GRUPO ARCO-ÍRIS NA SEMANA MUNDIAL DE COMBATE AS HEPATITES VIRAIS

Nesta sexta-feira (30/7) às 19h30, o Grupo Arco-Íris receberá para sua roda de conversa a médica da equipe da Gerência Estadual de DST/aids e Hepatites Virais, Dr.ª Clarisse Gdalevici

Nesta quarta-feira, 28 de julho, o Grupo Arco-Íris participou de uma ação pelo Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais. A atividade – uma iniciativa da Gerência de DST, Aids e Hepatites Virais da Secretaria de Estado de Saúde e Defesa Civil – aconteceu na Cinelândia pela manhã e contou com a parceria da Escola de Enfermagem da Universidade Veiga de Almeida. Voluntários dos Projetos Entre Garotos e Laços e Acasos distribuíram materiais informativos, preservativos e bandanas em três tendas.

À tarde, a Oficina de Criação do Grupo Arco-Íris customizou as camisetas da campanha em uma atividade no auditório da Secretaria de Saúde. Já à noite, na sede do Grupo Arco-Íris, o Alokafé, atividade realizada pelos jovens gays e bissexuais do Projeto Entre Garotos, abordou o tema, conscientizando sobre as formas de contágio das hepatites.

Essas atividades fazem parte de uma vasta programação com o objetivo de disseminar informações sobre o contágio principalmente das hepatites B e C na população LGBT. Além das informações, incentivaremos o teste gratuito do status sorológico da Hepatite B, nos postos de saúde, e também sua vacinação.

Atividades

Nesta sexta-feira (30/7) às 19h30, o Grupo Arco-Íris receberá para sua roda de conversa a médica da equipe da Gerência Estadual de DST/aids e Hepatites Virais, Dr.ª Clarisse Gdalevici. O bate-papo com entrada franca será na dede da Ong – Rua do Senado, 230 – Cobertura.

As ações previstas para esse final de semana contam com interações na Lapa e no Cine Ideal na sexta-feira; na Le Boy no sábado e terminando domingo com a Festa pela Semana de Combate às Hepatites, na Boite 1140, na Praça Seca, Jacarepaguá, que também terá a oficina de customização do Grupo Arco-Íris.

Dados estatísticos sobre as hepatites

Dados apresentados pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira apontam um crescimento de casos de hepatite B entre 1999 e 2009. Segundo o estudo, 96.044 pessoas foram contaminadas pelo vírus da doença. Mais de 50% dos casos de contaminação estão concentrados na faixa etária de 20 a 39 anos. No período, foram registradas 5.079 mortes pela doença.

A hepatite é manifestada nas formas A, B, C, D e E. A contaminação ocorre por meio de alimentos mal lavados e também pela falta de prevenção nas relações sexuais. Os tipos B e C foram os mais comuns no Brasil nos últimos dez anos, segundo o Ministério da Saúde.

Contra a hepatite C, ainda não há vacina disponível. Essa forma da doença acumula o maior número de mortes nos últimos dez anos – 14.076. As maiores incidências dos casos da hepatite C estão nas regiões Sul e Sudeste. Dos 20.073 casos registrados no país no período, 70,3% são referentes a essa forma da doença. Já o tipo B da doença representou 25,4% dos casos de hepatite registrados no país.

A população LGBT é uma das mais vulneráveis ao contágio das hepatites, tendo em vista um contexto bem amplo que abrange desde a violência e discriminação, situações de baixa auto-estima, dificuldade no acesso às informações entre outras que contribuem para que estes tenham relações sexuais desprotegidas.

Informações para a imprensa
Márcia Vilella | Diego Cotta
Target Assessoria de Comunicação
Tels: 21 8158 9692 | 8158 9715 | 2284 2475
target@target.inf.br | www.target.inf.br

Presidente argentina sanciona lei que autoriza o casamento gay

Lei tornou país o primeiro da América Latina a permitir união homossexual.
‘Hoje somos uma sociedade mais igualitária que na semana passada’, disse.

Do G1, com agências internacionais

A presidente argentina, Cristina Kirchner, promulgou nesta quarta-feira (21) a lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo, aprovada na última quinta-feira, em um ato com representantes da comunidade homossexual na Casa Rosada, sede do governo.
“Hoje somos uma sociedade mais igualitária que na semana passada”, disse Kirchner. “Estas questões tem que ver com a condição humana, com a aspiração e a igualdade. São coisas que não podem nos dividir, mas se unir”, acrescentou, em relação à forte polêmica que gerou a iniciativa.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/07/presidente-argentina-sanciona-lei-que-autoriza-o-casamento-gay.html