compromisso com a comunidade LGBT em manter a luta contra a discriminação e pela promoção da cidadania LGBT em nossa cidade, estado e país. Também reafirmamos o compromisso em buscar realizar a 22ª Parada do Orgulho LGBT Rio, no dia 15 de outubro próximo, em Copacabana, mantendo os princípios de autonomia, independência, não atrelamento e diversidade de ideias. Convidamos o movimento e a comunidade LGBT, bem como a sociedade a apoiar o evento e a se posicionarem contra a mais essa estratégia de tentar enfraquecer a nossa luta por liberdade e por direitos.
 
Em 1993, quando o Grupo Arco-Íris foi fundado, foi alcunhada a seguinte visão: “O Grupo Arco-Íris é a possibilidade de você ser você mesmo e ainda assim caminharmos junt@s!”. É nesse espírito de unidade na diversidade que reafirmamos que junt@s somos mais fortes. Neste 28 de junho, vamos celebrar sim a nossa luta pelo direito amar quem quiser! Orgulho sim daqueles e daquelas que se foram e daquelas e daqueles que ficaram. Orgulho de nossa luta! 
 
Rio de Janeiro, 28 de junho de 2017
 
WhatsApp Image 2017-06-28 at 11.12.52Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT

NOTA OFICIAL DO GRUPO ARCO-IRIS SOBRE A PARADA DO ORGULHO LGBT RIO 2017

NOTA OFICIAL DO GRUPO ARCO-IRIS

O Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT há 21 anos criou e organiza a Parada do Orgulho LGBT Rio. A Parada é um ato cívico da sociedade civil e seu objetivo, além da visibilidade da população LGBT, foi criar um diálogo com o estado e academia na luta por garantias de direitos a essa população.

A Parada do Orgulho Rio tem tido um papel fundamental na criação de ações afirmativas de políticas públicas. Podemos citar, entre tantas outras iniciativas, pesquisas importantes com a UERJ e a organização de dados fundametais para tomadas de novas metodologias para o tratamentos e prevenção de DSTs.

Atualmente, o Grupo Arco-Íris mobiliza mais de dez instituições entre governo, ONGs e universidades para participarem da Parada do Orgulho LGBT Rio, que atuam oferecendo serviços e reforçando o diálogo entre comunidade e a sociedade.

Foi justamente a partir de reivindicações da Parada que chegamos a um dos melhores programas de cidadania para população LGBT do país – o programa RIO SEM HOMOFOBIA.

Portanto o Grupo Arco-Íris, reconhecida como a maior ONG representativa da população LGBT no estado, com ações em várias áreas sociais, desconsidera a possibilidade de participar de qualquer licitação para produzir aquilo que é uma legítima manifestação da sociedade civil e durante anos foi realizada por nós.

A Prefeitura do Rio, dentro das suas atribuições, não pode, em nenhum momento,  decidir e manipular as ações da sociedade civil em relação à organização da Parada do Orgulho LGBT Rio. Apesar da Prefeitura nos tratar apenas como “um evento”, o fato é que a execução da Parada do Orgulho LGBT Rio tem uma diversidade de atividades, reivindicações e bandeira de luta que o poder público não pode jamais se apoderar – somente a sociedade civil pode dar conta dessas demandas.

Organizamos a Parada do Orgulho LGBT Rio com apoio de dezenas de voluntários/militantes e desenvolvemos campanhas de interesse coletivo – sempre na ótica dos interesses do momento em relação à política pública. Então, como pode a Prefeitura do Município do Rio de Janeiro decidir quem organiza uma atividade de mobilização social como essa?  Não soa “estranho” a Prefeitura querer pautar aquilo que a sociedade civil vai revendicar a ela própria? Portanto, a nota publicada na coluna Gente Boa no sábado, 29 de abril, sob o título “A Parada é a seguinte” traz uma informação tremendamente descabida.

Afirmamos que o Grupo Arco-Íris não recuará um milímetro e irá organizar a Parada do Orgulho LGBT Rio em 2017,  independente dos apoios governamentais e cumprindo todas as exigências determinadas pelos órgãos competentes.

NOTA PÚBLICA

Nota Pública

O Conselho dos Direitos da População de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais do Estado do Rio de Janeiro vem a público manifestar repúdio à exoneração do coordenador do Programa Estadual Rio Sem Homofobia e manifestar sua preocupação com a continuidade do único serviço de atendimento voltado para LGBT na esfera estadual, o Programa Estadual Rio Sem Homofobia.

A exoneração do coordenador se deu sem aviso prévio tanto ao coordenador quanto ao Celgbt RJ e foi publicada em diário oficial hoje (10/02/2017) retroativa à 01/02/2017. A indicação do Sr. Cláudio Nascimento para coordenador do Programa Estadual Rio Sem Homofobia foi apoiada e reconhecida pela Sociedade Civil LGBT organizada do Rio de Janeiro e por este Conselho que tem a função de acompanhar e fiscalizar a política pública para LGBT neste Estado.

A exoneração do coordenador foi feita pelo Sr. Pedro Fernandes e até o momento não foi feito qualquer diálogo com este Conselho a respeito das decisão e sobre a continuidade do programa.

Exigimos respeito por parte do Sr. Pedro Fernandes para com este Conselho e com a população LGBT do Estado do Rio de Janeiro e pedimos que o mesmo se manifeste oficialmente a respeito das exoneração do coordenador e do futuro dá política pública para LGBT deste Estado e que dialogue sobre as referidas questões com o celgbt RJ.

Julio Moreira

Presidente do Conse

21a Parada do Orgulho LGBT do Rio de Janeiro vai falar sobre Identidade de Gênero

Cartaz da 21ª Parada do Orgulho LGBT Rio 2016

Cartaz da 21ª Parada do Orgulho LGBT Rio 2016

Depois de enfrentar diversas dificuldades para a sua realização, incluindo dívidas originadas pelo não repasse do patrocínio do Governo do Estado nos anos dois anos anteriores, a 21ª Parada do Orgulho LGBT Rio 2016 irá acontecer no próximo dia 11 de dezembro.

Com concentração no Posto 5 da Praia de Copacabana, a Parada organizada pelo Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT oferecerá serviços para a população em tendas a partir das 9h. O esquenta para a saída dos trios, será às 13h.

Neste ano, será abordado o tema do direito à Identidade de Gênero, a favor da aprovação do projeto de lei 5002/13 – Lei João W. Nery – lei de identidade de gênero – de autoria do deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ), apresentado em parceria com a deputada Érika Kokay (PT-DF). O projeto está baseado na lei de identidade de gênero argentina (“Ley 26.743”), considerada a mais avançada do mundo.

O projeto reconhece a identidade de gênero como um direito e estabelece claramente que tanto a alteração legal do nome e do gênero na documentação pessoal quanto qualquer tipo de intervenção no corpo para adequá-lo à identidade de gênero auto percebida é um direito que só poderá ser exercido com o consentimento legal expresso da pessoa interessada.

Num momento político e ideológico delicado que estamos vivendo no país; onde ondas conservadoras buscam de todas as formas impedir conquistas e diminuir os direitos da população LGBT, deturpando conceitos e ventilando inverdades; ações de visibilidade como a Parada LGBT do Rio são essenciais.

Desta forma, convocamos toda a sociedade de bem, que é a favor da diversidade e respeita o seu próximo do jeito que ele é, a estar conosco no domingo, dizendo em bom e alto som: “EU SOU A MINHA IDENTIDADE DE GÊNERO!!”

Julio Moreira – Diretor Sociocultural do Grupo Arco-Íris.

21ª Parada do Orgulho LGBT do Rio de Janeiro confirmada.

Após correr risco de não acontecer, Parada LGBT de Copacabana está confirmada

A Parada LGBT, em Copacabana | Thiago Freitas

A Parada LGBT, em Copacabana | Thiago Freitas

por Ancelmo Gois

Parada LGBT
Após correr o risco de não acontecer por causa da crise, a 21ª Parada do Orgulho LGBT, em Copacabana, no Rio, está confirmada: 11 de dezembro, um domingo, com o tema “Eu sou minha identidade de gênero”. O Grupo Arco-Íris conseguiu, enfim, apoio financeiro — de quem, por ora, prefere não revelar.

Aliás…
O governo do Rio ainda deve os repasses prometidos para 2014 (R$ 465 mil) e 2015 (R$ 220 mil), o que, pelo visto, escafedeu-se na crise do Estado.

NOTA DE REPÚDIO DO GRUPO ARCO-ÍRIS DE CIDADANIA LGBT AO SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E DIREITOS HUMANOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EZEQUIEL TEIXEIRA

                                                                                                                                                                                                                               Rio de Janeiro, 17 de fevereiro de 2016

 

NOTA DE REPÚDIO  DO GRUPO ARCO-ÍRIS DE CIDADANIA LGBT AO SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E DIREITOS HUMANOS  DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EZEQUIEL TEIXEIRA  

 

O Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT, com 22 anos de lutas e conquistas,   e que tem a missão de atuar como uma organização de referência na promoção da autoestima e cidadania de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais – LGBT, visando à transformação da sociedade por meio de ações de desenvolvimento organizacional, gestão do conhecimento, mobilização comunitária e defesa dos direitos humanos, para o exercício da livre orientação sexual e identidade de gênero vem a público manifestar  seu repudio e indignação quanto  a fala do Secretário de Assistência Social e Direitos Humanos , Ezequiel Teixeira , que é contraditória com a pasta que  representa , quando se coloca a favor da cura gay, contra o casamento homoafetivo e principalmente ao desmonte do Programa Rio sem Homofobia .

 

O Programa Rio sem Homofobia é um avanço e um ganho do movimento social em conjunto  com o Governo do Estado do Rio de Janeiro e com a Acadêmia, é uma luta de mais de duas décadas, é o resultado de uma metodologia de aplicação e  de uma rede de proteção básica especial a essa população, usada como modelo não só no Estado do Rio de Janeiro mas em todo o Brasil. O Programa serviu e ainda serve de referência para outros programas de Direitos Humanos e vem se reinventando ao longo da sua implantação. É injustificável o término desse Programa.

 

 Como pode um político de posições radicais assumir a pasta de Direitos Humanos? Infelizmente a população de lésbicas, gays ,bissexuais, travestis e transexuais continua sendo moeda de troca. Não venha dizer que é falta de dinheiro, pois como emprestam dinheiro a Empresas privadas para cobrirem suas dívidas?. Não podemos  admitir movimentos fundamentalistas atuando nos poderes Estadual e Federal.

 

EXIGIMOS A SAÍDA IMEDIATA DO SECRETÁRIO  EZEQUIEL TEIXEIRA DA SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E DIREITOS HUMANOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO!!!!!!

                                           

                                                                                                                  GRUPO ARCO-ÍRIS DE CIDADANIA LGBT                           

ATENÇÃO: O TESTE RÁPIDO DE HIV NA SEDE DO GRUPO ARCO-IRIS CONTINUA.

TESTE RÁPIDO DE HIV NA SEDE DO GRUPO ARCO-IRIS CONTINUA.

ATENDIMENTO: DE SEGUNDA A QUINTA-FEIRA DAS 16 ÀS 19H NA SEDE DO GRUPO

ENDEREÇO: RUA TENENTE POSSOLO Nº 43 SOBRADO – CENTRO

(PRIMEIRA RUA A ESQUERDA APÓS A PRAÇA CRUZ VERMELHA)

TELEFONES PARA CONTATO: (21) 2222.7286 / (21) 22150844

TESTE GRATUITO

ATENDIMENTO POR ORDEM DE CHEGADA

OBRIGATÓRIO APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTO ORIGINAL COM FOTO

TESTE RÁPIDO DE HIV FLYER NOVO DE DIVULGAÇÃO

PRIMEIRO CURSO GRATUITO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA E GESTÃO DE NEGÓCIOS EXCLUSIVO PARA A POPULAÇÃO LGBT

A Micro Rainbow International , juntamente com o Grupo Arco-Íris Perfil I e a PlaNet Finance Brasil, têm a honra de anunciar o primeiro curso gratuito de educação financeira e gestão de negócios exclusivo para a população LGBT, financiado pela Delegação da União Europeia no Brasil.

 

Saiba mais sobre o curso em: http://goo.gl/7TWZGI

 

As inscrições estão abertas até o dia 30 de setembro de 2015.

 

curso-empreendedorismo-lgbti

O GRUPO ARCO-ÍRIS PRECISA DA SUA AJUDA

O GRUPO ARCO-ÍRIS  PRECISA DA SUA AJUDA

 

AJUDE-NOS A MANTER NOSSA SEDE E SEUS SERVIÇOS  DE ACOLHIMENTO, TESTAGEM RÁPIDA DE HIV E ATENDIMENTO PSICOTERAPÊUTICO, DOANDO

R$10,00, R$20,00 OU R$50,00.

 

AO DOAR VOCÊ ESTARÁ AJUDANDO A UM GRUPO QUE ATUA HÁ 22 ANOS NA LUTA PELOS DIREITOS LGBT.

NÃO PERMITA QUE NOS CALEM !!!

DIVULGUE ENTRE SEUS AMIGOS,PARENTES E CONHECIDOS!!!

 

CONTA DOAÇÃO: 001  BANCO DO BRASIL

AGÊNCIA:0392.1 /CONTA CORRENTE:27126.8

CNPJ: 97.468.433/0001.08

 

 

DOAÇÃO COM RECEBIMENTO DE  UMA BOLSA

O CAFÉ COM BOLACHA ESTÁ DE VOLTA DIA 15.05.15 (SEXTA-FEIRA)ÀS 19H

O CAFÉ COM BOLACHA ESTÁ DE VOLTA

REUNIÃO DIA 15.05 (SEXTA-FEIRA)ÀS 19H NA SEDE DO GRUPO COM O TEMA
NOVELAS: VISIBILIDADE, EXPOSIÇÃO OU EXPLORAÇÃO?
O QUE GANHAMOS ? O QUE PERDEMOS?

MULHERES ESPERAMOS POR VOCÊS PARA ESTE INTENSO BATE PAPO.

ENDEREÇO: RUA TENENTE POSSOLO, Nº 43 SOBRADO / CENTRO-RJ
TEL: (21)2222.7286 / (21)2215.0844
EMAIL: arco-iris@arco-iris.org.br

EVENTO GRATUITO

 

Apresentação CAFÉ COM BOLACHA1505-2

ESTAMOS DE VOLTA COM AS REUNIÕES DE SEXTA- FEIRA NA SEDE DO GRUPO

 

NOSSAS REUNIÕES DAS SEXTAS-FEIRAS VOLTARAM!!!!!!!

 

VENHA PARTICIPAR DE NOSSA REUNIÃO DE CONVIVÊNCIA, NA  SEXTA -FEIRA (DIA 08.05.15) ÀS 19H NA SEDE DO GRUPO COM O TEMA:

SAÚDE, PEGAÇÃO E PREVENÇÃO  

E TRAGA @S AMIG@S.

ESTAMOS ESPERANDO POR VOCÊS!!!!

ENDEREÇO: RUA TENENTE POSSOLO Nº 43 SOBRADO CENTRO – RJ(PRÓXIMO A PRAÇA CRUZ VERMELHA)

 Flyer reunião do dia 080515  

 

                                                                                                                               EVENTO  GRATUITO

AVISO IMPORTANTE: O GRUPO ARCO- ÍRIS ENTRA EM RECESSO DIA 20.12.2014, RETORNANDO SUAS ATIVIDADES DIA 21.01.2015

   

 

 

INFORMAMOS  QUE O GRUPO  ENTRA  EM RECESSO A PARTIR DO DIA 20.12.2014, RETORNANDO SUAS ATIVIDADES  DIA

21.01.2015 ,  INCLUSIVE O ATENDIMENTO PARA O TESTE DE HIV RÁPIDO.

 

 

DIAS E HORÁRIOS DE FUNCIONAMENTO DO GRUPO : DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA DAS 14 ÀS 20H.

 

DIAS E HORÁRIOS DE  ATENDIMENTO PARA O TESTE DE HIV RÁPIDO :  DE SEGUNDA  A QUINTA-FEIRA DAS 16 ÀS 19H.

 

 DESEJAMOS A TODOS E TOD@AS QUE O ANO DE  2015 SEJA DE PAZ E GRANDES REALIZAÇÕES!!! 

 

GRUPO ARCO-ÍRIS DE CIDADANIA LGBT

ATENÇÃO: 13º PRÊMIO ARCO-íRIS DE DIREITOS HUMANOS DIA 15.12.14 ÀS 19:30h

ATENÇÃO: 13º PRÊMIO ARCO-íRIS DE DIREITOS HUMANOS.

ESTAREMOS PREMIANDO , PERSONALIDADES E INSTITUIÇÕES, QUE FIZERAM A DIFERENÇA PARA A COMUNIDADE DE LÉSBICAS, GAYS, BISSEXUAIS, TRAVESTIS E TRANSEXUAIS EM 2014.

PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA (DIA15.12) ÀS 19:30 H NO TEATRO CASA DE CULTURA LAURA ALVIM (AV.VIEIRA SOUTO,176 – IPANEMA). .

IMPRIMA O FLYER E PAGUE R$2,00(DOIS REAIS).

NÃO PERCAM!!!! SHOWS COM OS GRANDES NOMES DA CULTURA LGBT.

 

PREMIO

O grupo Arco-Íris torna público seu balanço da 19ª edição da Parada do Orgulho LGBT – Rio, que aconteceu no domingo (16), em Copacabana.

COMUNICADO À COMUNIDADE LGBT, SOCIEDADE E IMPRENSA:

 O grupo Arco-Íris torna público seu balanço da 19ª edição da Parada do Orgulho LGBT – Rio, que aconteceu  no domingo (16), em Copacabana.

 _DSC1719

“A 19ª Parada do Orgulho LGBT – Rio, como todos os anos, pautou os direitos da população LGBT através de uma grande demonstração de respeito à diversidade. Tal como a típica descontração e irreverência dos participantes da marcha, vários serviços estiveram disponíveis como, pela primeira vez, a testagem rápida de hepatites e HIV com aconselhamento. Além disso, participações memoráveis: a cantora Rita Benneditto e a atriz Letícia Spiller, caracterizada como a drag queen Rochanna, sua personagem no filme ‘O Casamento de Gorete’. Lembrando os casos de homofobia e a importância de combatê-los, o pai do jovem Lucas Fortuna, assassinado em 2012, homenageou a memória do filho e pediu que outros pais ‘saíssem do armário’.

 Mas, infelizmente, uma situação que vem atingindo a cidade chegou até o evento: a problemática da segurança pública. A coordenação da Parada realizou reuniões com os órgãos públicos da esfera municipal e estadual, incluindo a Polícia Militar e a Guarda Municipal. Mas, infelizmente, observamos que não foi possível coibir, em sua totalidade, furtos, roubos e brigas. Reiteramos que cumprimos todas as exigências de segurança que são requeridas para a realização de eventos públicos de grande porte. Entre as ações de nossa responsabilidade esteve a contratação de um grande quantitativo de agentes de segurança, mas que atuam no campo da segurança patrimonial e dão suporte a situações de risco ao evento. É importante ressaltar que a questão da violência no Rio de Janeiro, tanto quanto um problema de segurança pública, é também consequência das desigualdades que permeiam a sociedade.

 O Grupo Arco-Íris se coloca à disposição para novos esclarecimentos”.

TIJUCA RECEBE FESTIVAL DA CULTURA LGBT NO TEATRO MUNICIPAL ZIEMBINSKI

Banner Cultura 3

 Durante todo o mês de novembro, grandes artistas homenagearão Caetano Veloso e Cole Porter

Em novembro, o Rio de Janeiro recebe o Festival da Cultura LGBT, realizado pelo Grupo Arco-Íris. Serão apresentados 12 espetáculos de teatro e música que fazem parte das celebrações da 19ª Parada do Orgulho LGBT Rio, que acontecerá dia 16 de novembro em Copacabana. “O objetivo desse projeto é discutir a importância da arte transformista para cultura LGBT e suas manifestações como instrumento de visibilidade e empoderamento da política LGBT”, afirma Almir França, presidente do GAI.

Ambos os projetos terão como tema a obra dos compositores Cole Porter e Caetano Veloso. Este último tem em repertório uma linha política e progressiva defendendo sempre os diferentes e os que não estão no padrão social. “Com riqueza de metáforas, ele fala de homens, mulheres, bichos, bichas, putas e deusas, transita em reinos e favelas com a intimidade de um deus, por isso ele é nosso homenageado”, diz Almir França. Em seu disco ‘Estrangeiro’ ele, além de contemplar a cidade do Rio de Janeiro, cita o compositor Cole Porter com um olhar impressionista sobre nossa Baía de Guanabara. Além disso, a maioria das cantoras lésbicas e atores transformistas beberam na obra de Caetano através de Gal e Bethânia.

A programação inclui o espetáculo que vai virar documentário: Divinas Divas. No elenco as travestis Rogéria, Jane Di Castro, Divina Valéria, Camille K e Fujika de Halliday celebram 50 anos de carreira e apresentam a nova versão do famoso espetáculo de transformismo. No repertório, estão mantidos os clássicos da MPB e as boas doses de humor.

A transformista Laura Di Vison, ícone da sua época, será a grande homenageada do projeto “Autorretrato Laura Di Vision”. Dona de um humor implacável, os seus shows eram marcados por pirotecnia e humor trash – muito difundido na Europa e Estados Unidos. O projeto a homenageia, porque esta grande artista permitiu que a sociedade se enxergasse através do espelho e das maquiagens e mostrou que é possível realizar seus sonhos, desenvolver a sua arte e garantir a respeitabilidade que todo grande artista merece.

PROGRAMAÇÃO 

07.11 – SEXTA – 20h

Projeto Autorretrato Laura Di Vison

Cole Porter – O que é essa coisa chamada amor?

Elenco: Aloma, Cacau Niemeyer, Claudia Celeste, Marcelo Taurino, Pamela Star, Paulo Wagner e Sissy Diamond.

Sinopse: Celebração da memória e obra do compositor americano Cole Porter. Destaque com as canções: I’ve Got U Under My Skin, Beguine The Beguin, So In Love, Love For Sale, Be A Clown, I Get A Kick Out Of U, Anything Goes, Night And Day, You’re The Top.

 

08.11 – SÁBADO – 20h

Projeto Autorretrato Laura di Vision

Sara Steven Tour – Anita

Elenco: Sarah Steven, Pablo Ventura, Rodrigo Gonçalves, Nanzinho Whait, Junior Maciel, Jonathan Gomes, Rafael Parreira, Pedrinho Souza, Anderson Cocao, Vitor Torres, Yay-Z e Amaury Andrade.

 

09.11 – DOMINGO – 19h30

Projeto Autorretrato Laura Di Vison

Divinas Divas

Elenco: Rogéria, Jane Di Castro, Divina Valéria, Camille K e Fujika de Halliday.

Sinopse: Celebrando 50 anos de carreira, o grupo formado por Rogéria, Jane Di Castro, Divina Valéria, Camille K, Fujika de Halliday, apresentam nova versão do famoso espetáculo de transformismo. No repertório, estão mantidos os clássicos da MPB e as boas doses de humor. Direção Gustavo Gasparani.

 

14.11 – SEXTA – 20h

Projeto Vozes da Diversidade

Caetaneando

Direção: Marcio Azevedo.

Elenco: Angelo Pereira, Cristina Grecco e Nana Kozak

Sinopse: O espetáculo musical “Caetaneando”, ao estilo ‘um banquinho e um violão’, que mostrarão antigas composições de um dos maiores ícones da música popular brasileira, Caetano Veloso.

 

15.11 – SÁBADO – 20h

Projeto Autorretrato Laura Di Vison

Que Broadway é está parada!

Texto e Direção: Alexandre Azevedo.

Elenco: Diziky, Vick Diamond, Maria Eduarda, Fabiana Carraro, Andrea Andrews, Dianelly Braga, Lorraine Lovely e Lorna Washington.

Sinopse: Conta a história de três drags indo para a Parada Gay. Após um acidente com a roupa de uma delas, alguém encontra uma famosa costureira que faz relembrar seus sucessos nos grandes musicais.

 

16.11 – DOMINGO – 19h30

Projeto Autorretrato Laura Di Vison

Glamour Fantasy

Direção: Maurício Almeida.

Elenco: Susy Parker, Claudia Celeste, Yeda Brown, Aloma, Sissy Diamond, Magaly Penélope, Jenifer di Martini e Paulo Wagner.

Sinopse: Musical ambientado num cabaret antigo, com muito glamour.

 

21.11 – SEXTA – 20h

Projeto Vozes da Diversidade

Caetano um olhar para Porter

Direção: Júlio Rosemberg

Elenco: Elza Ribeiro, Jakqueline Uchoa e Juliana Farina

Sinopse: O espetáculo conta com canções de Caetano Veloso e algumas composições de Cole Porter. Caetano arremata o Brasil visto pelo olhar estrangeiro.

 

22.11 – SÁBADO – 20h

Projeto Autorretrato Laura Di Vison

Homenagem à Turma Ok.

Elenco: Luana Muniz, Elaine Parker, Letícia Roccos, Carlos Salazar, Claudete Colbert, Babalu, Ilona di Martini e Sofie Moore.

 

23.11 – DOMINGO – 19h30

Projeto Autorretrato Laura Di Vison

Somos todos filhos de Deus.

Texto e Direção: Marcio Azevedo.

Elenco: Dianelly Braga, Danny D´avilon, Magaly Penélope, Maria Eduarda e Regine de Monaco. Bailarino: Jonathan e Bale.

Sinopse: Conta a história de uma mãe que quer recuperar o seu filho após um acidente. E ela apela para todas as religiões.

 

28.11 – SEXTA – 20h

Projeto Autorretrato Laura Di Vison

Susy Brasil, Lord Talente e Samara Rios.

 

29.11 – SÁBADO – 20h

Projeto Autorretrato Laura Di Vison

Ao sair deixe suas lágrimas.

Elenco: Desiree, Karina Karão e Stephanie Camburão.

 

30.11 –DOMINGO – 19h

Projeto Vozes da Diversidade

Sobrevivendo em cima daquilo.

Lorna Washington

 

Serviço

07 a 30 de novembro de 2014

Sextas e sábados, às 20h e domingos, às 19h30

Av. Heitor Beltrão, s/nº – Tijuca – Inf.: (21) 3234 2003

Ingressos: R$ 10 e R$ 5

Classificação: 18 anos

Capacidade: 122 lugares

 

Informações para a imprensa:
Márcia Vilella | Letícia Reitberger | Júlia Quinan
Target Assessoria de Comunicação
Tels: 21 98158 9692 | 98158 9715| 97965 4313 | 2284 2475
www.target.inf.br

Roda de Conversa com o tema : “Visibilidade da Mulher Lésbica” com palestras de Carlos Tufvesson e Marcelle Esteves

 

Para celebrar o dia 29 de agosto Dia Nacional da Visibilidade Lésbica a SPM – Rio realizou no dia 26 uma Roda de Conversa com o tema : “Visibilidade da Mulher Lésbica” com palestras de Carlos Tufvesson – Coordenador da Coordenadoria Especial de Diversidade Sexual (CEDS) e de Marcelle Esteves-Vice Presidente do Grupo Arco-Íris.

 

Diario Oficial Visibilidade Lesbica                  Roda de COnversa sobre visibilidade lésbica

ARTIGO DA VICE PRESIDENTE DO GRUPO, MARCELLE ESTEVES PARA A REVISTA S

 

Artigo da Vice Presidente do Grupo, Marcelle Esteves, para a Revista S tendo como tema  “O ativismo lésbico e a luta numa sociedade que as tornam invisíveis”.

 

Leia na integra:

 

                                                                          Marcelle texto Revista S

VICE PRESIDENTE DO GRUPO RECEBERÁ MOÇÃO DE MÉRITO E HONRA

 

 

A Vice Presidente do Grupo Marcelle Esteves, receberá Moção de Mérito e Honra da Câmara Municipal do Rio de Janeiro por sua luta em prol dos Direitos Civis e Direitos Humanos  nas causas LGBT,dia 26.08.14 às 18:30h.

 

                                                      Marcelle

Grupo recebe Delegação do Congo

 

O Grupo foi convidado a participar de missão

de cooperação internacional com o Congo  

no Rio de Janeiro

 

Em 2010, o Brasil estabeleceu o projeto de cooperação técnica internacional “Fortalecimento do combate ao HIV/aids no Congo”. Durante o planejamento das atividades, foi identificada pelo Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais / Secretaria de Vigilância em Saúde / Ministério da Saúde, a necessidade de apresentar a experiência da sociedade civil brasileira na construção do ativismo para o enfrentamento à epidemia do HIV/Aids, na luta contra o estigma e a discriminação das pessoas vivendo com HIV/Aids .

O Presidente do Grupo Almir França  e o coordenador do Quero Fazer Roberto Grangeiro, receberam a Delegação composta de congoleses e técnicos do Ministério da Saúde para apresentação do Grupo e do  projeto Quero Fazer nesta quinta-feira dia 07.08.14.

 

                                                  P1080071

TESTAGEM RÁPIDA DE HIV NA SEDE DO GRUPO

     TESTE RÁPIDO DE HIV NA SEDE DO GRUPO

 

LOCAL: SEDE DO GRUPO ARCO-IRIS

ENDEREÇO: RUA TENENTE POSSOLO Nº 43, SOBRADO

CENTRO – RJ (PRÓXIMO A PRAÇA CRUZ VERMELHA)

DIAS DE ATENDIMENTO : DE SEGUNDA- FEIRA  A QUINTA-FEIRA

HORÁRIO DE ATENDIMENTO: 16 ÀS 19H

ATENDIMENTO POR ORDEM DE CHEGADA

TESTE GRATUITO

 

                       

DIA 28.06 – DIA MUNDIAL DO ORGULHO LGBT

                                                                                                                                                         ATO PELO DIA 28 DE JUNHO – DIA MUNDIAL DO ORGULHO LGBT

No mundo inteiro, tradicionalmente celebra-se o chamado Dia do Orgulho LGBT no dia 28 de junho. A significância da data é o marco do início do moderno movimento pelos direitos civis de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais.

Há 45 anos, ocorreu na cidade de Nova Iorque o que veio a ser conhecida como a Rebelião de Stonewall. O Stonewall Inn era (e ainda é) um bar de frequência LGBT que sofria repetidas batidas policiais sem justificativa. Na noite de 28 de junho de 1969, os frequentadores se revoltaram contra a polícia e o tumulto que se seguiu durou três dias, mudando para sempre as atitudes repressivas das autoridades perante as pessoas LGBT. A partir de então este dia é celebrado como uma expressão de orgulho – e não de vergonha – de assumir publicamente a sua orientação sexual e identidade de gênero.

Chamamos a atenção contra a intolerância que predomina em determinados países, inclusive no Brasil, contra a população LGBT. Apesar de avanços significativos em vários países, 40% dos 193 Estados Membros da ONU ainda criminalizam a homossexualidade. São 78 países em que a homossexualidade é crime. Ainda, em cinco países (Arábia Saudita, Iêmen, Irã, Mauritânia, Sudão) e partes da Nigéria e da Somália a homossexualidade é punida com a pena de morte. (Fonte: ILGA)

No Brasil, apesar dos avanços no reconhecimento e efetivação da igualdade de direitos das pessoas LGBT, a situação de violação dos direitos humanos da nossa comunidade continua sendo assustadora. Em média, todo dia no país foram reportadas 27,34 violações de direitos humanos de caráter homofóbico e 13,29 pessoas foram vítimas de violências homofóbicas. Cerca de 320 pessoas LGBT foram assassinadas no país em 2012 por motivos homofóbicos. (Fonte: Presidência da República, 2012)

O Governo Federal congelou as políticas públicas afirmativas para a população LGBT, que tanto avançaram na primeira década do 3º milênio. Este retrocesso tem como causa principalmente o recrudescimento do conservadorismo e do fundamentalismo religioso, e pelos representantes dessas tendências no Congresso Nacional, com uma bancada de 83 políticos homofóbicos contrários ao alcance da cidadania plena pela população LGBT. 

Em vista deste cenário, o Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT se manifesta e exige:
Medidas governamentais concretas de combate à impunidade que caracteriza as violações dos direitos humanos da população LGBT no Brasil;
Inclusão da criminalização da homofobia no Código Penal Brasileiro;
Aprovação do Projeto de Lei nº 5002/2013, conhecido como Lei de Identidade de Gênero/Lei João W. Nery;
Aprovação do Projeto de Lei 7582/2014 que visa criminalizar atos de intolerância e de ódio;
Políticas públicas afirmativas, organizadas, através de diretrizes, dentro de um Plano Nacional LGBT, com orçamento adequado, monitoramento e avaliação, controle social e transparência, abrangendo minimamente as áreas de: educação, direitos humanos, saúde, justiça, segurança pública, trabalho e emprego, previdência, cultura, desenvolvimento social, mulheres, igualdade racial, relações exteriores, turismo;
Criação de núcleos de direitos humanos LGBT nos Ministérios Públicos estaduais, a exemplo do Paraná, Pernambuco e Piauí;
A garantia e o fortalecimento da laicidade do estado e das políticas públicas;
O cumprimento, por todos os Estados Membros da ONU, das recomendações do Relatório encomendado pela Alta Comissária para Direitos Humanos, discutidas no Conselho de Direitos Humanos da ONU em março de 2012: “Legislação e práticas discriminatórias e violência contra as pessoas com base em sua orientação sexual e identidade de gênero (A.HRC.19.41).”

Reafirmamos que a nossa luta é todos os dias por um Brasil e um Mundo sem racismo, machismo e homofobia e conclama a sociedade para se mobilizar a disputar o debate político pelas bandeiras democráticas e se posicionar contra qualquer ação conservadora que vá na contramão da garantia dos diretos humanos e da garantia dos espaços democráticos.

GRUPO ARCO-ÍRIS DE CIDADANIA LGBT

 

 

LOUNGE ARCO-ÍRIS E COMEMORAÇÃO DOS ANIVERSARIANTES DO MÊS

VENHA BATER PAPO,  CANTAR NO VIDEOKÊ  E SE DIVERTIR !!!

DATA: 28.03.14 (SEXTA- FEIRA) ÀS 19 H

LOCAL: SEDE DO GRUPO ARCO-ÍRIS 

RUA TENENTE POSSOLO  Nº 43 SOBRADO – CENTRO

PRÓXIMO A PRAÇA DA BANDEIRA

MAIORES INFORMAÇÕES: TEL: (21)2222.7286 / 22150844

                                                    LOUNGE 28.03.14

 

                  

 

12º Prêmio Arco Íris de Direitos Humanos

1465839_614043838660848_895345283_oDia 16 de dezembro de 2013 às 19h.
Casa de Cultura Laura Alvim – Ipanema/RJ.

Lista dos premiados:

1- ATUAÇÃO NO JUDICIÁRIO: Conselho Nacional de Justiça

Pela Resolução n. 175, de 14 de maio de 2013, aprovada durante a 169ª Sessão Plenária do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que estabeleceu que nenhum cartório do Brasil poderá recusar a celebração de casamentos civis de casais do mesmo sexo ou deixar de converter em casamento união estável homoafetiva,

Caso algum cartório não cumpra a Resolução do CNJ, o casal interessado poderá levar o caso ao juiz corregedor daquela comarca para que ele determine o cumprimento da medida. Além disso, poderá ser aberto processo administrativo contra o oficial que se negou a celebrar ou reverter a união estável em casamento.

2- AÇÕES LEGISLATIVAS: Vereadora Laura Carneiro – Câmara Municipal da Cidade do Rio de Janeiro

Pela criação do Projeto de Lei Nº354/2013 que inclui o dia do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros) e a Parada do Orgulho LGBT no Calendário Oficial da Cidade, consolidado pela lei Nº5.146/2010.

E ainda pela inciativa de criação da Frente Parlamentar contra variadas formas de preconceito e intolerância.

3- POLÍTICAS PÚBLICAS: Secretaria de Estado de Ambiente – Superintendência de Educação Ambiental (Seam) pela realização das Jornadas “Ambiente Saudável é Ambiente sem Homofobia”

Uma inciativa de uma área ainda pouco explorada no combate à homofobia. Ao articular a temática ambiental com a da diversidade cultural, identidade de gênero e desigualdade social da população de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT), a Superintendência de Educação Ambiental (Seam) – setor da SEA responsável pela organização do evento – exibiu documentários e reuniu profissionais com grande expertise para debater temas como Ambiente sem Preconceito; Novos Arranjos Familiares e Famílias de LGBT; A Travestilidade e a Injustiça social e Os Desafios da Transexualidade e os Novos Direitos. 

4- RESPONSABILIDADE SOCIAL: Centro Universitário IBMR

Pela parceria com o Grupo Arco-Íris, através da atuação de estagiários do Curso de Psicologia, no oferecimento de apoio terapêutico gratuito à população LGBT.

5- IMPRENSA: Programa Conexão Reporter do SBT

Exibido em  21/03/2013, com o tema “Primavera dos Diferentes”, o programa Conexão Reporter, com o jornalista Roberto Cabrini, abordou os desafios e preconceitos de ser adolescente e homossexual no Brasil. Um tema delicado e que necessita ainda de muita discussão e visibilidade para diminuir um cenário de rejeição e violência contra os nossos jovens.

6- ORGANIZAÇÃO COMUNITÁRIA: Grupo Conexão G

O Grupo Conexão G, é formado por jovens LGBT moradores do complexo de favelas da Maré, no Rio de Janeiro.  Sua missão é mobilizar a população LGBT moradoras de favelas, sensibilizar a “comunidade” para o combate à homofobia e o respeito à diversidade sexual como dimensão importante na luta pela paz e justiça, valorizando o enfrentamento pacífico das práticas discriminatórias que orientam as ações violentas, como por exemplo, a violência policial, a violência sexual e o racismo. É responsável pela realização da Parada LGBT das comunidades Nova Holanda e Parque União.

7- VOLUNTARIADO: Douglas Barbosa Zim

Atuando no Grupo Arco-Íris há pelo menos 5 anos, Douglas sempre encontra disponibilidade para ajudar nas tarefas internas e de logística. É um reconhecimento merecido pro toda a sua dedicação ao Grupo.

8- ARTE & CULTURA: Projeto Divinas Divas

Capitaneado pela atriz Leandra Leal, Divinas Divas é o projeto de um documentário musical de longa-metragem para salas de cinema. O filme resgata a trajetória de oito artistas pioneiras: Rogéria, Jane Di Castro, Divina Valéria, Camille K, Fujika de Halliday, Eloína dos Leopardos, Marquesa e Brigitte de Búzios foram as primeiras travestis e transformistas nos palcos cariocas nos anos 1960, quando o Brasil vivia sob rígida ditadura militar. Esse trabalho é de enorme importância para o resgate e memória da cultura LGBT brasileira.

9- ATIVISMO: Carlos Magno Fonseca

O paraense Carlos Magno Fonseca é um militante das questões, demandas e causas sociais com uma longa e rica trajetória de lutas e uma marcante e exemplar trajetória de importantes ações que resultaram em inúmeras conquistas de benefícios para a população de LGBT, tornando-se um exemplo de liderança, dentro das militâncias para as gerações do presente e do futuro. Fundador do Centro de Luta pela Livre Orientação Sexual de Minas Gerais (CELLOS-MG), uma das principias organização LGBT do Estado mineiro, é atualmente o presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), a maior rede de organizações LGBT da América Latina.

 10- VISIBILIDADE LÉSBICA: Glória Pires

Pela brilhante atuação, interpretando a arquiteta Lota de Macedo Soares no longa metragem “Flores Raras”, de Bruno Barreto. Com sensibilidade, conseguiu construir uma personagem além dos estereótipos vivendo uma bela história de amor lésbico num pano de fundo de um importante momento histórico brasileiro.

11- VISIBILIDADE TRANS: Concurso Miss T Brasil

Organizado pela ASTRA-Rio, o concurso objetiva visibilizar positivamente travestis e mulheres transexuais brasileiras, sua identidade, cultura, pleitos e especificidades sociais através de atividade cultural transversal que dialogue com outras temáticas como direitos humanos, saúde e promoção da cidadania trans. Pela primeira vez, conseguiu eleger uma Miss Brasil T como a Miss International Queen, em concurso realizado na Tailândia.

12- ATITUDE: Daniela Mercury

Em 3 de abril de 2013, a cantora postou uma foto no site de rede social Instagram com sua companheira, a jornalista Malu Verçosa. A cantora assumiu publicamente o seu relacionamento homoafetivo com a frase: “Malu agora é minha esposa, minha família, minha inspiração pra cantar”. Esta declaração fez uma revolução no cenário da música popular brasileira, assim como no imaginário popular, fazendo com que Daniela Mercury se tornasse um símbolo pelo casamento civil entre pessoas do mesmo sexo e na luta pelas liberdades individuais.

 HOMENAGENS ESPECIAIS:

Militância e Parceria: Flávia Brazil – advogada , consultora e chefe de gabinete da Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. Flávia representa todo o esforço da equipe da CEDS pela realização de um trabalho exemplar e a pronta resposta às demandas da sociedade civil.

 

Premiados no 12º Prêmio Arco-íris de Direitos Humanos

Categorias:

1- ATUAÇÃO NO JUDICIÁRIO: Conselho Nacional de Justiça

Pela Resolução n. 175, de 14 de maio de 2013, aprovada durante a 169ª Sessão Plenária do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que estabeleceu que nenhum cartório do Brasil poderá recusar a celebração de casamentos civis de casais do mesmo sexo ou deixar de converter em casamento união estável homoafetiva,

Caso algum cartório não cumpra a Resolução do CNJ, o casal interessado poderá levar o caso ao juiz corregedor daquela comarca para que ele determine o cumprimento da medida. Além disso, poderá ser aberto processo administrativo contra o oficial que se negou a celebrar ou reverter a união estável em casamento.

2- AÇÕES LEGISLATIVAS: Vereadora Laura Carneiro – Câmara Municipal da Cidade do Rio de Janeiro

Pela criação do Projeto de Lei Nº354/2013 que inclui o dia do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros) e a Parada do Orgulho LGBT no Calendário Oficial da Cidade, consolidado pela lei Nº5.146/2010.

E ainda pela inciativa de criação da Frente Parlamentar contra variadas formas de preconceito e intolerância.

3- POLÍTICAS PÚBLICAS: Secretaria de Estado de Ambiente – Superintendência de Educação Ambiental (Seam) pela realização das Jornadas “Ambiente Saudável é Ambiente sem Homofobia”, em parceria com a Universidade do Estado do Rio de Janeiro, sob coordenação acadêmica de Aureanice de Mello Corrêa/UERJ  e de Elizabeth Magalhães/SEA, em apoio ao Programa Governamental Rio sem Homofobia.

Uma inciativa de uma área ainda pouco explorada no combate à homofobia. Ao articular a temática ambiental com a da diversidade cultural, identidade de gênero e desigualdade social da população de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT), a Superintendência de Educação Ambiental (Seam) – setor da SEA responsável pela organização do evento – exibiu documentários e reuniu profissionais com grande expertise para debater temas como Ambiente sem Preconceito; Novos Arranjos Familiares e Famílias de LGBT; A Travestilidade e a Injustiça social e Os Desafios da Transexualidade e os Novos Direitos. 

4- RESPONSABILIDADE SOCIAL: Centro Universitário IBMR

Pela parceria com o Grupo Arco-Íris, através da atuação de estagiários do Curso de Psicologia, no oferecimento de apoio terapêutico gratuito à população LGBT.

5- IMPRENSA: Programa Conexão Reporter do SBT

Exibido em  21/03/2013, com o tema “Primavera dos Diferentes”, o programa Conexão Reporter, com o jornalista Roberto Cabrini, abordou os desafios e preconceitos de ser adolescente e homossexual no Brasil. Um tema delicado e que necessita ainda de muita discussão e visibilidade para diminuir um cenário de rejeição e violência contra os nossos jovens.

 6- ORGANIZAÇÃO COMUNITÁRIA: Grupo Conexão G

O Grupo Conexão G, é formado por jovens LGBT moradores do complexo de favelas da Maré, no Rio de Janeiro.  Sua missão é mobilizar a população LGBT moradoras de favelas, sensibilizar a “comunidade” para o combate à homofobia e o respeito à diversidade sexual como dimensão importante na luta pela paz e justiça, valorizando o enfrentamento pacífico das práticas discriminatórias que orientam as ações violentas, como por exemplo, a violência policial, a violência sexual e o racismo. É responsável pela realização da Parada LGBT das comunidades Nova Holanda e Parque União.

7- VOLUNTARIADO: Douglas Barbosa Zim

Atuando no Grupo Arco-Íris há pelo menos 5 anos, Douglas sempre encontra disponibilidade para ajudar nas tarefas internas e de logística. É um reconhecimento merecido pro toda a sua dedicação ao Grupo.

8- ARTE & CULTURA: Projeto Divinas Divas

Capitaneado pela atriz Leandra Leal, Divinas Divas é o projeto de um documentário musical de longa-metragem para salas de cinema. O filme resgata a trajetória de oito artistas pioneiras: Rogéria, Jane Di Castro, Divina Valéria, Camille K, Fujika de Halliday, Eloína dos Leopardos, Marquesa e Brigitte de Búzios foram as primeiras travestis e transformistas nos palcos cariocas nos anos 1960, quando o Brasil vivia sob rígida ditadura militar. Esse trabalho é de enorme importância para o resgate e memória da cultura LGBT brasileira.

9- ATIVISMO: Carlos Magno Fonseca

 O paraense Carlos Magno Fonseca é um militante das questões, demandas e causas sociais com uma longa e rica trajetória de lutas e uma marcante e exemplar trajetória de importantes ações que resultaram em inúmeras conquistas de benefícios para a população de LGBT, tornando-se um exemplo de liderança, dentro das militâncias para as gerações do presente e do futuro. Fundador do Centro de Luta pela Livre Orientação Sexual de Minas Gerais (CELLOS-MG), uma das principias organização LGBT do Estado mineiro, é atualmente o presidente da

Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), a maior rede de organizações LGBT da América Latina.

 10- VISIBILIDADE LÉSBICA: Glória Pires

Pela brilhante atuação, interpretando a arquiteta Lota de Macedo Soares no longa metragem “Flores Raras”, de Bruno Barreto. Com sensibilidade, conseguiu construir uma personagem além dos estereótipos vivendo uma bela história de amor lésbico num pano de fundo de um importante momento histórico brasileiro.

11- VISIBILIDADE TRANS: Concurso Miss T Brasil

Organizado pela ASTRA-Rio, o concurso objetiva visibilizar positivamente travestis e mulheres transexuais brasileiras, sua identidade, cultura, pleitos e especificidades sociais através de atividade cultural transversal que dialogue com outras temáticas como direitos humanos, saúde e promoção da cidadania trans. Pela primeira vez, conseguiu eleger uma Miss Brasil T como a Miss International Queen, em concurso realizado na Tailândia.

12- ATITUDE: Daniela Mercury

Em 3 de abril de 2013, a cantora postou uma foto no site de rede social Instagram com sua companheira, a jornalista Malu Verçosa. A cantora assumiu publicamente o seu relacionamento homoafetivo com a frase: “Malu agora é minha esposa, minha família, minha inspiração pra cantar”. Esta declaração fez uma revolução no cenário da música popular brasileira, assim como no imaginário popular, fazendo com que Daniela Mercury se tornasse um símbolo pelo casamento civil entre pessoas do mesmo sexo e na luta pelas liberdades individuais.

 HOMENAGENS ESPECIAIS:

Militância e Parceria: Flávia Brazil – advogada , consultora e chefe de gabinete da Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. Flávia representa todo o esforço da equipe da CEDS pela realização de um trabalho exemplar e a pronta resposta às demandas da sociedade civil.

 Casa de Cultura de Laura Alvim

Av. Vieira Souto, 176- Ipanema – Rio de Janeiro.

Dia 16/12 – 19h.

 

GRANDE AÇÃO – 1º DE DEZEMBRO

1476381_472378306212267_1415872164_nNo dia 29 de novembro, sexta-feira, o GRUPO ARCO-ÍRIS fará uma grande ação e a Lapa vai parar para marcar o Dia Mundial de Luta Contra a Aids. Vários estabelecimentos da Rua Mem de Sá receberão Djs, cantoras e drags, que farão apresentações itinerantes pelos bares que estiverem com o laço vermelho, símbolo da luta contra a Aids, na porta.

Estabelecimentos participantes: Sinônimo, Landro Carioca, Sal Y Pimenta, Estilo da Lapa, Transforma-Ser.
Dia: 29 de novembro
Endereço: Rua Mem de Sá (entre as Ruas do Resende e Gomes Freire)
Horário: a partir das 22h

NÃO PERCAM!

 

1º DE DEZEMBRO – Dia Mundial de Luta Contra a Aids

Transformar o 1º de dezembro em Dia Mundial de Luta Contra a Aids foi uma decisão da Assembleia Mundial de Saúde, em outubro de 1987, com apoio da Organização das Nações Unidas – ONU.

A data serve para reforçar a importância do respeito, da tolerância e da solidariedade com as pessoas convivendo/vivendo com HIV/Aids, e também para refletir sobre ações efetivas para diminuição da infecção em nível global.

O Grupo Arco Íris desde seu início, em 1993, vem criando e recriando projetos, ações e intervenções em níveis regionais e nacionais para o combate ao HIV/Aids, respeitando as particularidades e peculiaridades de cada caso. Mantemos em nossas ações, projetos e atividades um foco não apenas na prevenção mas também nos que já vivem/convivem com o vírus, oferecendo acolhimento, apoio terapêutico e um espaço de emporamento.

Portanto, estaremos mais um ano em luta por esse dia tão importante!

Aguardem maiores informações!

 

 

18º Prêmio de Direitos Humanos da Presidência da República

Julio Moreira, presidente do Grupo Arco-Íris, recebendo das mãos da Presidenta Dilma Rousseff o Prêmio Direitos Humanos 2012 - na categoria Garantia de Direitos da População LGBT. Um Prêmio dedicado à memória de tod@s as vítimas de lesbofobia, transfobia e homofobia do país.

O GRUPO ARCO-ÍRIS FOI CONTEMPLADO COM O PRÊMIO DIREITOS HUMANOS 2012, DA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, NA CATEGORIA GARANTIA DOS DIREITOS DA POPULAÇÃO DE LÉSBICAS, GAYS, BISSEXUAIS, TRAVESTIS E TRANSEXUAIS – LGBT

O Prêmio Direitos Humanos é uma honraria concedida pelo Governo Federal por meio da Secretaria dos Direitos Humanos a pessoas e organizações cujos trabalhos em prol dos Direitos Humanos sejam merecedores de reconhecimento e destaque por toda a sociedade.

Foi criado por decreto presidencial de 8 de setembro de 1995, e todos os anos diversas pessoas e instituições que atuam na causa dos direitos humanos tem seus esforços reconhecidos e homenageados.

A decisão foi tomada a partir de um processo seletivo, que culminou com a decisão da Comissão de Julgamento, no dia 29 de novembro de 2012. O Grupo Arco-Íris recebe o Prêmio por sua atuação marcada pela consciência humanitária que, inevitavelmente, contribui para a ampliação da sensibilidade da sociedade brasileira sobre a necessidade do respeito aos Direitos Humanos.

Em sua 18ª edição, a cerimônia de entrega do Prêmio Direitos Humanos ocorreu em 17 de dezembro de 2012, às 16 horas, no Auditório Wladimir Murtinho do Palácio Itamaraty, em Brasília/DF, com a presença da excelentíssima senhora Presidenta da República Dilma Roussef, que tradicionalmente participa do evento. Cada premiado recebeu um troféu e um certificado assinado pela excelentíssima senhora Presidenta da República.

NOTA OFICIAL DO GRUPO ARCO-ÍRIS SOBRE CARTILHA DE PREVENÇÃO ÀS DST/AIDS

NOTA OFICIAL DO GRUPO ARCO-ÍRIS SOBRE CARTILHA DE PREVENÇÃO ÀS DST/AIDS

Em resposta a matéria veiculada pela TV Record no programa Balanço Geral, em 13 de dezembro, “Cartilha gay causa polêmica em escola no Rio”, o Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT manifesta sua indignação pela distribuição irresponsável de material destinado a locais e públicos específicos.

A campanha “Sexo aqui e agora!!! Você tem camisinha???” possui uma abordagem explícita para prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DST) e do HIV/aids destinada a um público segmentado. É uma resposta aos altos índices de infecção pelo HIV e sua distribuição é feita em locais específicos frequentados por maiores de 18 anos. A estratégia foi elaborada após 16 horas de estudos em abordagem de prevenção e contou com a participação do público alvo, gays e homens bissexuais, e especialistas profissionais da saúde e de comunicação do Rio de Janeiro, além de publicitários do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde.  O material foi produzido com apoio do governo Holandês, através da Fundação Schorer.

O Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT, fundado em maio de 1993, no Rio de Janeiro, é uma organização não governamental que tem por missão atuar como referência na promoção da autoestima e cidadania de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros visando à transformação da sociedade em um espaço mais fraterno por meio de ações de desenvolvimento organizacional, gestão do conhecimento, mobilização comunitária e defesa dos direitos humanos, para o exercício da livre orientação sexual e identidade de gênero.

O Grupo reforça ainda que NÃO distribui quaisquer tipos de materiais que não sejam específicos de combate à discriminação e bullying homofóbico em ambiente escolar e em parceria e autorização de sua direção e corpo técnico. A direção do Grupo Arco-Íris lamenta o ocorrido e pede desculpas àqueles que se sentiram ultrajados, ressaltando que como é uma organização de utilidade pública, não possui controle sobre a utilização de seus materiais por terceiros e fora dos objetivos desta Instituição.

A Direção

UNIDOS PELA SEGURANÇA

QUAL O OBJETIVO DO UPSEG?

O Projeto UPSEG nasceu há um ano atrás, a partir de uma iniciativa privada,  com objetivo de criar uma ferramenta que permita ao cidadão carioca relatar ocorrências policiais e emergências, mesmo que informalmente, e depois acompanhar os desdobramentos relevantes em  um mapa virtual .

Desde o começo procuramos identificar os desafios que os órgãos públicos enfrentam na luta para melhorar a segurança do Rio. Um tema que surgiu  frequentemente durante nossa pesquisa foi o fato de que muitas vezes esses órgãos efetuam operações baseadas em dados estáticos, compilados unicamente a partir de boletins de ocorrência.  Sabemos também que por diversos motivos muitos cidadãos não registram os boletins de ocorrência. Mesmo com o grande apelo dos órgãos públicos, muitos casos deixam de ser oficializados pelo simples fato de que o cidadão não se sente motivado em relatar o que presencia.  Infelizmente essa atitude faz com que  as autoridades trabalhem, muitas vezes, com informações que não refletem a realidade, o que dificulta a alocação de pessoal e recursos para áreas que realmente necessitam de atenção.

Com o intuito de contribuir para o melhor  funcionamento da nossa cidade, desenvolvemos esse sistema, oferecendo ferramentas que permitem  comunicação ágil, eficaz e em tempo real entre os cidadãos e os órgãos públicos. Criamos um protótipo do portal e logo partimos para apresentar a novidade a várias instituições, como a Polícia Militar e o Instituto de Segurança Pública (ISP).

A ideia foi muito bem recebida  e em muitos casos  seus especialistas nos forneceram indicações valiosas que contribuíram para o aperfeiçoamento do produto.

Acesse: http://upseg.org/blog/

RIO FESTIVAL GAY DE CINEMA 2012

O Rio Festival Gay de Cinema 2012 é o festival internacional de filmes LGBT de ficção, documentário e experimental, em longas e curtas metragens, brasileiros e estrangeiros. O festival acontecerá de 29 de junho a 8 de julho de 2012 no Estação Sesc Rio, Cine Cultural Justiça Federal e Instituto Cervantes, Rio de Janeiro.

Foram selecionados 12 longas e 43 curtas-metragens brasileiros e estrangeiros. Este ano a seleção de filmes está mais brasileira do que nunca, 50% dos curtas são brasileiros. Tem filmes para todos os gostos. A comédia romântica E-Cupid, em que Marshall, frustrado no amor, baixa um aplicativo misterioso que lhe dá tudo o que ele quer. A realidade de uma linda família americana gay em The Right To Love e a de famílias brasileiras no documentário Família no Papel. E pela primeira vez mulheres queer indonésias estão quebrando o código do silêncio em Anak-Anak Srikani.

O festival também irá exibir dois longas do Prêmio Maguey do Festival de Cinema de Guadalarara: Todo El Mundo Tiene a Alguien Menos Yo e Mía. E a estreia do curta indiano Amen, que abre a sessão do filme Looking for Gay Bollywood.

WEBSITE DO FESTIVAL: www.riofgc.com

VINHETA DO FESTIVAL: http://vimeo.com/43618509

——————————————————————————————————————————————–

AGENDA

Dia 29 de junho de 2012, sexta-feira

ESTAÇÃO SESC RIO 1

21h -LONGA 6: “Another Gay Sequel: Gays Gone Wild!” de Todd Stephens (EUA, 2011, 1h 37min, Ficção).

CINE CULTURAL JUSTIÇA FEDERAL

15h30 -CURTAS 1: “The Man That Got Away” de Aleques Eiterer (Brasil, 2011), “Abismo” de Aleques Eiterer (Brasil, 2011), “Angorá” de Emerson Evêncio (Brasil, 2011), “Genderbusters”de Sam Berliner (EUA, 2010), “Indícios-Dois” de Dannon Lacerda (Brasil, 2012) e“52” de Josh Levy (Canadá, 2011).

17h – CURTAS 2 : “Recipe For Love” de Chauncey Wales (EUA, 2011), “A Geografia do Preconceito” de Daniel Nolasco de Souza e Marcella Coppo (Brasil, 2011), “Jiboia” Rafael Lessa (Brasil, 2011), “Assunto de Família”de Caru Alves de Souza (Brasil, 2011) e “4 Pounds” de Josh Levy (Canadá, 2011).

18h30 -LONGA 9: “Looking for the Gay Bollywood”de Nasha Gagnebin (França, 52min, Documentário, 2012) + CURTA: “Amen” de Ranadeep Bhattacharyya e Judhajit Bagchi (Índia, 2010).

20h – CURTAS 3: “The Glitter Emergency” de Paul Festa (EUA, 2011), “Lek and the Waterboy” de Lasse Nielsen (Tailândia, 2011), “Parede Branca Do Que Poderia Ser” de Pedro Paulo de Andrade (Brasil, 2011), “Botolovers”de Caroline Fioratti (Brasil, 2011), “Novembro Paralelo” de Ivan Ribeiro (Brasil, 2011), “I’m in the Mood for Love” de Jason Karman (Canadá, 2010) e “Komma Ut” de Jerry Carlsson (Suécia, 2011).

Dia 30 de junho de 2012, sábado

ESTAÇÃO SESC RIO 1

21h -LONGA 5: “E-Cupid” de J.C Calciano (EUA/ 1h 18min/ Ficção/ 2012)

CINE CULTURAL JUSTIÇA FEDERAL

15h30 -CURTAS 4: Joelma” de Edson Bastos (Brasil, 2011), “Debaixo D´água” de Sílvia Godinho (Brasil, 2011), “Lados Dados” de Breno Benetti (Brasil, 2011), “Lamúria” de Nathan Cirino (Brasil, 2011), “A Lazy Summer Afternoon with Mario Montez” de John Heys (Alemanha, 2010), “7 Deadly Kisses” de Sammaria Simanjuntak (Indonésia, 2012).

17h -LONGA 8: “Família no Papel” de Fernanda Friedrich e Bruna Wagner (Brasil, 52minutos, Documentário, 2012) + CURTA: “Tchaka em Transe” de Livia Marques (Brasil, 2012).

18h30 -CURTAS 5: “A arte de andar pelas ruas de Brasília” de Rafaela Camelo (Brasil, 2011),“O Bolo” de Robert Guimarães (Brasil, 2010), “Diálogo” de Dannon Lacerda (Brasil, 2011), “The Queen Of My Dreams” de Fawzia Mirza e Ryan Logan (EUA, 2011), “No clothes”de Hugo Kenzo (EUA, 2012), “Längs Vägen” Jerry Carlsson e Anette Gunnarsson (Suécia, 2011).

20h -LONGA 2: “Judas Kiss” de J.T. Tepnapa(EUA, 1h 34min, Ficção, 2011).

Dia 1 de julho de 2012, domingo

ESTAÇÃO SESC RIO 1

21h – LONGA 4: “Anak-Anak Srikandi” de The Children Srikandi Collective (Indonésia, Alemanha e Suíca, 1h 18min, Documentário, 2012)

CINE CULTURAL JUSTIÇA FEDERAL

15h30 -CURTAS 6: “Pride” de Marc Saltarelli (EUA, 2011), “Salto de Margô” de Rodrigo de Moares Augusto (Brasil, 2011), “Chom Gufcha” de Zvi Landsman (Israel/ 2011),“Ce n’est pas un film de Cow-boys” de Benjamin Parent (França/ 2012) e “La Santa” de Mauricio López Fernández (Chile, 2012).

17h – LONGA 6: “Another Gay Sequel: Gays Gone Wild!”de Todd Stephens (EUA, 2011, 1h 37min, Ficção).

18h30 – CURTAS 7: “Kemény Csajok Nem Álmodnak” de Zsófia Zsemberi (Hungria, 2011), “Young Girl” de Cadu Barros (Brasil, 2012), “Máscara Negra” de Rene Brasil (Brasil, 2011), “Maça” de Pedro Paulo de Andrade (Brasil, 2011), “Warum Madame Warum” de John Heys e Michael Bidner (Alemanha, 2010) e “Gaydar” de Felipe Cabral (Brasil, 2012).

20h -LONGA 3: “The Right to Love: An American Family” de Cassie Jaye (EUA, 1h 28min, Documentário, 2012)

Dia 2 de julho de 2012, segunda-feira

ESTAÇÃO SESC RIO 1

21h – LONGA 1: “Detlef” de Stefan Westerwelle e Jan Rothstein (Alemanha, 1h 30min, Documentário, 2012)

INSTITUTO CERVANTES

18h -LONGA 8: “Família no Papel” de Fernanda Friedrich e Bruna Wagner (Brasil, 52minutos, Documentário, 2012) + CURTA “Tchaka em Transe” de Livia Marques (Brasil, 2012).

19h30 -LONGA 3: “The Right to Love: An American Family” de Cassie Jaye (EUA, 1h 28min, Documentário, 2012).

Dia 3 de julho de 2012, terça-feira

ESTAÇÃO SESC RIO 1

21h – LONGA 2: “Judas Kiss” de J.T. Tepnapa (EUA, 1h 34min, Ficção, 2011).

Dia 4 de julho de 2012, quarta-feira

ESTAÇÃO SESC RIO 1

21h -LONGA 7: “The Love Patient” Michael Simon (EUA, 1h 35min, Ficção, 2011)

CINE CULTURAL JUSTIÇA FEDERAL

15h30 –LONGA 8: “Família no Papel” de Fernanda Friedrich e Bruna Wagner (Brasil, 52minutos, Documentário, 2012) + CURTA “Tchaka em Transe” de Livia Marques (Brasil, 2012).

17h – CURTAS 1: “The Man That Got Away” de Aleques Eiterer (Brasil, 2011), “Abismo” de Aleques Eiterer (Brasil, 2011), “Angorá” de Emerson Evêncio (Brasil, 2011), “Genderbusters”de Sam Berliner (EUA, 2010), “Indícios-Dois” de Dannon Lacerda (Brasil, 2012) e“52” de Josh Levy (Canadá, 2011).

18h30 -CURTAS 2 : “Recipe For Love” de Chauncey Wales (EUA, 2011), “A Geografia do Preconceito” de Daniel Nolasco de Souza e Marcella Coppo (Brasil, 2011), “Jiboia”Rafael Lessa (Brasil, 2011), “Assunto de Família” de Caru Alves de Souza (Brasil, 2011) e “4 Pounds” de Josh Levy (Canadá, 2011).

20h – LONGA 5: “E-Cupid” de J.C Calciano (EUA/ 1h 18min/ Ficção/ 2012)

INSTITUTO CERVANTES

18h – LONGA 1: “Detlef” de Stefan Westerwelle e Jan Rothstein (Alemanha, 1h 30min, Documentário, 2012).

19h30 -LONGA PREMIO MAGUEY 1: “Todo El Mundo Tiene a Alguien Menos Yo” de Raúl Fuentes (México, 1h 30min, Ficção, 2011).

Dia 5 de julho de 2012, quinta-feira

ESTAÇÃO SESC RIO 1

21h – LONGA 3: “The Right to Love: An American Family” de Cassie Jaye (EUA, 1h 28min, Documentário, 2012).

CINE CULTURAL JUSTIÇA FEDERAL

15h30 -LONGA 1: “Detlef” de Stefan Westerwelle e Jan Rothstein (Alemanha, 1h 30min, Documentário, 2012).

17h – CURTAS 3: “The Glitter Emergency” de Paul Festa (EUA, 2011), “Lek and the Waterboy” de Lasse Nielsen (Tailândia, 2011), “Parede Branca Do Que Poderia Ser” de Pedro Paulo de Andrade (Brasil, 2011), “Botolovers”de Caroline Fioratti (Brasil, 2011), “Novembro Paralelo” de Ivan Ribeiro (Brasil, 2011), “I’m in the Mood for Love” de Jason Karman (Canadá, 2010) e “Komma Ut” de Jerry Carlsson (Suécia, 2011).

18h30 -CURTAS 4: Joelma” de Edson Bastos (Brasil, 2011), “Debaixo D´água” de Sílvia Godinho (Brasil, 2011), “Lados Dados” de Breno Benetti (Brasil, 2011), “Lamúria” de Nathan Cirino (Brasil, 2011), “A Lazy Summer Afternoon with Mario Montez” de John Heys (Alemanha, 2010), “7 Deadly Kisses” de Sammaria Simanjuntak (Indonésia, 2012).

20h -LONGA 10: “80 Egunean” de Jon Garanõ e Jose Mari Goenaga (Espanha, 2010, 1h 45minutos, Ficção).

INSTITUTO CERVANTES

18h – LONGA 9: “Looking for the Gay Bollywood” de Nasha Gagnebin (França, 52min, Documentário, 2012) + CURTA: “Amen” de Ranadeep Bhattacharyya e Judhajit Bagchi (Índia, 2010)

19h30 -LONGA PREMIO MAGUEY 2: “Mía” de Javier Van de Couter (Argentina, 1h 45min, Ficção, 2012)

Dia 6 de julho de 2012, sexta-feira

CINE CULTURAL JUSTIÇA FEDERAL

15h30 -CURTAS 5: “A arte de andar pelas ruas de Brasília” de Rafaela Camelo (Brasil, 2011),“O Bolo” de Robert Guimarães (Brasil, 2010), “Diálogo” de Dannon Lacerda (Brasil, 2011), “The Queen Of My Dreams” de Fawzia Mirza e Ryan Logan (EUA, 2011), “No clothes”de Hugo Kenzo (EUA, 2012), “Längs Vägen” Jerry Carlsson e Anette Gunnarsson (Suécia, 2011).

17h – CURTAS 6: “Pride” de Marc Saltarelli (EUA, 2011), “Salto de Margô” de Rodrigo de Moares Augusto (Brasil, 2011), “Chom Gufcha” de Zvi Landsman (Israel/ 2011),“Ce n’est pas un film de Cow-boys” de Benjamin Parent (França/ 2012) e “La Santa” de Mauricio López Fernández (Chile, 2012).

18h30 -CURTAS 7: “Kemény Csajok Nem Álmodnak” de Zsófia Zsemberi (Hungria, 2011), “Young Girl” de Cadu Barros (Brasil, 2012), “Máscara Negra” de Rene Brasil (Brasil, 2011), “Maça” de Pedro Paulo de Andrade (Brasil, 2011), “Warum Madame Warum” de John Heys e Michael Bidner (Alemanha, 2010) e “Gaydar” de Felipe Cabral (Brasil, 2012).

20h – LONGA 7: “The Love Patient” Michael Simon (EUA, 1h 35min, Ficção, 2011)

INSTITUTO CERVANTES

18h -LONGA 4: “Anak-Anak Srikandi” de The Children Srikandi Collective (Indonésia, Alemanha e Suíca, 1h 18min, Documentário, 2012).

19h30 -LONGA 10: “80 Egunean” de Jon Garanõ e Jose Mari Goenaga (Espanha, 2010, 1h 45minutos, Ficção).

Dia 7 de julho de 2012, sábado

CINE CULTURAL JUSTIÇA FEDERAL

15h30 -LONGA 4: “Anak-Anak Srikandi” de The Children Srikandi Collective (Indonésia, Alemanha e Suíca, 1h 18min, Documentário, 2012).

17h – LONGA 9: “Looking for the Gay Bollywood” de Nasha Gagnebin (França, 52min, Documentário, 2012) + CURTA: “Amen” de Ranadeep Bhattacharyya e Judhajit Bagchi (Índia, 2010).

18h30 -LONGA PREMIO MAGUEY 1: “Todo El Mundo Tiene a Alguien Menos Yo” de Raúl Fuentes (México, 1h 30min, Ficção, 2011).

20h – LONGA PREMIO MAGUEY 2: “Mía” de Javier Van de Couter (Argentina, 1h 45min, Ficção, 2012).

Dia 8 de julho de 2012, domingo

CINE CULTURAL JUSTIÇA FEDERAL

15h30 -REPESCAGEM

17h – REPESCAGEM

18h30 -REPESCAGEM

20h – REPESCAGEM

OBS.: Os filmes da repescagem do Rio Festival Gay de Cinema 2012 serão divulgados dia 07 de julho no site do festival.

CINEMAS

ESTAÇÃO SESC RIO

Sala 1

Endereço: Rua Voluntários da Pátria 35, Botafogo – Rio de Janeiro/ RJ

Dias: 29 de junho a 5 de julho de 2012

Horário de início da sessão: 21h

Ingresso de cada sessão (sex a dom): R$ 18 e R$ 9 (meia-entrada)

Ingresso de cada sessão (seg a quin): R$ 15 e R$ 7,50 (meia-entrada)

CENTRO CULTURAL JUSTIÇA FEDERAL

Cine Cultural Justiça Federal

Endereço: Avenida Rio Branco 24, Centro – Rio de Janeiro/ RJ

Data: 29 de junho a 8 de julho de 2012 (exceto dias 2 e 3 de julho)

Horários de início das sessões: 15h30, 17h, 18h30 e 20h

Ingresso de cada sessão: R$ 12 e R$6 (meia-entrada)

INSTITUTO CERVANTES

Cinema

Endereço: Rua Visconde de Ouro Preto 62, Botafogo – Rio de Janeiro/ RJ

Data: 2, 4, 5 e 6 de julho de 2012

Horários de início das sessões: 18h e 19h30

Ingresso de cada sessão: R$ 12 e R$6 (meia-entrada)

HOMOFOBIA CRIMINALIZAÇÂO JÁ!

AMANHÃ!
17 DE MAIO DE 2012
12h – Cinelândia
(nas escadarias da Câmara dos Vereadores)
HOMOFOBIA CRIMINALIZAÇÂO JÁ!
Esteja presente.
COMPARTILHE no seu FB
Traga suas Bandeira e Faixas!

Entre os anos de 1948 e 1990, a Organização Mundial de Saúde (OMS) classificava a homossexualidade como um transtorno mental. Neste período, usava-se o termo “homossexualismo” para referir-se à orientação sexual de uma pessoa. Vale ressaltar que o sufixo “ismo” significa “doença”, uma “patologia”.

Há exatos 21 anos, ou seja, em 17 de maio de 1990, a assembleia geral da Organização Mundial de Saúde (OMS) aprovou e oficializou a retirada do Código 302.0 (Homossexualismo) da CID (Classificação Internacional de Doenças), e declarou oficialmente que “a homossexualidade não constitui doença, nem distúrbio”.
A partir deste fato histórico o Movimento LGBT Mundial tem priorizado a propagação mundial do termo “homossexualidade” em vez de “homossexualismo”. Por esta razão, o dia 17 de maio tornou-se uma data simbólica e histórica para o Movimento LGBT Mundial que incentiva a promoção de eventos de conscientização pública em todas as regiões do planeta, visando chamar a atenção das pessoas, principalmente de autoridades públicas e políticas, inclusive gestores públicos, para a necessidade cada vez mais urgente de combater e erradicar a homofobia, em suas mais diferentes formas de manifestação e ação (homofobia, lesbofobia e transfobia) e, assim, evitar que cada vez mais pessoas inocentes da sociedade continuem sendo brutal e covardemente assassinadas por causa de suas orientações sexuais e/ou identidades de gênero.

DIV.A – Diversidade em Animação 2012

A quarta edição do Diversidade em Animação (DIV.A) acontecerá de 4 a 13 de maio de 2012, exceto dias 7 e 8 de maio, sessões às 15h30, 17h, 18h30 e 20h no Cine Cultural Justiça Federal, Rio de Janeiro. O DIV.A é focado na exibição e premiação dos melhores filmes de animação LGBT de todo o mundo.

56 filmes de animação, brasileiros e estrangeiros, participam desta edição do festival. A COMPETIÇÃO INTERNACIONAL DE CURTAS reúne 22 animações que estreiam no Brasil e serão analisadas pelos júris (popular, técnico e do festival). As melhores animações serão anunciadas e exibidas no dia 13 de maio, último dia do festival, nas sessões de 18h30 e 20h no programa PREMIADOS 2012. O programa FINALISTAS E PREMIADOS 2010 e o FINALISTAS E PREMIADOS 2011 reapresentam as melhores animações do festival escolhidas pelos júris dessas duas edições do festival.

O ESPECIAL LISA T exibe quatro curtas-metragens animados de Lisa T, que se relacionam com o “gênero ser”. A identidade secreta de Lisa T é o diretor de animação Lasse Persson, que é animador há mais de 20 anos. O ESPECIAL MAIS INFLAMADO destaca os curtas de animação com conteúdo sexual mais quentes e polêmicos do festival. No ESPECIAL SEM SAÍDA, estreiam as animações da campanha da ORAM, a Organização de Refúgio, Asilo e Migração que oferece serviços jurídicos para pessoas LGBT vivendo em países hostis. São quatro animações, que concentram-se em histórias de pessoas LGBT vivendo na Jamaica, Irã, Iraque e Zimbabue. As animações transmitem os horrores da vida diária de pessoas não-heterossexuais vivendo em ambientes extremamente intolerantes.

DIV.A também é ponto de encontro de profissionais do cinema de animação. No dia 05 de maio, sábado, 15h30, no Cine Cultural Justiça Federal, o festival apresentará o DEBATE “Futuro do Cinema de Animação LGBT no Brasil” com os animadores Alan Nóbrega (Brasil), Luciano Figueiredo (Brasil), Mauricio Marins (Brasil) Santiago Rojas (Equador), Xavier Zúñiga (Equador) e outros convidados. E a animação continua no DIV.A A FESTA com projeções de animações flamejantes sincronizadas com os hits internacionais das pistas mais livres e brilhantes do mundo. A diversão começa às 23h, do dia 10 de maio, quinta-feira, na The Week.

Este festival é realizado pra quem adora o cinema internacional de animação e acredita que todas as pessoas, independentemente da orientação sexual ou identidade de gênero, devam apreciar toda a gama de direitos humanos, sem exceção.

Vinheta Oficial do DIV.A 2012 http://youtu.be/4zZ40FGb9yw
Curtir www.facebook.com/diversidadeemanimacao

Visite www.diversidadeemanimacao.com.br

AGENDA

04 de maio, sexta-feira, no Cine Cultural Justiça Federal

15h30 – Retrospectiva Finalistas e Premiados de 2011

17h – Especial Sem Saída + Competição de Curtas 2

18h30 – Especial Mais Inflamado + Competição de Curtas 3

20h – Competição de Curtas 1 + Especial Lisa T

05 de maio, sábado, no Cine Cultural Justiça Federal

15h30 – Debate: “Futuro do Cinema de Animação LGBT”

17h – Competição de Curtas 1 + Especial Lisa T

18h30 – Especial Sem Saída + Competição de Curtas 2

20h – Especial Mais Inflamado + Competição de Curtas 3

06 de maio, domingo, no Cine Cultural Justiça Federal

15h30 – Especial Mais Inflamado + Competição de Curtas 3

17h – Retrospectiva Finalistas e Premiados de 2010

18h30 – Competição de Curtas 1 + Especial Lisa T

20h – Especial Sem Saída + Competição de Curtas 2

09 de maio, quarta-feira, no Cine Cultural Justiça Federal

15h30 – Especial Sem Saída + Competição de Curtas 2

17h – Especial Mais Inflamado + Competição de Curtas 3

18h30 – Retrospectiva Finalistas e Premiados de 2011

20h – Competição de Curtas 1 + Especial Lisa T

10 de maio, quinta-feira, no Cine Cultural Justiça Federal

15h30 – Competição de Curtas 1 + Especial Lisa T

17h – Especial Sem Saída + Competição de Curtas 2

18h30 – Especial Mais Inflamado + Competição de Curtas 3

20h – Retrospectiva Finalistas e Premiados de 2010

23h- DIV.A A FESTA (The Week Rio)

11 de maio, sexta-feira, no Cine Cultural Justiça Federal

15h30 – Retrospectiva Finalistas e Premiados de 2011

17h – Competição de Curtas 1 + Especial Lisa T

18h30 – Especial Sem Saída +Competição de Curtas 2

20h – Especial Mais Inflamado + Competição de Curtas 3

12 de maio, sábado, no Cine Cultural Justiça Federal

15h30 – Especial Mais Inflamado + Competição de Curtas 3

17h – Retrospectiva Finalistas e Premiados de 2010

18h30 – Competição de Curtas 1 + Especial Lisa T

20h – Especial Sem Saída +Competição de Curtas 2

13 de maio, domingo, no Cine Cultural Justiça Federal

15h30 – Retrospectiva Finalistas e Premiados de 2010

17h – Retrospectiva Finalistas e Premiados de 2011

18h30 – Premiados de 2012

20h – Premiados de 2012

SERVIÇO

DIV.A – Diversidade em Animação 2012

Data: 04 a 13 de maio de 2012 (exceto dias 7 e 8 de maio)

Horário de início das sessões: 15h30, 17h, 18h30 e 20h.

Local: Cine Cultural Justiça Federal (Av. Rio Branco 241 – Centro, Rio de Janeiro)

Ingresso: R$ 12,00 (inteira) e R$ 6,00 (meia)

DIV.A A FESTA

Data: 10 de maio de 2012, quinta-feira.

Horário: 23h.

Local: The Week (Av. Sacadura Cabral Saúde 154 – Saúde. Rio de Janeiro)

Preço: R$ 25,00 (antecipado na Cox Ipanema), R$ 30,00 (Lista-amiga até1h) e R$ 45,00 (na porta)

Lista-amiga: nomes para divaafesta@gmail.com até 22h do dia 10 de maio.

Classificação indicativa do festival: Não recomendado para menores de 18 anos

Público se emociona em noite do Prêmio Arco-Íris de Direitos Humanos

O Teatro João Caetano recebeu na noite de ontem (12) o público LGBT para a premiação que destaca os melhores do ano em ações para lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e travestis. Entre os 20 ganhadores do 10º Prêmio Arco-Íris de Direitos Humanos, estavam a secretária de Cultura Adriana Rattes, o autor da novela Amor e Revolução (exibida pelo SBT) Tiago Santiago, a revista TRIP.

Para o presidente do Grupo Arco-Íris (GAI), Julio Moreira, 2011 foi um ano de muitas vitórias para a comunidade “foi um ano de muitas emoções, conquistamos o direito a união civil, foram implantados o Programa Estadual Rio Sem Homofobia e a Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual (CEDS) da Prefeitura, tivemos o primeiro beijo lésbico da TV brasileira, e muitas outras conquistas, esperamos que os próximos anos sejam ainda mais vitoriosos, e principalmente, que, diminuam os crimes de homofobia”.

A transformista Lorna Washinton deu o tom da homenagem à Rose BomBom e emocionou a plateia cantando Se Todos Fossem Iguais a Você de Tom Jobim enquanto travestis, reverenciando sua história, exibiam um vestido da estrela. A drag queen caricata, que começou sua vida artística como palhaço, escolheu alegrar a luta da comunidade LGBT participando ativamente dos projetos do grupo Arco-Íris. Rose faleceu em casa na última quinta (08) após sofrer infarto.

COPACABANA FERVEU COM A 16ª PARADA DO ORGULHO LGBT

A união de todos os tons cobriu a orla de Copacabana de branco

Paz. Essa foi a palavra de ordem na 16ª Parada Orgulho LGBT do Rio. Sob o lema “Somos todos iguais perante a paz – Toda forma de violência deve ser crime”, Copacabana recebeu 1,5 milhão de pessoas em sua orla. Elas entoaram um coro que dizia não à homofobia, à intolerância e qualquer outro tipo de violência. O evento reuniu lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e simpatizantes na 3ª maior festa da cidade, que teve como música de abertura a reprodução de “A Paz”, interpretada por Zizi Possi. Mais de duas mil bolas brancas subiram ao céu de Copacabana levando o desejo de cada participante pela paz universal. 

A 16ª Parada foi aberta com o discurso de militantes do estado do Rio de Janeiro, assim como dos quatro cantos do país. Ao todo, 15 trios elétricos ocuparam a orla de Copacabana, além do Grupo Arco-Íris e Instituto Arco-Íris, organizadores do evento, o Governo do Estado, a Prefeitura, os clubes Cine Ideal e 1140 e da Rádio FM O Dia que também marcaram presença na festa.

Prevenção e saúde em pauta

Durante as sete horas de evento, foram distribuídos um milhão de materiais informativos sobre cidadania e saúde, que incentivaram a testagem voluntária do status sorológico do HIV, além de dicas sobre prevenção contra o HIV/Aids, hepatites virais e demais doenças sexualmente transmissíveis. Em uma das tendas, 200 pessoas tomaram vacina contra a hepatite B. Cerca de meio milhão de camisinhas masculinas, incluindo os tamanhos “teen” e “extra” foram distribuídas, além de sachês de gel e camisinha feminina. Tudo isso envolto às cores da bandeira de luta do Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT, realizador do evento.

Dez ambulâncias espalhadas pela orla realizaram dez remoções. Para garantir a segurança de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e simpatizantes 980 homens compareceram à Parada, sendo 350 guardas municipais, 250 policiais militares e, ainda, 380 seguranças particulares.

Projeto de Lei da criminalização da homofobia inspirou campanha

Neste ano, o lema da Parada foi “Somos todos iguais perante a paz – Toda forma de violência deve ser crime” – uma alusão ao projeto de lei que torna crime a homofobia no Brasil. “Uma cidade que vem se preparando para receber dois grandes eventos mundiais, vem discutindo a segurança pública. Por que o combate à homofobia não pode entrar nessa pauta? A paz que queremos é uma paz inclusiva, onde todos os cidadãos sejam respeitados em suas diferenças”, disse Júlio Moreira, presidente do Grupo Arco-Íris.

A Parada teve diversas atividades – desde o discurso de autoridades que falaram da luta contra a homofobia, até as animadas performances de drag queens, transformistas e dançarinos das boates mais badaladas da cidade ao som de muita música eletrônica.

A Parada apoia a campanha “Mães pela Igualdade”.

No trio do Movimento de Direitos Humanos, mães que tiveram seus filhos assassinados, vítimas de crimes homofóbicos, puderam chamar atenção contra a violência e impunidade no país. A Parada LGBT do Rio de Janeiro apoia este movimento de “Mães pela Igualdade” corajosas e assumidas, que levantam suas vozes contra o ódio e exigem o fim da discriminação e preconceito no Brasil.

Cidadania marca presença

Um ônibus da Defensoria Pública Geral do Estado do Rio de Janeiro (DPGERJ) através Núcleo de Defesa da Diversidade Sexual e Direitos Homoafetivos (NUDIVERSIS) também participou da Parada, atuando com defensores e advogados foram emitidos 30 ofícios de gratuidade de união estável além  de gratuidade para 2ª via do documento de identidade e orientação jurídica, ao todo, foram realizados 70 atendimentos.

O Centro de Referência da Cidadania LGBT, do Governo do Estado do Rio de Janeiro, e a Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual da Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro, participaram com distribuição de informativos de serviços oferecidos.

Diversas autoridades compareceram à 16ª Parada do Orgulho LGBT, entre eles, o deputado federal, Jean Wyllys, a deputada federal Jandira Feghali, a secretária Nacional de Promoção dos Direitos Humanos da Presidência da República, Nadine Borges, a secretária Nacional da Juventude, a secretária Nacional da Juventude, Severine Macedo, a subsecretária Executiva da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Maria Célia Vasconcelos, o superintendente de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos, Cláudio Nascimento e o coordenador da Diversidade Sexual da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, Carlos Tufvesson, a consultora da sub comissão da Diversidade e Responsabilidade Social da Petrobras, Wania Santana, entre outros.
A 16ª Parada do Orgulho LGBT Rio 2011 foi uma realização do Grupo Arco-Íris Cidadania LGBT e co-realização do Instituto Arco-Íris com patrocínio Prata do Governo do Estado do Rio de Janeiro através da Superintendência de Direitos Individuais Coletivos e Difusos da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos e da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro através da Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual. E patrocínio Bronze da Petrobras.

 Informações para a imprensa:

Márcia Vilella | Marietta Trotta | Letícia Reitberger

Target Assessoria de Comunicação

 Tels: 21 8158 9692 | 9519 5270 | 8158 9715 | 3549 0028 | 2284 2475

www.target.inf.br

16ª PARADA DO ORGULHO LGBT SE VESTE DE BRANCO PEDINDO PAZ

Música eletrônica e ações de cidadania embalam a Parada mais bonita do Brasil 

Pedindo paz, no dia 09 de outubro a orla de Copacabana vai se transformar na praia mais animada do Brasil. A 16ª Parada do Orgulho LGBT Rio – 2011 vai acontecer às 13h, reunindo lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais na festa ao ar livre mais badalada da cidade maravilhosa. A princesinha do mar espera receber heterossexuais, idosos e crianças na luta contra a discriminação ao público mais colorido do mundo.

Serão 15 trios elétricos ocupando a orla de Copacabana, além do Grupo Arco-Íris e Instituto Arco-Íris, organizadores do evento, o Governo do Estado, a Prefeitura, os clubes Cine Ideal e 1140 e da Rádio FM O Dia. Haverá tendas com distribuição de materiais informativos sobre cidadania, incentivo a testagem voluntária do status sorológico do HIV, além de dicas sobre prevenção contra o HIV/Aids, hepatites virais e demais doenças sexualmente transmissíveis. Em uma das tendas, mais uma vez, será oferecida gratuitamente a vacinação contra hepatite B. Serão distribuídas cerca de meio milhão de camisinhas masculinas, incluindo os tamanhos “teen” e “extra”; além de sachês de gel e camisinha feminina. Tudo isso envolto às cores da bandeira de luta do Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT, realizador do evento.

Serão dez ambulâncias espalhadas pela orla, além do posto médico na Av. Atlântica entre as ruas Figueiredo Magalhães e Santa Clara. Para garantir a segurança de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e simpatizantes haverá 1.180 homens na orla de Copacabana, sendo 350 guardas municipais, 450 policiais militares e, ainda, 380 seguranças particulares.

Neste ano, o lema da Parada é “Somos todos iguais perante a paz – Toda forma de violência deve ser crime” – uma alusão ao Artigo 5º da Constituição Federal, que diz que somos todos iguais perante a lei. “Somente através de um pensamento pacifista é que a gente consegue acabar com todas as desigualdades que existem hoje na sociedade, como a violência, a pobreza e a exclusão. É necessário ter uma compreensão que o combate à homofobia está inserido nesta pauta. Com esse evento a gente traz essa discussão pra sociedade: somos todos iguais perante a paz e toda forma de preconceito deve ser crime”, analisa Julio Moreira, presidente do Grupo Arco-Íris.

O que usar? O Grupo Arco-Íris convida os participantes a vestirem branco no dia 09 de outubro.

Estima-se que mais de um milhão de pessoas ajudarão a levantar a bandeira do arco-íris em busca de respeito, dignidade e união. Esse, que é o terceiro maior evento da cidade (apenas o Réveillon e Carnaval reúnem mais pessoas na orla de Copacabana), terá diversas atividades, que vão desde o discurso de autoridades que falarão da luta contra a homofobia, até as animadas performances de drag queens, transformistas e dançarinos das boates mais badaladas da cidade ao som de muita música eletrônica. Um dos trios vai se destacar pela importância histórica para o país; um deles com os 50 casais homoafetivos que realizaram a união estável em junho de 2011 e outro com organizações de Direitos Humanos como a ONG Viva Rio, as Mães da Cinelândia, Mulheres pela Paz, entre outros.

A Parada apoia a campanha “Mães pela Igualdade”

No trio do Movimento de Direitos Humanos, assim com em outros, estarão presentes várias mães com fotografias gigantes de seus filhos assassinados, vítimas de crimes homofóbicos. A Parada LGBT do Rio de Janeiro apoia este movimento de “Mães pela Igualdade” corajosas e assumidas, que levantam suas vozes contra o ódio e exigem o fim da discriminação e violência no Brasil.

Homenagem

O Grupo Arco-Íris homenageará no primeiro trio o Governador Sérgio Cabral pela proposição da ADPF 132/RJ ao Supremo Tribunal Federal, solicitando o reconhecimento de direitos a casais homoafetivos, que resultou na equiparação pela instância máxima do Judiciário da união civil entre pessoas do mesmo sexo às uniões de casais heterossexuais.

A Senadora Marta Suplicy também receberá homenagem por sua histórica contribuição às conquistas do movimento LGBT e por ser a primeira congressista a propor um projeto de lei que reconhecesse a união estável homoafetiva no Brasil.

Defensoria Pública marca presença

Um ônibus da Defensoria Pública Geral do Estado do Rio de Janeiro (DPGERJ) através Núcleo de Defesa da Diversidade Sexual e Direitos Homoafetivos (NUDIVERSIS) vai estar em frente ao Hotel Windsor, na esquina da Av. Atlântica com a Rua Sá Ferreira, das 10h às 15h, com defensores e advogados emitindo ofícios de gratuidade 2ª via do documento de identidade e orientação jurídica também estarão disponíveis para lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais.

 Para as famílias

stand do Conselho Tutelar estará acolhendo crianças perdidas, num espaço com material educativo e recreação infantil para criançada se distrair e entrar na atmosfera de respeito à diversidade, até a chegada dos responsáveis. Os pais poderão também solicitar pulseiras para identificação para seus filhos.

 Para os internautas

Informações instantâneas serão divulgadas nas mídias sociais. O Arco-Íris vai usar, durante a 16ª Parada do Orgulho LGBT, a hashtag #ParadaLGBTrio. Conecte-se! Siga no Twitter: @grupoarcoirisrj e Facebook: Grupo Arco-Íris Perfil II.

 Achados e Perdidos

 Haverá uma tenda na altura da Rua República do Peru para a disposição de objetos e documentos encontrados. Após o término do evento, tudo será encaminhado ao setor de Achados e Perdidos do Correios.

A organização da Parada orienta que as pessoas fiquem de olho nos seus pertences. O ideal é levar somente a quantia de dinheiro necessária e evitar andar com objetos de valor (joia, celular, câmera, relógio e etc.). E apenas a identidade, se possível, uma cópia autenticada.

As pessoas que perderem os seus documentos poderão registrar o extravio em qualquer delegacia perto da sua casa, não necessariamente no mesmo dia da perda.

 Dicas de Transporte

Para chegar à Parada a organização orienta aos participantes que deem preferência aos transportes públicos, como metrô e ônibus.

Segundo definição da CET-RIO, os ônibus de excursão não poderão entrar e desembarcar pessoas em Copacabana. Deverão estacionar ao entorno do Centro Administrativo da Prefeitura do Rio na Cidade Nova (Teleporto), e os excursionistas irem de metrô até o evento.

 A 16ª Parada do Orgulho LGBT Rio 2011 é uma realização do Grupo Arco-Íris Cidadania LGBT e co-realização do Instituto Arco-Íris com patrocínio Prata do Governo do Estado do Rio de Janeiro através da Superintendência de Direitos Individuais Coletivos e Difusos da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos e da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro através da Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual. E patrocínio Bronze da Petrobras.

FESTA, CIDADANIA E SOL NA 16ª PARADA DO ORGULHO LGBT

O dia promete ser quente no domingo, com sol durante todo o dia, temperatura pode chegar até 35 graus, de acordo com o Climatempo. Aproveite o calor para pintar na praia de Copacabana; a 16ª Parada do Orgulho LGBT Rio – 2011 será no domingo (09), a partir das 13h, reunindo lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, além das famílias. Um ótimo dia para pedir PAZ, usando branco, roupas leves e calçados confortáveis.

Na festa haverá tendas com distribuição de materiais informativos sobre cidadania, incentivo a testagem voluntária do status sorológico do HIV, além de dicas sobre prevenção de HIV/Aids, hepatites virais e demais doenças sexualmente transmissíveis. Em uma das tendas, mais uma vez, será oferecida gratuitamente a vacinação contra hepatite B.

Serão distribuídas cerca de meio milhão de camisinhas masculinas, incluindo os tamanhos “teen” e “extra”; além de sachês de gel e camisinha feminina. Serão dez ambulâncias espalhadas pela orla, além do posto médico na Av. Atlântica entre as ruas Figueiredo Magalhães e Santa Clara.

DEFENSORIA PÚBLICA GARANTE GRATUIDADE EM UNIÃO ESTÁVEL HOMOAFETIVA NA 16ª PARADA DO ORGULHO LGBT

A Defensoria Pública Geral do Estado do Rio de Janeiro (DPGE-RJ) confirmou presença na 16ª Parada do Orgulho LGBT – Rio 2011. Num ônibus estacionando na Av. Atlântica (esquina com a Rua Sá Ferreira) das 9h às 13h, defensores e advogados emitirão ofícios de gratuidade para união estável homoafetiva de casais LGBTs. Com o documento, os beneficiários pouparão entre R$ 180,00 a R$ 250,00 com gastos de cartório. Além disso, como a gratuidade para emissão de 2ª via do documento de identidade e orientação jurídica também estarão disponíveis para lesbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais.  A ação é uma parceria do Programa Estadual Rio Sem Homofobia com o Núcleo de Defesa da Diversidade Sexual e Direitos Homoafetivos da DPGE-RJ (NUDIVERIS).

Descontração e luta com segurança garantida na 16ª Parada do Orgulho LGBT do Rio

A 16ª Parada do Orgulho LGBT do Rio terá um reforço na segurança de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e simpatizantes que sempre comparecem ao 3º maior evento da cidade. Ao todo, 1.180 homens vão garantir a ordem na orla de Copacabana, no próximo domingo (09). Serão 350 guardas municipais, 450 policiais militares e, ainda, 380 seguranças particulares.

CONCURSO DE DRAG KING ANIMA 3º LESBIFEST

Peça “Ela Não Pega Nada” também é destaque no festival

Marcando a participação das mulheres na 16ª Parada do Orgulho LGBT – Rio 2011 o 3º Festival da Cultura e da Diversidade de Lésbicas e Mulheres Bissexuais acontece na sexta-feira (07/10), às 20h, na boate Sinônimo Lapa. O grande plus da noite é o concurso de drag kings, onde as mulheres se caracterizam de homem para disputar a melhor performance da noite. Os ingressos variam de R$ 5,00 (levando 1 kg de alimento não perecível) a R$ 15,00.

Outro destaque será a apresentação da esquete teatral  Ela Não Pega Nada, com elenco do “Entre Laços”, grupo formado por meninas e meninos dos projetos do Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT. A noite fica ainda mais quente com os shows das cantoras Elza Ribeiro, Jullie Nóbrega, Nana Kozak e convidadas. Recital de poesias, sorteio de kits eróticos para as mulheres e outras surpresas vão agitar ainda mais o Lesbifest.

Para a diretora sociocultural do Grupo Arco-Íris (GAI), Marcelle Esteves “o Lesbifest é a manifestação artística e política feminina dentro da programação da 16ª Parada do Orgulho LGBT Rio – 2011. Este é o momento de nos expressarmos, é onde podemos mostrar do que somos capazes e principalmente dar o toque feminino nesse colorido todo.”, destacou Marcelle.

As apresentações serão abertas ao público feminino, com inscrições no local, e premiação aos três primeiros colocados com troféus e o título de drag king da noite.

A 16ª Parada do Orgulho LGBT Rio 2011 acontecerá em 9 de Outubro, às 13h no posto 6 em Copacabana. Este ano o tema é “Somos todos iguais perante a paz, toda forma de violência deve ser crime!”.

Serviço:

Horário: 20h

Classificação etária: 18 anos

Ingressos: R$ 5 até às 23h (levando 1Kg de alimento não-perecível);

R$ 10 até 0h

R$ 15 após 0h

Local:  Sinônimo Lapa – Rua Mem de Sá, 118 – Lapa.

GRUPO ARCO-ÍRIS ESQUENTA A PISTA DO CINE IDEAL PARA CELEBRAR A 16ª PARADA O ORGULHO LGBT

O Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT e o Cine Ideal apresentam a Festa Oficial de Celebração da 16ª Parada do Orgulho LGBT Rio 2011. O clima vai esquentar, na próxima quinta-feira (06/08), às 22h, com entrada franca. Lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e travestis vão se jogar ao som de vários DJs, além de desfile de moda e apresentação de drag queens.

A festa terá muita música eletrônica com os DJs residentes, PH, Robix, Fernando Braga, E-Thunder, Robson Araújo, Flavius. E ainda recebe os DJs convidados, Thiago Dukky, Bruno Silver, Léo Moura, Andy Cunha, Thainá, Karinne, Sandin Pelágio, Ivvys Santos. A noite ficará  mais rica com o live show de Hugo Faro e a apresentação das drag queens Eula Rochard, Suzy Brasil, Núbia Pinheiro, Samara Castelli, Lorna Washington, Luisa Moon e desfile de moda do Empório Almir França.

A 16ª Parada do Orgulho LGBT Rio 2011 acontecerá em 9 de Outubro, às 13h no posto 6 em Copacabana. Este ano o tema é “Somos todos iguais perante a paz, toda forma de violência deve ser crime!”.

Serviço:

Horário: 22h

Classificação Etária: 18 Anos

Local: Cine Ideal

Endereço: Rua da Carioca, 64 – Centro – Rio de Janeiro

Informações: (21) 2221-1984

Entrada Franca

CICLO DE DEBATES ARCO-ÍRIS APRESENTA: SAÚDE E HOMOFOBIA

Na próxima quinta-feira (29/09), às 19h, o Espaço Cultural Heloneida Studart, na sede do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher do Rio de Janeiro (CEDIM-RJ), vai receber o público LGBT para o Ciclo de Debates Arco-Íris, com temática sobre saúde e homofobia. A feminista e psicóloga Gloria Careaga-Perez, do México, vai falar sobre as questões de gênero e a temática da diversidade sexual no campo da saúde. O encontro tem entrada franca e compõe a programação da 16ª Parada do Orgulho LGBT – Rio 2011.

Na ocasião, vai acontecer também o lançamento do livro “Lo social de lo sexual: algunos textos sobre sexualidad y desarrollo”, coordenado por Mauricio List. O livro foi publicado por Ediciones Eon e La Fundacion Arcoiris por el respeto a la diversidad sexual, no México. A diretora sociocultural do Grupo Arco-Íris (GAI), Marcelle Esteves, em parceria com Lorena Moraes, contribuiu com um texto, cujo título é: Practicas sexuales entre mujeres, prevención y personal de salud.

Gloria Careaga-Perez é uma renomada psicóloga feminista e social. Desde 1979 ela é professora na Faculdade de Psicologia na Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM) e secretária geral da ILGA (International Lesbian, Gay, Bisexual, Trans and Intersex Association). É responsável pela introdução da temática da diversidade sexual como área de estudos na universidade em 1998. Careaga é co-fundadora e membro da diretoria da El Closet de Sor Juana, um dos mais antigos grupos de lésbicas no México. Também é co-fundadora da  Fundación Arcoiris , um grupo que estuda e investiga a sexualidade no México.

Serão sorteados ingressos VIPs para feijoada do Bar Sal & Pimenta que vai acontecer dia 02 de outubro.

A 16ª Parada do Orgulho LGBT Rio 2011 acontecerá em 9 de Outubro, às 13h no posto 6 em Copacabana. Este ano o tema é “Somos todos iguais perante a paz, toda forma de violência deve ser crime!”. Visite nosso site: www.arco-iris.org.br.

Serviço:

Horário: 19h

CEDIM

Endereço: Rua Camerino, nº51 – Centro

Entrada Franca

DIVINAS DIVAS INTEGRAM PROGRAMAÇÃO DA 16ª PARADA DO ORGULHO LGBT

A programação oficial da 16ª Parada do Orgulho LGBT Rio 2011 conta com o musical Divinas Divas. O espetáculo de transformismo reúne clássicos da MPB e um mix de esquetes cômicas com plumas, paetês e purpurinas. O show acontece na próxima quarta-feira (28/09), às 19h30, no Teatro Rival Petrobras, em única apresentação.

Celebrando sete anos de sucesso, Rogéria, Jane Di Castro, Eloina, Camille K, Fujika De Halliday, Brigitte de Búzios e Andréa Gasparelly, contam com a participação especial de Claudia Telles. Cantando Raul Seixas, Roberto Carlos, Edith Piaf, Frank Sinatra, entre outros.

A 16ª Parada do Orgulho LGBT Rio 2011 acontecerá em 9 de Outubro, às 13h no posto 6 em Copacabana. Este ano o tema é “Somos todos iguais perante a paz, toda forma de violência deve ser crime!”.

Serviço:

Data: 28 de setembro

Hora: 19h30

Entrada: R$ 40,00 (inteira) / R$ 20,00 (meia)

Local: Teatro Rival Petrobras

Endereço: Rua Álvaro Alvim, nº 33/37 – Cinelândia.

Informações: 2240-4469

SUZY BRASIL E ELZA RIBEIRO EM CARTAZ NA CASA DE CULTURA LAURA ALVIM

Após o sucesso da estreia, a programação cultural da 16ª Parada do Orgulho LBGT – Rio 2011 continua na Casa de Cultura Laura Alvim. Hoje, Suzy Brasil e Elza Ribeiro estrelam os projetos Autorretrato Laura di Vison e Vozes da Diversidade – inspirado nas canções de Chico Buarque de Hollanda. Os espetáculos acontecem sempre às 21h, com ingressos a R$ 2,00 e classificação etária de 18 anos.

As irreverentes drag queens Suzy Brasil, Samara Rios e Karina Karão, levam a plateia ao delírio interpretando Deu a Louca na TV. Diferente, dinâmica e divertida, são as características da peça que acontece hoje (26). Em cena, as artistas fazem sátiras do que há de mais atual na televisão brasileira e contam com a participação especial de Veluma e kayka Sabatella. Com direção de Rogério Garcia os espetáculos tem duração de 1h10.

Suzy Brasil promete boas risadas ao falar sobre a peça. “Fazemos reproduções de vários programas, entre eles o da Ana Maria Braga, do Luciano Huck e até dos telejornais. Nosso espetáculo traz também dublagem de músicas internacionais com cantoras caracterizadas”.

Na terça (27), é a vez de Elza Ribeiro soltar a voz e emocionar a plateia no projeto Vozes da Diversidade. Juliana Farina, Cristina Grecco, Nana Kozak e convidadas cantam os clássicos de Chico Buarque para universo feminino, que também preenchem a imaginação do público LGBT.

Na última semana de exibição dos projetos, Autorretrato Laura di Vison apresenta o clássico Ao Sair Deixe Suas Lágrimas, dia 3 de outubro, com Rose Bombom, Sthephanie Camburão e elenco. No dia seguinte, 4 de outubro, Lorna Washington e Angela Leclery estrelam em Vozes da Diversidade no espetáculo Opereta Carioca. O show conta com a alegria de Luiza Moon, Nubia Pinheiro e Samara Castelli como doors.

 

 

Serviço:

Horário: 21h

Classificação Etária: 18 Anos

Casa De Cultura Laura Alvim

Av. Vieira Souto, 176 – Ipanema

Informações: (21) 2332-2015

Ingressos: R$ 2,00

PROJETO AUTORRETRATO LAURA DI VISON GARANTE DIVERSÃO

Confusão, babado, gritaria… Abram as cortinas e acendam as luzes para uma constelação de artistas da cena LGBT carioca. Musas, cantoras, transformistas sobem ao palco da Casa de Cultura Laura Alvim, hoje (19), para brilharem no projeto Autorretrato Laura di Vison. Serão três semanas consecutivas de shows – sempre às segundas-feiras às 21h e com ingressos a R$ 2,00, todos integrando a programação oficial da 16ª Parada do Orgulho LGBT – Rio 2011.

O projeto Autorretrato Laura di Vison vai acontecer no dia 19 de setembro com o espetáculo Casa de Boneca, que tem texto de Luiza Gasparelli, e é interpretado pela mesma. Conta ainda com a interpretação de Lorna Washington, Erika Vogue, Karina Karão, Sarah Stevens, Tammy La Close, Alex Belmonte e Sandro B.

No dia 26 é a vez de Suzy Brasil, Samara Rios e Karina Karão levarem a plateia às gargalhadas em Deu a Louca na TV. Para fechar a programação cultural da 16ª Parada do Orgulho LGBT – Rio 2011, em 3 de outubro Rose Bombom, Sthephanie Camburão e elenco brilham com Ao Sair Deixe Suas Lágrimas. Os espetáculos têm direção de Rogério Garcia, duração de 1h10 cada e classificação etária de 18 Anos.

A 16ª Parada do Orgulho LGBT Rio 2011 acontecerá em 9 de Outubro, às 13h no posto 6 em Copacabana. Este ano o tema é “Somos todos iguais perante a paz, toda forma de violência deve ser crime!”. Visite nosso site: www.arco-iris.org.br.

Serviço:

Horário: 21h

Classificação Etária: 18 Anos

Casa De Cultura Laura Alvim

Av. Vieira Souto, 176 – Ipanema

Informações: (21) 2332-2015

Ingressos: R$ 2,00

VOZES DA DIVERSIDADE ESTREIA NA CASA DE CULTURA LAURA ALVIM

Emoção! É a promessa dos cantores que vão estrear o projeto Vozes da Diversidade na Casa de Cultura Laura Alvim na noite de amanhã (20). Os artistas vão interpretar o musical Ópera do Malandro, de Chico Buarque de Hollanda. Serão três semanas consecutivas de shows – sempre às terças-feiras às 21h e com ingressos a R$ 2,00, todos integrando a programação oficial da 16ª Parada do Orgulho LGBT – Rio 2011.

Não há como negar a influência que esse universo exerce na construção das identidades e da imaginação do universo LGBT. Este ano, além da música de Chico Buarque, os artistas vão envolver ainda mais a plateia no clima feminino declamando sua poesia.

Almir França, responsável pela cenografia, conta sobre a inspiração para os espetáculos da 16ª Parada. “Pela primeira vez escolhemos autores renomados para nortear os espetáculos. Chico Buarque é um dos nomes mais importantes para a cultura brasileira e para política, e com toda sua sensibilidade, também é para os homossexuais. A ideia é montar uma ópera, penso que Chico também mergulhou nesse universo quando criou boa parte de sua obra”, destacou Almir.

Vozes da Diversidade acontecerá nos dias, 20 de setembro com Aline Ramos, Biano Rafa e um pocket show de abertura com Magaly Penelope e Xaxu; no dia 27 de setembro é a vez de Elza Ribeiro, Juliana Farina, Cristina Grecco, Nana Kozak e convidadas soltarem a voz; em 4 de outubro, Lorna Washington e Angela Leclery apresentam o espetáculo Opereta Carioca com participação especial do coral de Cavalheiros Cariocas e Andreia Gasparelli e como doors, Luiza Moon, Nubia Pinheiro, Samara Castelli e Eula Rochard.

A 16ª Parada do Orgulho LGBT Rio 2011 acontecerá em 9 de Outubro, às 13h no posto 6 em Copacabana. Este ano o tema é “Somos todos iguais perante a paz, toda forma de violência deve ser crime!”. Visite nosso site: www.arco-iris.org.br.

Aberto o período de credenciamento de imprensa para a 16ª Parada do Orgulho LGBT

A Target Assessoria de Comunicação e o Grupo Arco-Íris já começaram a fazer o credenciamento para a 16ª Parada do Orgulho LGBT do Rio, que acontecerá dia 09/10, na Orla de Copacabana, a partir das 13h.

Para se credenciar, você deve enviar seus dados (nome, documento de identificação e veículo de imprensa) para o e-mail leticia@target.inf.br até o dia 06/10, às 17h.

As credenciais devem ser retiradas na sede do Grupo Arco-Íris (Rua do Senado 230/ cob.01) nos dias 07 e 08/10, das 14h às 17h.

Será necessário levar documento de identidade.

Telefones para contato: (21) 2284 2475 / 8158 9715.

ABERTURA DA 16ª PARADA DO ORGULHO LGBT LOTA TEATRO JOÃO CAETANO

A festa de abertura da 16ª Parada do Orgulho LGBT – Rio 2011 contou com o glamour das drag queens, que fizeram a recepção dos convidados que lotaram o Teatro João Caetano na noite dessa segunda-feira, dia 12. Mais de mil espectadores assistiram ao espetáculo de voz e arte dos militantes, que no palco, mostraram emoção e orgulho; todos permeados pela alegria natural da comunidade mais colorida do país, a LGBT.

Almir França, responsável pela cenografia da festa de abertura, explica o conceito criado por ele para os espetáculos artísticos da 16ª Parada. “Pela primeira vez autores renomados são inseridos no espetáculo. Escolhemos Chico Buarque, que tem uma importância incontestável para a cultura brasileira, para a política e para os homossexuais, principalmente. A ideia esse ano é fazer a grande ópera do malandro, porque eu acho que o Chico se inspirou na gente quando criou essa obra de arte”, destacou Almir.

As drag queens Meime dos Brilhos e Sula Lastorini, mestres de cerimônia da festa, deram o toque especial à noite com histórias da luta LGBT, brincadeiras e até confidências. Jane Di Castro interpretou as músicas de Chico “Geni e o Zepelim” e “Camarim”. Lorna Washington emocionou ao cantar “Trocando em Miúdos”. Cantando “Non, Je Ne Regrette Rien” Regine de Mônaco lembrou Edith Piaf. Aline Ramos, Biano Rafa, Juliana Farina também brilharam na abertura.

O diretor artístico, Rogério Garcia, tenta contemplar o maior número de representantes da comunidade LGBT. “Porque nós começamos e ocupar espaços públicos há menos de 5 anos então, pra esses artistas que são da noite, é importante estarem num palco tão tradicional como o João Caetano, pra mostrar a importância deles para a história do movimento LGBT”, enfatiza Rogério.

O clima de amor envolvia o público, interpretações das famosas, Madonna, Beyoncé, Cher, Kylie Minogue, levaram a plateia ao delírio e – aos beijos, muitos casais homoafetivos aproveitaram a atmosfera para expressar sua liberdade. Também houve momentos emocionantes, como a homenagem prestada ao jovem Alexandre Ivo, brutalmente assassinado em 2009, por crime de homofobia em São Gonçalo, região metropolitana do Rio.

A festa de abertura da 16ª Parada do Orgulho LGBT – Rio 2011 contou com a presença do secretário de Estado do Ambiente, Carlos Minc, que agradeceu a oportunidade de participar de uma festa tão animada. “Essa criatividade é a melhor resposta a esses caretas reacionários, mal humorados que regam o ódio e a discriminação. Esse show de criatividade se dá principalmente nas ruas, colorindo com as cores do arco-íris e levando bem alto essa mensagem que ódio nenhum pode parar”, celebrou Minc.

O superintendente de Direitos Individuais Coletivos e Difusos da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Cláudio Nascimento, falou sobre a importância do Grupo Arco Íris na luta da militância LGBT e a função da Parada na comunidade “alguns moralistas criticam o papel da Parada, numa perspectivas de padrão comportamental do que deve ser a expressão homossexual, bissexual ou transexual. Não existe padrão, não existe tutela do corpo, da nossa liberdade, cada um com a sua ousadia, sua capacidade de interagir e questionar a estética e o comportamento”, realçou Cláudio, que também coordena o programa estadual Rio Sem Homofobia.

Representando a Coordenadoria Especial de Diversidade Sexual da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, João Felipe Toledo, falou sobre a Lei Municipal n° 2.475, que pune estabelecimento comercial que trate com descriminação o cidadão homossexual. “Todo e qualquer cidadão que seja discriminado por gerentes, garçons e funcionários de estabelecimento comercial no município pode denunciar”, recomendou João.

A cantora Isabella Taviani encerrou a festa cantando uma de suas composições mais notórias pelo público LGBT, “Iguais” foi muito ovacionada pelos presentes. “Eu costumo dizer que o amor não tem fronteiras, e a bandeira que eu carrego é fazer sexo com amor, e não interessa cor, classe social, sexo, o que for o que interessa é sexo com amor. Que a gente tenha força para fazer dessa campanha cada vez mais forte para acabar com esse ódio”.

O presidente do Grupo Arco Íris, Júlio Moreira, convoca a todos e todas para a 16ª Parada do Orgulho LGBT – Rio 2011, que vai acontecer em 9 de outubro, no Posto 6 em Copacabana às 13h. Com o tema “Somos todos iguais perante a paz”, para ele a Parada de 2011 “é uma brincadeira com a nossa constituição que diz que somos todos iguais perante a lei. Então, se todos somos iguais perante a paz, o combate à homofobia tem que entrar na agenda de cada um”, finalizou Júlio.

SHOW DE ABERTURA DA PROGRAMAÇÃO OFICIAL DA 16ª PARADA DO ORGULHO LGBT – RIO 2011

SHOW DE ABERTURA DA PROGRAMAÇÃO OFICIAL DA 16ª PARADA DO ORGULHO LGBT – RIO 2011

12 de setembro – segunda-feira – 20h

Com: Jane di Castro, Lorna Washington, Regine de Mônaco, Rose Bombom, Suzy Brasil, Karina Karão, Kayka Sabatella, Sarah Stevens, Veluma,
Luiza Gasparelli, Desirré, Aline Ramos, Biano Rafa, Elza Ribeiro, Juliana Farina.

Participação Especial: Isabella Taviani

Apresentação: Meime dos Brilhos e Sula Lastorini

Doors: Luiza Moon,  Eula Rochard, Núbia Pinheiro e Danny D´Avalon

Teatro João Caetano

Pç. Tiradentes, s/n – Centro –  Rio de Janeiro

Tel: 21 2332-9166 / 21 2332-9257

Ingressos: R$ 1, 9 9

NESTA SEXTA – 19/08 -LOUNGE ARCO-ÍRIS “MÊS DA VISIBILIDADE LÉSBICA”

O GRUPO ARCO-ÍRIS CONVIDA TOD@S PARA O LOUNGE ARCO-ÍRIS “MÊS DA VISIBILIDADE LÉSBICA”

DIA 19.08.11 ÀS 18 H NA SEDE DO GRUPO – RUA DO SENADO 230, COB.01.TELS. 2222.7286 E 22150844

O LOUNGE TERÁ:

  1. MÚSICA AO VIVO COM NANA KOZAK;
  2. EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIAS COM ALINE MACEDO;
  3. POESIAS;
  4. TEATRO;
  5. COMIDA;
  6. DOCES PERSONALIZADOS;
  7. SORTEIOS DE BRINDES;

CONVIDE AS AMIGAS E OS AMIGOS.

ENTRADA FRANCA.

ESPERAMOS POR VOCÊ.

Nesta SEXTA – 15/07 – LOUNGE ARCO-ÍRIS – Arraiá do Orgulho

Lounge Arco-Íris – Especial Arraiá do Orgulho

Não perca!! Nesta sexta (15/07), a partir das 18h, acontece o Lounge Arco-Íris – Especial Arraiá do Orgulho.  O Grupo Arco-Íris convida você para dançar quadrilha, tomar uma cervejinha gelada, fazer um happy hour, conhecer gente e depois se acabar na Lapa…

ESPALHE!! CONVIDE AMIG@S!!!

Apoio: Instituto Arco-Íris, Projeto Entre Garotos, Projeto Laços & Acasos e Empório Almir França

E não dê mole! Use camisinha e a sainha!!

SERVIÇO

Dia 15 de Julho de 2011 (Sexta)

A partir das 18 horas

Local: Grupo Arco-Íris – Rua do Senado, 230 cobertura – Centro – Rio de Janeiro – RJ

ENTRADA FRANCA!

Infos: 21-2222-7286 // www.arco-iris.org.br

Nesta sexta! Roda de conversa com o Deputado Federal Jean Wyllys.

Nesta SEXTA, 1 de JULHO, às 19hs, comemorando a semana do Orgulho LGBT, o Grupo Arco-Iris recebe em sua sede, para uma roda de conversa, o Deputado Federal Jean Wyllys (PSOL-RJ). O parlamentar comentará sua experiência no Congresso Nacional e fará uma análise sobre as conquistas e desafios da luta pela cidadania plena de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais no Brasil. Esperamos você! Entrada franca. O Grupo Arco-Íris fica na rua do Senado, 230, cobertura – Centro – Rio de Janeiro, tel: 2222-7286.

Nesta Sexta – Lounge Arco-Íris – Especial dos namorados

Lounge Arco-ÍrisEspecial dos namorados

Não perca!! Nesta sexta (10/06), a partir das 18h, acontece o Lounge Arco-ÍrisEspecial dos namorados.  O Grupo Arco-Íris convida você para ouvir boa música, tomar uma cervejinha gelada, fazer um happy hour, conhecer gente e…

… quem sabe já sair arranjad@ para o dia dos namorados, hehehe…

E falando em amor, que tal comemorar com um bolo de noivos e docinhos a histórica vitória do reconhecimento da união estável homoafetiva, pelo Supremo Tribunal Federal? E ainda, festejar a maioridade do Grupo Arco-Íris, que completou 18 anos de luta?

E você ainda pode ganhar presentes. Serão sorteadas entradas VIP para as boites 1140 e Sinônimo Lapa.

ESPALHE!! CONVIDE AMIG@S!!!

Este evento tem parceria com o Programa Rio sem Homofobia, da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos e faz parte dos eventos do Mês de Combate à Homofobia e do lançamento da Campanha Estadual Rio sem Homofobia.

Apoio: Projeto Entre Garotos, Projeto Laços & Acasos, Projeto Quero Fazer, Empório Almir França, Cineclube LGBT, Boite 1140 e Sinônimo Lapa.

E não dê mole! Use camisinha!!

SERVIÇO

Dia 10 de Junho de 2011 (Sexta)

A partir das 18 horas

Local: Grupo Arco-Íris – Rua do Senado, 230 cobertura – Centro – Rio de Janeiro – RJ

ENTRADA FRANCA!

Infos: 21-2222-7286 // www.arco-iris.org.br

Grupo Arco-Íris indica o espetáculo “A Música que Ousa”

Grupo Arco-Íris indica:

A Música que Ousa

Musical conta a história da cultura GLS, homenageando cantores, músicos e outros artistas que colaboraram para a quebra de estigmas relacionados à diversidade sexual.

70 anos de história em 30 sucessos que marcaram época.  (Crédito: Leandro Arraes)

Escrito e dirigido por Igo Ribeiro, o musical em forma de pocket-show traça a história da cultura GLS desde a década de 40 aos dias atuais, proporcionando uma viagem no tempo, com canções que marcaram a história, e que fizeram e fazem parte da trilha sonora da vida de muitos. Sua evolução, de maneira dinâmica, divertida e emocionante, será apresentada ao longo de 30 músicas, prestando homenagem a uma minoria que ainda luta por direitos básicos.

No espetáculo, Cole Porter, Elton John, Elvis Presley, Cazuza, Legião Urbana e Madonna, são exemplos de artistas que serão lembrados.

Texto e direção: Igo Ribeiro

Direção musical: Tatiana Vidal

Elenco: Igo Ribeiro e Hugo Kerth
Percussão: Braulio Azambuja
Guitarra: Fabiano Veneza

Produção: Rafael Carvalho e Otavio Ugá

Serviço

08 a 29 de junho de 2011 (quartas-feiras às 21h)

Local:

Teatro Ipanema

Informações:

Rua Prudente de Morais, 824; Inf.: (21) 9297-6253 Ingressos: R$50 (inteira) e R$25 (meia) Classificação etária: 12 anos

VOTAÇÃO DO 2º TURNO DA PEC 23/2007 NESSA TERÇA-FEIRA (07/06)

Nessa terça-feira, dia 07/06/2011, a ALERJ votará o 2º turno da PEC 23/2007, que inclui a orientação sexual (LGBT) no rol dos direitos fundamentais previstos na Constituição Estadual do Rio de Janeiro, de autoria do Deputado Gilberto Palmares (PT).

É FUNDAMENTAL A PRESENÇA DE TOD@S! ORGANIZE A SUA CARAVANA! CHAME @S AMIG@S!

Essa proposta de lei surgiu da I Conferência Estadual de Políticas Públicas LGBT de 2008, convocada pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, com participação de mais de 700 representantes de 72 municípios do Rio, entre eles membros da sociedade civil organizada  e gestores públicos municipais, além de especialistas em direito e acadêmicos.

O Governo do Estado do Rio de Janeiro com o apoio do Movimento LGBT Organizado vem implantando um conjunto de políticas públicas para LGBT (lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais), através do Programa Rio sem Homofobia, que é o único Programa dessa natureza em toda a América Latina.

Vale lembrar que dados recentes da Secretaria de Segurança Pública apresentando os dados de Registros de Ocorrência policial apontaram que em pouco mais de um ano houve mais de um mil registros de homofobia no Estado, necessitando de forte atuação no Poder Executivo respaldado pelo Poder Legislativo na implementação de leis, para enfrentar essa situação de violência contra LGBT em nosso Estado.

Num momento em que o Governo do Estado do Rio de Janeiro lançou no dia 16 de maio a Campanha Publicitária Rio Sem Homofobia, que entre 17 de maio a 30 de maio, exibirá anuncio de TV, spot de rádio e outdoor, convidando a sociedade fluminense a refletir sobre o preconceito contra homossexuais, promovendo a cidadania e a conscientização social, bem como, a importância de todos reagirem contra a homofobia, será um marco histórico a aprovação desse projeto de lei.

VAMOS CONVOCAR NOSSOS AMIGOS E ALIADOS, A ESTAREM PRESENTES NO PLENÁRIO BARBOSA LIMA SOBRINHO NESTA TERÇA-FEIRA (07 de junho) A PARTIR DAS 15 HORAS.

LEVE SUA BANDEIRA DO ARCO-ÍRIS!

SERVIÇO:
VOTAÇÃO NA ALERJ DO 2º TURNO DA PEC 23/2007 – INCLUSÃO DA ORIENTAÇÃO SEXUAL NA CONSTITUIÇÃO ESTADUAL
DATA: 07/06/2011 – TERÇA-FEIRA
HORÁRIO: A PARTIR DAS 15H
LOCAL: PLENÁRIO BARBOSA LIMA SOBRINHO – ALERJ
ENDEREÇO: Praça 15 DE NOVEMBRO S/Nº EDÍFICIO 23 DE JULHO – CENTRO – RIO DE JANEIRO

OBSERVAÇÃO: É OBRIGATÓRIO A APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTO DE IDENTIFICAÇÃO COM FOTO

REPASSEM ESTA MENSAGEM!
CONVOQUE OS AMIG@S E ALIAD@S!

Votação na ALERJ do 2º Turno da PEC 23/2007 – Inclusão da Orientação Sexual na Constituição Estadual do RJ‏ – NESTA TERÇA (07 de junho) A PARTIR DAS 15H

Grupo Arco-Íris: 18 anos de luta pela cidadania LGBT

Organização de defesa dos Direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT) comemora a data neste final de semana.

O Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT completa 18 anos neste final de semana, e marca a data com várias atrações a partir desta sexta com um bate-papo, às 19hs, com o Dr.Roberto Gonçale, membro da Comissão de Direitos Humanos da OAB e assessor técnico do mandato da Deputada Estadual Janira Rocha, comentando a vitória no STF e tirando dúvidas sobre a união estável, na sede do Grupo – Rua do Senado, 230 – cobertura 1 – Centro; amanhã, sábado, a partir das 20h, no bar/boate Sinônimo Lapa, na Av. Mem de Sá, 118, sobrado – Lapa; e no domingo, a partir das 22h, na Boate 1140, Rua Capitão Menezes, 1140 – Praça Seca.

Fundado em 21 de maio de 1993, o Grupo é uma organização de referência na promoção da cidadania LGBT no Brasil e desenvolve Projetos de Direitos Humanos, educação, cultura e um dos maiores eventos ao ar livre do Rio: a Parada do Orgulho LGBT, que acontece na praia de Copacabana, desde 1995. Neste sábado, além das apresentações de Juliana Farina e Elza Ribeiro, no Sinônimo Lapa, a noite conta com a presença de gogo boys e das artistas transformistas Lorna Washington, Jani Di Castro, Meime dos Brilhos e Desiree.

Durante as comemorações o Grupo lançará o Vídeo “Lições aprendidas: estratégias de prevenção com jovens gays” e o material de prevenção direcionado aos rapazes: “Sexo aqui e agora! Você tem camisinha?”. Outra campanha que também será lançada é voltada para saúde das lésbicas e das mulheres bissexuais e levanta questões como “Tudo que lésbicas e mulheres bissexuais deveriam saber ao ir ao ginecologista!”.

Para Julio Moreira, presidente do Arco-Íris, “o momento é de comemorar nossa maioridade, a vitória com o reconhecimento das uniões homoafetivas pelo STF e o sucesso da Semana de combate a homofobia, em Brasília. Contamos com a presença dos amigos, colaboradores e simpatizantes, sábado, no Sinonimos e, no domingo, na 1140”.

O quê?

Aniversário do Grupo Arco-Íris, comemoração da semana de combate à homofobia e vitória do reconhecimento das uniões civis homoafetivas pelo Supremo Tribunal Federal.

Quando e onde?

Sexta – Grupo Arco-Íris – Rua do Senado, 230 – cobertura 1 – Centro. 19h (entrada livre);

Sábado – Bar e Boate Sinônimo – Av. Mem de Sá, n. 118, Lapa. (www.sinonimolapa.com.br)

A partir das 20h. Entrada R$10 das 20h às 22h, R$15 das 22h às 00h.

Domingo – Boate 1140 Rua Capitão Menezes, 1140, Praça Seca. (www.boite1140.com.br)

A partir das 22h. Entrada R$5 com flyer até as 23h, sem flyer R$10 até as 00h, R$15 após 00h.

Mais informações:

21 – 2222.7286 – Grupo Arco-Íris de Conscientização Homossexual

Governador Sérgio Cabral lança campanha Rio sem Homofobia nesta segunda (16/05)

Cerimônia de lançamento acontece no 7º andar do prédio da Central do Brasil, onde também será assinado o decreto de regulamentação do uso do nome social por travestis e transexuais

O estado do Rio de Janeiro continua sendo vanguarda na história das transformações sociais do país. Após o STF ter aprovado a união estável de homossexuais – ação proposta pelo Governo do RJ -, agora é a vez do governador Sergio Cabral, juntamente com o secretário de Assistência Social e Direitos Humanos, Rodrigo Neves e o superintendente de Direitos Individuais Coletivos e Difusos, Cláudio Nascimento lançarem a campanha publicitária do Programa Rio sem Homofobia na próxima segunda-feira (16) às 10h.

A cerimônia também marcará a assinatura do decreto de reconhecimento e regulamentação do uso do nome social por travestis e transexuais na administração pública do estado do Rio de Janeiro. Além disso, também será apresentado o caderno de ações e metas 2011-2014 do Programa Rio sem Homofobia.

“A vitória obtida no Supremo Tribunal Federal, na última semana, do reconhecimento da união estável de pessoas do mesmo sexo, foi uma luta que começou aqui. É um orgulho para o estado, mas temos que avançar ainda mais. Neste sentido, esta cartilha que iremos lançar será fundamental para que a população do estado saiba tudo o que já foi feito no combate à homofobia e em defesa dos direitos LGBT, além de acompanhar o que está em vias de ser posto em prática”, destaca o secretário Rodrigo Neves.

Estarão presentes no evento, além do governador, do secretário e do superintendente, a senadora Marta Suplicy (PT/SP), representando a Frente Parlamentar LGBT; e a Ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário (a confirmar); além de prefeitos e demais secretários de governo.

“É uma data histórica. O Governador Sérgio Cabral tem dado provas de que governa para todos e todas sem qualquer tipo de distinção, principalmente tratando-se de orientação sexual e identidade de gênero. Esta iniciativa do governo é um grande passo para o combate à homofobia e a promoção da cidadania LGBT, contribuindo para a mobilização de corações e mentes a fim de construir uma sociedade de paz”, orgulha-se o também coordenador do Programa Rio sem Homofobia e presidente do Conselho Estadual dos Direitos da população LGBT, Cláudio Nascimento.

Campanha Rio sem Homofobia


Assinada pela empresa de publicidade e propaganda Nova S/B, a campanha conterá peças comunicacionais como spots para rádio e filmes para TV, cartazes, outdoors, busdoors, mobiliário urbano, folhetos; um website e produtos específicos para a web e itens promocionais tais como camisetas, barracas de praia e blocos são algumas das sugestões que integram o plano de mídia desenvolvido.

A campanha vai reforçar a mensagem contra a homofobia mostrando lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais como cidadãos comuns que são, em peças que mostram os personagens em situações cotidianas, positivas e afirmativas. Principalmente, a campanha vai destacar a atuação inovadora do RIO SEM HOMOFOBIA, um programa que  combate a discriminação e o preconceito contra LGBT, promovendo a cidadania dessa população no Estado do RJ, através de disseminação da informação sobre direitos, atuação no combate à violência, ações nas áreas de educação, culturais, assistência social, segurança, direitos humanos, sistema penitenciário, turismo, esporte e saúde, envolvendo a sociedade civil organizada e os poderes governamentais.

Serviço

Lançamento da campanha publicitária do Programa Estadual Rio sem Homofobia

Local: Auditório do 7º andar do Prédio da Central do Brasil

Endereço: Praça Cristiano Ottoni, s/n – 7º andar

Data: 16 de maio de 2011 (segunda-feira)

Horário: 9h30

Informações para a imprensa:
Márcia Vilella | Diego Cotta (SuperDir/Seasdh)
Tels.: 21 2284 2475 | 2234 9621 | 8158 9692

21 MAIO – ANIVERSÁRIO DE 18 ANOS DO GRUPO ARCO-ÍRIS

Venha comemorar conosco no Clube Bar Sinônimo Lapa

Dia 21/05/2011 – Sábado – A partir das 20h

Shows com Juliana Farina

participação especial Elza Ribeiro

Artista convidadas:

Jani Di Castro

Meime dos Brilhos

Lorna Washington

Desirrée

Av. Mem de Sá, 118 sobrado- Lapa – Rio de Janeiro

Entrada: R$10 das 20h às 22h / R$15 das 22h às 00h (sujeito à alterações) Aceita-se cartões.

Proibida a entrada de menores de 18 anos.

www.sinonimolapa.com.br

Encontro Arco-Íris

Nesta sexta, 8 de abril, às 19:30, rola um bate-papo sobre os primórdios do Movimento LGBT, com leitura e comentários  de trechos do livro “Sopa de Letrinhas? – Movimento homossexual e produção de identidades coletivas nos anos 90” da pesquisadora Regina Facchini (Rio de Janeiro, Garamond – 2005). Vamos discutir sobre como o ativismo se estruturou em seu início e quais os principais impactos dentro e fora do Movimento LGBT.

Dia 8 de abril de 2011 (sexta)

Local:Grupo Arco-Íris – Rua do Senado, 230 –  Cobertura – Centro – Rio de Janeiro

Horário: 19:30h

Infos: 21-2222-7286

Muita emoção no 9º Prêmio Arco-Íris de Direitos Humanos

Shows com Elza Ribeiro, Aline Ramos e Leila Maria trouxeram glamour ao evento

Casa de Cultura Laura Alvim. Foi neste teatro que o Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT premiou mais de 20 personalidades e autoridades na nona edição de seu prêmio de direitos humanos. Na categoria especial, foram contemplados o deputado federal Chico Alencar e a senadora Fátima Cleide (representada por seu assessor Caio Varela); parlamentares comprometidos com a luta dos direitos humanos e pró-aprovação do PLC 122/06, que criminaliza a homofobia no país.

“Estou muito feliz e emocionado. Travamos um embate contra esses pensamentos obscurantistas, que são os indutores de muitos crimes de natureza homofóbica. Agradeço ao Rio de Janeiro, que generosamente me reelegeu deputado, e digo que serei um servidor de vocês na bela diversidade que vocês constroem. Porque o amor vale sempre a pena”, orgulhou-se o deputado federal Chico Alencar (PSOL/RJ).

A imprensa também foi uma das categorias do 9º Prêmio Arco-Íris de Direitos Humanos. O jornalista d’O DIA, Mahomed Saigg levou o troféu pela sua série de reportagens publicadas no jornal que denunciava a homofobia em escolas e comunidades carentes. “Fiquei muito feliz com essa premiação. Acho que a imprensa tem um papel importante na quebra de preconceitos e divulgação de idéias e por isso acredito que demos um passo importante com essa série de reportagens”, disse Saigg.

Em se tratando de homofobia, a categoria Atitude teve importantes representantes: Angélica Ivo e Viviane Marques. A primeira, mãe de Alexandre Ivo violentamente assassinado em São Gonçalo devido à homossexualidade; a segunda, também mãe de Douglas Marques, que levou um tiro na barriga por um militar fardado logo após a 15ª Parada do Orgulho LGBT-Rio, ocorrida em 14 de novembro deste ano.

“Eu amo meu filho e sempre vou amá-lo. Esse episódio me fez perceber como as pessoas são preconceituosas. Eu tinha um primo que se travestia. Ele não teve a mesma sorte que meu filho, pois foi assassinado com quatro tiros. Eu vou lutar com vocês para não vivermos mais a homofobia e a discriminação”, emocionou-se Viviane Marques.

O 9º Prêmio Arco-Íris de Direitos Humanos fez parte da extensa programação da 15ª Parada do Orgulho LGBT-Rio, que foi patrocinada pelo Governo do Estado do RJ, através da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos e pela Petrobras. Também conta com o apoio do Programa Estadual Rio Sem Homofobia, da Secretaria Estadual de Cultura e de Saúde e Defesa Civil, além das Secretarias Municipais de Turismo (Riotur), Cultura e Saúde e Defesa Civil, da Locanty, da Savior.

9º Prêmio Arco-Íris de Direitos Humanos

Evento realizado pelo Grupo Arco-Íris acontece dia 6 às 20h na Casa de Cultura Laura Alvim

Na próxima segunda-feira (6/12), a Organização sobe aos palcos da Casa de Cultura Laura Alvim para apresentar @s 23 premiad@s, entre personalidades e instituições, que fizeram a diferença  para a comunidade de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais em 2010. O evento também conta com o show de Leila Maria, que convida Nise Palhares, Aline Ramos e Elza Ribeiro.

“O Prêmio Arco-Íris de Direitos Humanos é uma celebração onde reconhecemos a importância de indivíduos, representantes do Poder Público e organizações da sociedade civil, privadas ou estatais, que se destacaram no corrente ano com ações de visibilidade ou benefícios para a comunidade LGBT. Ativistas e personalidades serão convidados a entregar o “Troféu Arco-Íris de Direitos Humanos” aos contemplados”, explica o presidente do Grupo Arco-Íris, Julio Moreira. Confira as categorias e os premiados:

Categoria Especial: Senadora Fátima Cleide e Deputado Federal Chico Alencar

A senadora Fátima Cleide (PT-Rondônia) é trabalhadora da educação. Eleita em 2002 com mandato até fevereiro de 2011. Relatora do PLC 122/06 (criminalização da homofobia) que ainda tramita no Senado Federal por sofrer resistência de fundamentalistas religiosos.

Chico Alencar (PSOL-Rio de Janeiro) é premiado pelo seu histórico enquanto parlamentar, defendendo as questões de direitos humanos e a pauta LGBT. Alencar tem sido responsável pela aprovação de emendas parlamentares para a implementação de políticas públicas pró-LGBT no estado do Rio de Janeiro.

Atuação no Judiciário: Juiz Federal Roger Raupp Rios

Como juiz federal, Roger Raupp Rios é autor de vários livros e artigos sobre orientação sexual e identidade de gênero, sempre sob uma perspectiva respeitosa e esclarecedora, sob o ponto de vista judicial. Também assina vários veredictos em prol da causa LGBT.

Arte e Cultura: Cine Clube LGBT

O Cineclube LGBT exibe filmes nacionais e internacionais com temáticas relacionadas a Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. As sessões acontecem no ODEON Petrobrás e são seguidas de uma festa comandada pelo DJ Great Guy.

Responsabilidade Social: Banco do Brasil

O Banco do Brasil é premiado pelos benefícios e reconhecimento da união homoafetiva, tanto para funcionários quanto para clientes. O BB passou a conceder o crédito imobiliário através de confirmação da união homoafetiva a partir de declaração por escrito. Além disso, desde 2005, o Banco do Brasil aprovou uma diretriz que estende os benefícios de saúde da empresa para parceiros do mesmo sexo. A decisão foi tomada pelo Conselho Deliberativo de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil – Cassi. Tal decisão partiu do pedido do funcionário Augusto Andrade, ex-presidente do Grupo Arco-Íris, que trabalha no banco há mais de 30 anos. O processo foi ganhando apoio de outros funcionários e até uma lista de gays assumidos surgiu.

Políticas Públicas: Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos do Governo do Estado do RJ

A SEASDH, através da Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos, tem sido a principal interlocutora entre o movimento LGBT fluminense e o Governo do Estado do RJ. No início do ano, dedicou o 7º andar inteiro do prédio da Central do Brasil para serviços que promovam a cidadania desta comunidade, como o Disque Cidadania LGBT (0800 023 4567) e atendimento jurídico, social e psicológico, que fazem parte do pacote de medidas pró-LGBT RIO SEM HOMOFOBIA. Além de patrocinar a Parada do Orgulho LGBT-Rio.

Voluntariado: Lilian Motta e Verônica Bairral

Desde 2003, Lilian e Verônica dedicam boa parte de seu tempo a atividades relacionadas ao Grupo Arco-Íris. Na época da Parada do Orgulho LGBT-Rio, trabalham na coordenação de voluntários e na divulgação virtual dos eventos, sempre de forma voluntariada.

Imprensa: Mohamed Saigg (O DIA)

O jornalista fez uma série de reportagens no jornal O DIA, de grande circulação no Rio de Janeiro. As matérias (de 2 páginas, cada) tinham como tema a homofobia em comunidades carentes e escolas. Foram impressas no dia 6, 7 e 8 de setembro de 2009. A quarta matéria foi uma entrevista da senadora Fátima Cleide, publicada em um domingo (13 de setembro).

Organização Comunitária: CAMTRA (Casa da Mulher Trabalhadora)

A Casa da Mulher Trabalhadora tem como missão ir ao encontro de outras mulheres com a perspectiva de colaborar para o fortalecimento de sua autonomia e despertá-las para a importância de sua participação na construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

Ativismo LGBT: Igreja Cristã Contemporânea e Comunidade Betel

As duas Igrejas têm se destacado no ativismo LGBT  defendendo uma ótica religiosa inclusiva. Participaram dos atos, manifestações e Parada. Possuem papel fundamental na desconstrução da ideia de pecado ligada à homossexualidade.

Ativismo na luta contra a Aids: Fundação Schorer

A Fundação Schorer é uma instituição holandesa sem fins lucrativos que atua desde 1967 pelos direitos, saúde e bem-estar de homossexuais. Desde 1997, a fundação apoia projetos no Brasil, sendo o último o Programa SAGAS. Quatro instituições desenvolvem o programa: SOMOS (RS), ABIA (RJ), GRAB (CE), Grupo Arco-Íris (RJ) e ao todo contam com seis projetos com foco na prevenção de DSTS/HIV/AIDS e na promoção da qualidade de vida de LGBT, sendo um projeto específico para mulheres lésbicas e bissexuais.

Estudos Acadêmicos: Marcio Caetano

Em 2005, Marcio Caetano defendeu uma das primeiras dissertações sobre homossexualidade e escola no Brasil. Com o título “Os gestos do silêncio para esconder as diferenças”, a dissertação defendida na UFF foi a primeira investigação de uma trajetória acadêmica marcada pelo diálogo com movimento social LGBT. As investigações de Caetano no campo da saúde e da educação subsidiaram inúmeras ações do movimento social LGBT.

Ações Legislativas: Deputado Federal José Genuíno

Um dos onze co-autores de projeto de lei que garante o reconhecimento da união civil entre pessoas do mesmo sexo no Brasil (PL 4914/09), o deputado José Genoíno (PT-SP) vem realizando discursos veementes em prol deste projeto de lei.

Visibilidade Trans: Luana Muniz

Luana Muniz começa sua história no musical Mimosa, no teatro Brigite Blair (anos 80); viajou para a Europa e trabalhou em vários cabarés. Luana vivenciou altos e baixos; além de conhecer de perto as calçadas e esquinas. Líder das meninas da Lapa, Luana fundou a Agentte; participou da primeira turma do projeto Damas e da ativação do Projeto Travesti e Cidadania (CIEDS). Luana apóia a ONG Água Viva e desenvolve trabalhos comunitários com pessoas vivendo com HIV/Aids e que se encontram em risco social. Sua participação como interlocutora entre comunidade trans e sociedade tem sido de extrema importância para que projetos de cidadania e prevenção tenham obtido sucesso.

Atitude: Prof. Antonio Pinheiro | Angélica Ivo | Família Marques

O professor Antônio Pinheiro atua no Instituto de Educação Sara Kubitscheck; é coordenador do projeto Pro Dia Nascer Feliz e foi colaborador da pesquisa Homofobia nas Escolas, das secretarias estaduais de Educação e Assistência Social e Direitos Humanos.

Mãe de Alexandre Ivo, brutalmente assassinado por uma gang em São Gonçalo, Angélica Ivo tem se mostrado uma fiel defensora dos direitos LGBT. Está sempre presente em eventos e atos que reivindicam ações concretas de combate à homofobia.

A família Marques pressionou até o fim para que o crime contra o rapaz Douglas Marques fosse solucionado e não caísse no esquecimento. Douglas foi baleado na barriga no Parque Garota de Ipanema por um militar homofóbico depois da 15ª Parada do orgulho LGBT-Rio.

Visibilidade Lésbica: Angélica “Morango” e Nise Palhares

Ana Angélica, mais conhecida como “Morango”, participou da 10ª edição do reality show da TV Globo: Big Brother Brasil. Assumiu-se lésbica logo no primeiro dia do programa e permaneceu tratando o assunto com naturalidade, o que muito ajuda a tratar o tema aqui “fora”. Morango participou de vários atos e Paradas LGBT pelo Brasil a fora, sempre utilizando sua imagem popular para o combate à homofobia.

Um dos maiores programas de reality show de hoje em dia, o Ídolos da TV Record, foi o que impulsionou a carreira de Nise Palhares. A cantora lésbica é residente de boates como 1140 e Papa G e tem no seu canto a força da resistência da mulher. Tem vivido e sobrevivido de sua arte, sempre com a cumplicidade de uma legião de fãs, na sua maioria mulheres lésbicas.

Marketing: PSOL (Partido Socialismo e Liberdade)

O programa eleitoral de Plínio Arruda, do PSOL para a presidência da República exibiu um beijo gay entre dois jovens. A propaganda foi o assunto mais comentado na primeira semana eleitoral do país. Apesar de o beijo ter menos de cinco segundos, foi suficiente para levantar o debate em torno dos LGBTs.

Saúde Lésbica: Projeto Laços e Acasos: Mulheres, Desejos e Saúde

O projeto Laços e Acasos do Grupo Arco-Íris lançou  neste ano a campanha “Quer Pegar?”, que além de informar lésbicas e mulheres bissexuais quanto às formas de contaminação de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), também oferece as chamadas “sainhas”, que são as barreiras, feitas de látex, produzidas especialmente para lésbicas e mulheres bissexuais.

Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT reivindica investigação rigorosa do caso do rapaz baleado no Arpoador

O Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT reivindica investigação rigorosa do caso do menino Douglas, 19 anos, que foi baleado na barriga após a 15ª Parada do Orgulho LGBT-Rio, ocorrida no último dia 14, que reuniu 1,2 milhão de pessoas na orla de Copacabana. Caso fique provado que o disparo realmente foi feito por militares que faziam a ronda no local, como relata familiares da vítima, o Grupo Arco-Íris cobra punição exemplar ao homofóbico.

Cabe lembrar que as Forças Armadas e todos os operadores de segurança de nosso estado e do país têm por obrigação garantir a segurança e a proteção de tod@s cidadãos (ãs), independentemente de credo, cor, orientação sexual e identidade de gênero. A Organização também salienta a importância de as Forças Armadas reverem seus códigos militares, que carrega em seus escritos as tintas de um militarismo intolerante e violento aos LGBT.

Este é apenas um caso entre milhares de outros. A cada dois dias, um homossexual é assassinado em virtude de sua orientação sexual. A homofobia é uma questão real; é uma chaga social que precisa ser sanada. Necessitamos o quanto antes que o PLC 122/06, que criminaliza a homofobia no país, seja aprovado pelo Senado Federal. Precisamos de políticas públicas que fomentem a cidadania de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais e combatam à homofobia, principalmente no âmbito da educação, a fim de que novas gerações mais plurais e respeitosas nasçam com novas perspectivas em relação à diferença.

Mais de um milhão contra a Homofobia

15 anos de ORGULHO – 15ª Parada do Orgulho LGBT-Rio lota Praia de Copacabana

Nem o tempo fechado desanimou gays, lésbicas, travestis, transexuais, bissexuais, drags e simpatizantes em Copacabana. Cerca de 1,2 milhão de pessoas lotaram o cartão postal mais famoso da cidade durante a 15ª Parada do Orgulho LGBT-Rio. Tendo o Orgulho como tema, militantes e autoridades iniciaram a abertura do 3º maior evento do Rio. Julio Moreira, presidente do Grupo Arco-Íris (ONG responsável pela organização da Parada), destacou que “a homofobia é uma doença social que precisa ser sanada. Ela está intimamente interligada com o machismo, o sexismo, o racismo e outras formas de discriminação”.

O presidente lembrou, ainda, que todos os cidadãos e cidadãs devem refletir sobre seu papel social: “professores, gestores, LGBT e heterossexuais precisam entender que a homofobia atinge a todos. O jovem na escola que é chamado de viado, o trabalhador que não consegue emprego, familiares de LGBT, o fiel que não pode exercer livremente sua fé”.

Falas de autoridades abriram a Parada. Entre os presentes estavam: Carlos Minc, deputado estadual eleito pelo Rio de Janeiro; Ricardo Henriques, Secretário Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos; Cláudio Nascimento, Superintendente de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos; Jean Wyllys, deputado federal eleito pelo Rio de Janeiro; Cida Diogo, deputada federal pelo Rio de Janeiro; Oscar Berro, representando o Ministro da Saúde, José Gomes Temporão; além de representantes de órgãos da Prefeitura do Rio.

Emoção e orgulho de 15 anos de Parada

Jane Di Castro cantou o Hino Nacional e o Hino Oficial da Parada ficou por conta de Leila Maria, autora e cantora do hit “Bom é beijar”. Foram 13 trios que dividiram a atenção do público do posto seis ao posto dois, levando música e arte para a orla de Copacabana. A bandeira símbolo do Arco-Íris de 124 metros – a maior do país – foi estendida e cobriu a Avenida Atlântica, preenchendo de cor o domingo dos cariocas.

Ação Orgulho, Saúde, Cultura e Cidadania

Uma grande ação dentro da 15ª Parada distribuiu 1 milhão de insumos durante todo o dia de domingo. “Foram mil doses da vacina para prevenção da hepatite B, mais de 500 mil preservativos – entre eles teen, feminino e extra – e materiais informativos sobre DST/Aids, saúde e cidadania”, explica o José Eurico Ribeiro, infectologista e coordenador da ação.

Com três tendas (50 m2 cada) espalhadas pela orla, a Ação Orgulho, Saúde, Cultura e Cidadania teve apoio da Gerência Estadual de DST/Aids, Sangue e Hemoderivados; da Coordenação Estadual de Hepatites Virais; da Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos (Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos); Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde; da Fiocruz (Instituto Oswaldo Cruz) e Petrobras.

A 15ª Parada do Orgulho LGBT é patrocinada pelo Governo do Estado do RJ, através da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos e pela Petrobras. Também conta com o apoio do Programa Estadual Rio Sem Homofobia, da Secretaria Estadual de Cultura e de Saúde e Defesa Civil, além das Secretarias Municipais de Turismo (Riotur), Cultura e Saúde e Defesa Civil, da Locanty, da Savior.

ALGUMAS DICAS…

ALGUMAS DICAS…

A Parada do Orgulho LGBT-Rio é um momento de alegria e cidadania. Quando

falamos sobre cidadania, nos referimos aos direitos e deveres de cada um@.

Tod@s têm o direito à liberdade, contudo temos o dever de nos proteger

de situações que possam nos trazer problemas. Por isso, informamos as

seguintes dicas para você se divertir com segurança.

Dicas de transporte

– Para chegar à Parada dê preferência aos transportes públicos, como

metrô e ônibus. De metrô, desça na Estação Cantagalo – a mais próxima da

concentração.

– Se for de ônibus pegue linhas que passem pelas ruas Barata Ribeiro e

Tonelero/Pompeu Loureiro ou pela Avenida N. S. de Copacabana. Desça entre

as ruas Miguel Lemos e Bolívar ou depois do túnel na Sá Ferreira. Informe-se

antes com o motorista.

– Atenção: se for de carro, estacione em Ipanema, Lagoa, Botafogo e

imediações. Devido à grande concentração de pessoas na praia de Copacabana,

o trânsito poderá ficar lento e algumas ruas, além da avenida Atlântica,

poderão se encontrar interditadas para tráfego de veículos de não moradores

do bairro. Respeite as leis de trânsito e os pedestres. Não estacione em locais

proibidos.

– Ônibus de excursão não poderão entrar em Copacabana. Os órgãos de controle de tráfego multarão e rebocarão veículos não autorizados. Por isso, deverão estar estacionados na Avenida Rodrigues Alves, pista sentido Rodoviária, junto ao meio-fio, do lado direito da via, no trecho entre as ruas Barão de Tefé e Pereira Reis. Há uma estação de metrô no Estácio que leva direto à Copacabana.

OBS.: Não poderão estacionar em frente ao Armazém 8.

Dicas de segurança

– Se dirigir, não beba. Se beber, não dirija! Dê a direção de seu carro para

algum amigo sóbrio ou vá de táxi.

– Leve somente a quantia de dinheiro necessária. Evite andar com objetos de

valor (joia, celular, câmera, relógio etc..). Leve apenas a sua identidade, de

preferência uma cópia.

– A polícia está orientada para garantir uma segurança cidadã, respeitando a

tod@s. Faça a sua parte. Se você ouvir provocação ou algo fora da lei, denuncie

nas tendas do evento e nos postos policiais. Nos últimos anos as polícias do

estado do RJ têm sido exemplares em sua atuação.

– As tendas da organização do evento servirão como posto de achados e

perdidos. Os documentos que não forem retirados serão encaminhados para a

delegacia de polícia mais próxima (12ª DP) ou para a sede do Grupo Arco-Íris.

– Fique esperto! As “rodinhas” e “pegação” na areia, durante e após o evento,

serão reprimidas severamente pela Políca Militar. Não esqueça que a Parada é

para garantirmos mais direitos e não para gerarmos mais preconceitos.

Dicas de saúde

– Alimente-se bem e beba bastante água. Vá com roupas leves. Isso ajudará

você a ter energia para curtir o evento.

– Não leve e nem compre bebidas em vasilhames de vidro, você pode se cortar

e machucar os outros.

– Não se esqueça de usar a camisinha. Ela protege do contato com a AIDS,

hepatites e outras doenças sexualmente transmissíveis (DST).

– Durante o evento faremos campanha com distribuição de preservativos,

lubrificantes e informativos para que você os leve consigo.

Dicas de cidadania

– Andar nu é legal dentro de casa. Na rua é atentado ao pudor.

– Beijar na boca é muito bom. Se o clima esquentar, prefira um motel. Transar

na rua é arriscado e também atentado ao pudor.

– A bandeira do arco-íris é nosso símbolo, pavilhão maior da nossa luta pela

diversidade. Ajude-nos a defendê-la e protegê-la. Trate-a com respeito!

– Seja cidadão. Proteja todo o mobiliário urbano. Se você avistar alguém

danificando ponto de ônibus, orelhão, entre outros, denuncie! Esse

patrimônio é de tod@s e é pago com o imposto de tod@s @s cariocas,

inclusive o seu.

– Muro, coqueiro e outros cantinhos não são banheiros. Respeite as pessoas

e mantenha a cidade limpa, utilizando os banheiros químicos, os postos

salva-vidas, os quiosques na orla, os restaurantes e bares ao redor. A

cidade agradece.

Telefones úteis

Grupo Arco-Íris: 21 2215-0844 / 2222-7286

Disque Cidadania LGBT: 0800 023 4567

SUPERDir – Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos da

SEASDH: 21 2334-9578

Polícia Militar: 190

Serviço público de remoção de doentes e feridos: 192

Bombeiros: 193

Defesa Civil: 199

Central de Atendimento à Mulher: 180

Disque Denúncia: 2253-1177

Denúncia de Abuso a Crianças e Adolescentes: 100

Disque Saúde: 0800-611997

PROGRAMAÇÃO – 15ª Parada do Orgulho LGBT-Rio

 

13/10   

Show de abertura da programação oficial da 15º Parada do Orgulho LGBT-Rio – Teatro de Revista – Com: Jane di Castro, Lorna Washington, Rose Bombom, Paula Braga, Luiza Moon, Eula Rochard, Núbia Pinheiro, Karina Karão, Luana Muniz e Sthepanie Camburão.

Local: Teatro Carlos Gomes – Praça Tiradentes, 19 – Centro
Horário: 20h
Ingresso: R$ 1,99

27/10

Projeto Auto Retrato Laura di Vison – 2ª edição               
Espetáculo “Ao Sair Deixe suas Lágrimas”

Elenco: Rose Bombom, Suzy Brasil, Paula Braga, Veluma, Karina Karão, Zanny, Jonathan Gomes, Glaucio Castelino, Marcello Taurino, Joyce e Marcelo Faria.

Local: Sala Baden Powell – Av. Nossa Senhora de Copacabana, 360 – Copacabana
Horário: 20h
Ingresso: R$ 1,99

03/11

Projeto Autorretrato Laura di Vison – 2ª edição               
Espetáculo “Dama da Noite”
Elenco: Lorna Washington, Luana Muniz, Desirée, Nepopô, Luiza Moon, Kimily Hanner.

Local: Casa de Cultura Laura Alvim – Av. Vieira Souto, 176 – Ipanema
Horário: 20h
Ingresso: R$ 1,99

04/11

Projeto Autorretrato Laura di Vison – 2ª edição               
Espetáculo “Esquinas”
Elenco: Luana Muniz e convidadas

Local: Casa de Cultura Laura Alvim – Av. Vieira Souto, 176 – Ipanema
Horário: 20h
Ingresso: R$ 1,99

05/11   

Projeto Autorretrato Laura di Vison – 2ª edição               
Espetáculo “Ao Sair Deixe Suas Lágrimas”
Elenco: Rose Bombom e Suzy Brasil

Local: Casa de Cultura Laura Alvim – Av. Vieira Souto, 176 – Ipanema
Horário: 20h
Ingresso: R$ 1,99

07/11 a 11/11   

II Seminário Nacional de Segurança Pública para LGBT (SENASP / SEASDH)

Local: Windsor Hotel Guanabara – Av. Presidente Vargas, 392 – Centro

10/11   

Lançamento do Livro: “Confissões ao Mar”, de Kadu Lago

Local: Livraria da Travessa – Rua Visconde de Pirajá, 572 – Ipanema
Horário: 19h
Entrada franca

10/11   

Vozes da Diversidade – 2ª edição
Ex-celentes
Cantores: Aline Ramos, Biano Rafa, Mariana Novaes 

Local: Sala Baden Powell – Av. Nossa Senhora de Copacabana, 360 – Copacabana
Horário: 20h
Ingresso: R$ 1,99

10/11   

Estreia do Lounge Café do Teatro de Bolsa – com Andre Baeta

Local: Empório Almir França – Travessa Dr. Araújo, 55 – Praça da Bandeira

Horário: 20h

Ingresso: R$ 15,00

11/11   

Festa de Celebração da 15a Parada do Orgulho LGBT do Rio

Local: Cine Ideal – Rua da Carioca, 64
Horário: 22h
Entrada Gratuita
Com Eula Rochard, Núbia Pinheiro e Luiza Moon

12/11   

LK3 Especial Pré-Parada

Local: Rio Ativa Esporte – Av. Presidente Vargas, 2000 – Centro
Horário: 23h
Mais informações em www.lk3party.com

13/11   

2ª Lesbifest – Festival da cultura e diversidade de lésbicas e mulheres bissexuais

Local: Bar Sinônimo – Rua Mem de Sá, 118 – Lapa

Ingressos:

R$ 5,00 até 23h, levando 1 kg de alimento não–perecível

R$ 10,00 até 24h

R$ 15,00 após 24h

Participações: Juliana Farina, Nana Kozak, Maiara e Fina Batucada (bateria feminina)

Sorteios de kits eróticos para mulheres.

Cupido da Paquera

Concurso de Drag Kings com premiação para 1º, 2º e 3º lugares

Performance  teatral com Ítala Isis

e muitas surpresas durante a noite.

Lançamento do Calendário Chabanais 2011 (www.chabanais.com.br)

13/11   

Festa Pré-Parada na 1440 – Boate 1140

Local: Rua Capitão Menezes 1140 – Praça Seca – Jacarepaguá

Horário: 22h

Mais informações em www.boite1140.com.br

14/11   

15ª Parada do Orgulho LGBT Rio 2010 – Av. Atlântica – Posto 6 – 13 horas

Ação Orgulho, Saúde, Cultura e Cidadania LGBT

14/11   

Festa de Encerramento da Parada – Cine Ideal

Local: Cine Ideal – Rua da Carioca, 64 – Centro

Horário: 22h

Mais informações em www.cineideal.com.br

 

22/11 e 27/11

Espetáculo “Divinas Divas”

Elenco: Jane di Castro e convidadas

Local: Sala Baden Powell – Av. Nossa Senhora de Copacabana, 360 – Copacabana

Horário: 19h30

Mais informações em www.arco-iris.org.br

06/12   

Espetáculo “Vidas Diversas”

Direção: Sérgio Muniz

Elenco: Ministério de teatro da Igreja Contemporânea e Ministério de dança da Igreja Contemporânea

Luz e trilha sonora: Sérgio Muniz

Duração: 60 minutos

Local: Teatro Gonzaguinha – Rua Benedito Hipólito, 125 – Praça Onze

Horário: 20h

Mais informações em www.arco-iris.org.br

               

09/12   

Ciclo Arco-Íris Pensando as Homossexualidades

Mais informações em www.arco-iris.org.br

10/12   

9º Prêmio Arco-Íris de Direitos Humanos

Mais informações em www.arco-iris.org.br

Mais informações sobre agenda www.arco-iris.org.br

Travesti não é bagunça!

Luana Muniz e convidadas estrelam espetáculo “Esquinas” e apresentam um pouco do brilho noturno das donas das encruzilhadas cariocas

Orla de Ipanema. Casa de Cultura Laura Alvim. A travesti Luana Muniz leva ao palco do renomado teatro um pouco da vida da Lapa. Sem hipocrisia e vitimismos baratos, a mais nova Madame Satã da boemia carioca demonstra em cena as dores e as delícias de ser uma travesti. “Esquinas”, além de ser uma resposta à leitura do programa Profissão Repórter de demonização das travestis, deve ser encarado como a materialização da multiplicidade da arte no palco, da vida na arte e vice-versa.
E é assim a primeira cena: a diva Lorna Washington encarnando a cena de Luana Muniz com seu bêbado “global” e o famoso tapa na cara dele seguido do bordão “Tá pensando que travesti é bagunça?”. Neste momento o palco escurece e Luana surge por detrás do público vestida com roupa de santo e, em punho, um genuíno adjarin (sineta de metal, utilizada por candomblecistas e umbandistas para evocar entidades).
As batidas fortes dos atabaques rufam ao ponto de “O sino da igrejinha faz blem, blem,  blom. Deu meia noite o galo já cantou…” Luana sobe ao palco e reina em meio a algumas representações de exus, como pombogira, malandro, tranca-rua etc. Ela dança com todos. Ela é de todos. Fica nítido, com os Arcos da Lapa compondo o cenário, que ela, Luana, e seus exus são definitivamente os donos da esquinas.
“A concepção do espetáculo é mostrar uma outra travesti. É confrontar esta perspectiva difundida de que a travestilidade tem que estar necessariamente ligada à prostituição e nada mais. Além do meio fio, elas possuem vida e produzem arte”, explica o coordenador-geral do projeto Autorretrato Laura Di Vison do qual “Esquinas” faz parte, Almir França.

     
Desaquendar a gira
Lorna Washington entra em cena com a missão, como ela mesmo diz, de “desaquendar a gira” pesada que Luana deixou pelos palcos e em um número pra lá de divertido faz a limpeza do palco ao som de “Sai de mim encosto, sai, sai, sai, que vc só vive pra me perturbar…”, de Bezerra da Silva.
“Nosso maior cartão postal, o Cristo Redentor está sempre de braços abertos para os cariocas, sem ligar se é branco, preto, gay, lésbica ou travesti. O Rio é a esquina do mundo”, orgulha-se Lorna.
 
Outros números, novas surpresas
De fato. A arte das travestis brilhava no palco como todos os Swarovski utilizados em seus figurinos. Dublagens foram realizadas de forma impecável, como a de Anita Baker, por Luana Muniz; Whitney Houston, por Alexia Brasil e Débora Cox, por Angel. Paula Braga e Yone Karr apostaram em relíquias nacionais, como Nação, de João Bosco, Aldir Blanc e Paulo Emílio; e É d’Oxum, de Gerônimo e Vevé Calasans.
A 15ª Parada do Orgulho LGBT, que acontece dia 14 de novembro, é patrocinada pelo Governo do Estado do RJ, através da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos e Petrobrás. Também conta com o apoio da Secretaria Estadual de Cultura e de Saúde e Defesa Civil; além das Secretarias Municipais de Turismos (Riotur), Cultura e Saúde e Defesa Civil; e da Locanty.

Cercada de amigos e amigas, Lorna Washington estrela a 2ª noite do Projeto Autorretrato Laura Di Vison

Show Dama da Noite aconteceu na quarta (3/11) na Casa de Cultura Laura Alvim

Uma noite de festa, diversão e celebração da amizade. Esse foi o tom do segundo show do projeto Autorretrato Laura Di Vison – Dama da Noite, que reuniu no palco da Casa de Cultura Laura Alvim as artistas Rose Bombom, Nepopô, Rosa New York, Desiree, Kimily Hanner e as doors Isabelita dos Patins (em participação especial), Carla Coqueiro, Luiza Moon e Núbia Pinheiro, todas para homenagear uma das maiores transformistas da noite carioca: Lorna Washington.
“Estar aqui hoje, para mim, é um reconhecimento ao trabalho que venho fazendo em todos esses anos. Tudo o que faço é com total entrega – nem penso na repercussão, só quero fazer o melhor. Me sinto contente e realizada em poder mostrar minha arte para mais e mais pessoas”, disse Lorna. Rose Bombom, amiga de longa data, resumiu sua participação no show: “sou fã de Lorna. É uma honra dividir o palco com ela”.
Outra amiga, Isabelita começou dizendo que “a melhor maneira de explicar a minha presença nesta homenagem é cantando os versos da canção Se todos fossem iguais a você. Estou aqui de coração e alma, pois Lorna é um exemplo de solidariedade e integridade. Ela é tudo de bom!”, brincou Isabelita.
Dama da Noite mostrou o camarim de um teatro onde Lorna revisitava sua trajetória artística através de números e canções. Rose Bombom era a divertida camareira, sempre pronta para ajudar e, claro, fazer suas gags.  Nepopô, Rosa New York, Desiree e Kimily Hanner trouxeram brilho para o espetáculo com suas belíssimas performances. O público pode também conferir Lorna interpretando textos de poetas como Clarice Lispector, Cecília Meirelles e Castro Alves.
Hoje (4/11) é a vez de Luana Muniz e convidadas estrelarem “Esquinas” na Casa de Cultura Laura Alvim, a partir das 20h em Ipanema. Amanhã, Suzy Brazil e Rose Bombom reapresentam “Ao Sair Deixe Suas Lágrimas”, no mesmo local e horário. Não percam!
A 15ª Parada do Orgulho LGBT é patrocinada pelo Governo do Estado do RJ, através da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos e Petrobrás. Também conta com o apoio da Secretaria Estadual de Cultura e de Saúde e Defesa Civil; além das Secretarias Municipais de Turismos (Riotur), Cultura e Saúde e Defesa Civil e Locanty.

Instruções para credenciamento da imprensa

A Target Assessoria de Comunicação, que coordena a comunicação da 15ª Parada do Orgulho LGBT-Rio, credencia veículos de imprensa para a cobertura jornalística do evento.

Podem solicitar credenciais agências de notícias, emissoras de TV e rádio, jornais e portais de internet de conteúdo essencialmente jornalístico.

Jornalistas e fotógrafos autônomos interessados em documentar o evento devem apresentar uma justificativa por escrito para a solicitação de credenciamento, que será analisada pela assessoria de comunicação da Parada do Orgulho LGBT-Rio 2010.

As credenciais serão exigidas para aqueles que desejam ter acesso aos trios, carros oficiais e coletiva de imprensa. A quantidade de credenciais é limitada até duas unidades por veículo de comunicação, exceto emissoras de TV que poderão solicitar até quatro credenciais. Solicitações extraordinárias serão analisadas.

A cobertura do evento “no chão” é livre para qualquer profissional.

Os veículos que desejam se credenciar, devem enviar e-mail para leticia@target.inf.br com as informações descritas abaixo até o dia 11 de novembro de 2010, até as 18h. Em caso de dúvidas, queiram nos contactar pelos telefones (21) 2284 2475, 2234 9621. As confirmações de credenciamento serão dadas até o dia 11 de novembro e as credenciais deverão ser retiradas na sede do Grupo Arco-Iris nos dias 12 (das 15h às 18h) e 13 de novembro (das 14h às 18h).

Ficha para credenciamento para imprensa

Veículo

Endereço

Telefone

Fax

E-mail de contato

Nome do profissional

Função

Nome do profissional

Função

Nome do profissional

Função

Nome do profissional

Função

Seja um(a) voluntári@ Arco-Íris!

Conhecer gente nova, adquirir experiência, participar de ambientes descontraídos e festivos e promover um evento para chamar de seu. Essas são algumas vantagens de ser voluntário/a da Parada do Orgulho LGBT-Rio. O Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT convida a todos e todas a fazer parte desta grande família!

As inscrições para ser voluntário da 15ª Parada do Orgulho LGBT-Rio, no dia 14 de novembro, ficam abertas até o dia 5 de novembro. A programação oficial deste ano conta ainda com uma série de eventos nos mais variados espaços de cultura de nossa cidade. Para se cadastrar, o candidato deve comparecer à sede do Grupo Arco-Íris (Rua do Senado, 230 – Cobertura – Centro) em horário comercial e preencher a ficha de cadastramento.

“A Parada é um evento comunitário e os voluntários são fundamentais para que essa festa da cidadania possa acontecer. A transformação social só se dará quando mais e mais pessoas se mobilizarem para acabar com o preconceito. A homofobia só terá fim se todos lutarmos para isso”, explica Julio Moreira, presidente do Grupo Arco-Íris.

Para se cadastrar, o voluntário deve:

I – ser maior de 18 anos, ou acima de 16 anos com a autorização dos responsáveis assinada e reconhecida a firma;

II – ter disponibilidade de tempo para o serviço voluntário, de acordo com as necessidades da organização do evento, contribuindo de duas a três vezes por semana, de acordo com a sua disponibilidade, não ultrapassando uma carga horária de oito horas semanais.

III – estar gozando de plenas condições de saúde.

IV – ter disponibilidade para participar dos encontros de capacitação sobre voluntariado nos eventos e na Parada.

Para se inscrever como candidato(a ) a voluntário(a) é preciso:

I – preencher ficha de cadastro de candidato(a) a voluntário(a)  e termo de adesão ao serviço voluntário;

II – entregar 01 foto 3 x 4 colorida para afixação na ficha de cadastro;

III – apresentar cópia de carteira de identidade, CPF e comprovante de residência.

Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT – Rua do Senado, 230 – Cobertura – Centro

21 2222-7286 | 2215-0844

Para tudo! Está em cena o Projeto Autorretrato Laura Di Vison

Pelo segundo ano consecutivo, o Grupo Arco-Íris inclui em seu mês de celebração da Parada do Orgulho LGBT do Rio o projeto Autorretrato – Laura DI Vison. Neste ano, o evento acontece em quatro edições.
 
O primeiro espetáculo – “Ao Sair Deixe Suas Lágrimas” – será no dia 27/10 na Sala Baden Powell às 20h, com as drags Rose Bombom, Suzy Brazil, Paula Braga, entre outras. O segundo – “Dama da Noite” – acontece no dia 3/11 na Casa de Cultura Laura Alvim às 20h e conta com Lorna Washington, Luana Muniz, Desiree entre outras. A entrada será de R$ 1,99. No dia 4/11, Luana Muniz e convidadas levam “Esquina” à Casa de Cultura Laura Alvim, às 20h, que recebe, no dia 5/11, às 20h, “Ao Sair Deixe Suas Lágrimas”.
 
Laura, Laura, Laura!Musa do underground carioca nas décadas de 70, 80 e 90, Laura Di Vison foi um ícone LGBT. Espontânea, crua e irônica, esta estrela charmosérrima provocou e levou a êxtase plateias lotadas! Alegre e apaixonada por prazer e plumas, deixou de queixo caído de renomados sociólogos a personalidades internacionais. Faleceu em 2007.
 
 
 
Venha se deliciar neste projeto assistindo aos espetáculos em homenagem a Laura Di Vison! Todo mundo lá!
 
Serviço:Projeto Autorretrato – Laura Di Vision
 
Quarta – 27/10 – 20h
Espetáculo: Ao Sair Deixe suas Lágrimas

Texto e direção: Rose Bombom e Suzy Brasil
Elenco: Rose Bombom, Suzy Brasil, Paula Braga, Veluma,Karina Karão, Zanny, Jonathan Gomes,Gláucio Castelino, Marcelo Taurino, Joyce e Marcelo Faria.
 
Sala Baden Powell – Av. Nossa Senhora de Copacabana, 360 – Copacabana
Informações: 2548-0421
Classificação Etária: 18 anos
R$ 1,99
__________________________________________
Quarta – 03/11 – 20h
Espetáculo: Dama da Noite – Filipeta
 
Concepção: Almir França
Direção Artística: Rogério Garcia
 
Elenco: Lorna Washington, Luana Muniz, Desirée, Nepopô, Luiza Moon e Kimily Hanner.
 
Casa de Cultura Laura Alvim – Av. Vieira Souto, 176 – Ipanema
Informações: 2332-2015
Classificação Etária: 18 anos
R$ 1,99
__________________________________________
Quinta – 04/11 – 20h
Espetáculo: Esquina
 
Concepção: Almir França
Direção Artística: Rogério Garcia
 
Elenco: Luana Muniz e convidadas
 
Casa de Cultura Laura Alvim – Av. Vieira Souto, 176 – Ipanema
Informações: 2332-2015
Classificação Etária: 18 anos
R$ 1,99
__________________________________________
Sexta – 05/11 – 20h
Espetáculo: Ao Sair Deixe suas Lágrimas

Texto e direção: Rose Bombom e Suzy Brasil
Elenco: Rose Bombom, Suzy Brasil, Paula Braga, Veluma,Karina Karão, Zanny, Jonathan Gomes,Gláucio Castelino, Marcelo Taurino, Joyce e Marcelo Faria.
 
Casa de Cultura Laura Alvim – Av. Vieira Souto, 176 – Ipanema
Informações: 2332-2015
Classificação Etária: 18 anos
R$ 1,99